Laboratório de Israel estuda o uso de terpenos de cannabis para tratamento da Covid-19

cultivo flores dave Laboratório de Israel estuda o uso de terpenos de cannabis para tratamento da Covid 19

Uma formulação de terpenos de cannabis está sendo testada quanto à sua eficácia no tratamento de infecções virais, incluindo a Covid-19. As informações são da Health Europa, com tradução Smoke Buddies

A formulação de terpeno de cannabis é exclusivamente dedicada ao tratamento e prevenção de infecções virais e foi projetada especificamente para populações de alto risco e tratamento de infecções como a COVID-19 causada pela nova cepa de coronavírus.

Na pesquisa anterior, realizada desde o surto do vírus SARS em 2002, os terpenos de cannabis foram considerados por serem agentes antivirais potenciais eficazes, e terpenos específicos que entraram em contato com o vírus SARS foram identificados por reduzir sua gravidade e impacto (tanto in vitro quanto in vivo), retendo uma proteína que replica o RNA — impedindo-o de penetrar nas células saudáveis ​​e usá-las como hospedeiras para sua replicação.

lazy placeholder Laboratório de Israel estuda o uso de terpenos de cannabis para tratamento da Covid 19

Leia mais: Universidade de Miami faz estudo sobre impacto do Covid-19 em pacientes de cannabis

Nova formulação antiviral de terpeno

A nova formulação foi projetada para ser consumida por inalação direta.

O presidente da CannaSoul, professor Dedi Meiri, do Instituto de Tecnologia de Israel, disse: “Nosso laboratório foi aprovado para operar como um laboratório corona e, ao fazer isso, estamos promovendo dois estudos baseados nos estudos existentes sobre a cannabis”.

“Primeiro, tentaremos identificar as moléculas da planta que são capazes de suprimir a resposta imune ao coronavírus da COVID-19 — que causa inflamação e doença grave — para diminuir a resposta do sistema imunológico sem suprimi-lo, fornecendo assim um melhor tratamento complementar aos esteroides, que suprimem completamente o sistema imunológico”.

Leia: Hospital israelense inicia estudo sobre tratamento para Covid-19 com cannabis

O segundo estudo está analisando o receptor ACE2 — que permite ao vírus injetar sua expressão genética nas células humanas e proliferar.

Meiri continuou: “Existe um processo que examina o efeito das moléculas de cannabis também nas proteínas, e agora estamos examinando quais são relevantes para o mesmo receptor, com o objetivo de reduzir sua expressão, dificultando para o vírus entrar na célula e proliferar”.

O CEO da Eybna, Nadav Eyal, disse que: “Este tipo de método de entrega é um divisor de águas, permitindo-nos alcançar qualidades terapêuticas com esses fitoquímicos únicos como nunca antes”.

Síndrome da Tempestade de Citocinas

Os estudos esperam fornecer tratamento para infecções virais através da modulação das ‘Tempestades de Citocinas’. Vários casos de COVID-19 foram relacionados à ‘Síndrome da Tempestade de Citocinas’, na qual o sistema imunológico entra em ação e libera citocinas demais — proteínas importantes na sinalização celular — no corpo de uma só vez, atacando pulmões saudáveis ​​e causando falência de órgãos em massa.

A colaboração permitirá à experiência analítica da CannaSoul , baseada em dados clínicos acumulados, e à pesquisa pioneira do professor Meiri personalizarem a nova formulação de terpenos da Eybna para otimizar suas propriedades anti-inflamatórias e antivirais.

Leia também:

Universidade de Tel Aviv estuda exossomos carregados com CBD no tratamento da Covid-19

#PraCegoVer: fotografia (de capa) que mostra as inflorescências, com pistilos brancos e laranjas, de várias plantas de maconha, com foco em uma delas, no lado esquerdo do primeiro plano. Foto: Dave Coutinho | Smoke Buddies.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!