O THC sai no suor? Fazer exercício antes de um teste de maconha pode não ajudar, entenda

homem esteira ilustracao O THC sai no suor? Fazer exercício antes de um teste de maconha pode não ajudar, entenda

Em um esforço para passar no teste de drogas de maconha, muitas pessoas adotam a abordagem popular de se exercitar para eliminar o THC. Mas isso funciona ou é mito? Confira a resposta na reportagem da Inverse, com tradução pela Smoke Buddies

Uma tarefa que muitos fumantes crônicos de maconha temem é o teste obrigatório de drogas. Um teste de drogas iminente pode causar ansiedade e gerar confusão nos usuários de cannabis que se perguntam qual a melhor forma de ter o THC, o composto psicoativo da maconha, fora de seus sistemas — e rápido.

Uma sugestão popular? Suar. Ir à academia ou correr deve acelerar o metabolismo do THC, certo? Não tão rápido. O exercício pode, na verdade, ter o efeito oposto, aumentando os níveis de THC na corrente sanguínea e fazendo você falhar em um teste de drogas.

“Quando a pessoa sedentária decide, ‘eu quero vencer esta’, então vai para a sauna ou começa a fazer um monte de polichinelos, não vai adiantar muito”, Rafael Landeiro da Mobile Health, um serviço de laboratório de testes, disse à Inverse.

“Ironicamente, para as pessoas que estão fazendo isso, à medida que seu corpo metaboliza a gordura corporal, você está liberando mais THC do que normalmente faria.”

Confira, a seguir, a reportagem da Inverse que esclarece a confusão e explica por que o exercício nem sempre pode ser vantajoso.

Atrás do teste

À medida que a indústria da cannabis cresce e a legalização ganha velocidade, as pessoas podem ser submetidas a menos testes de maconha. Mas muitos ambientes — especialmente o local de trabalho, os serviços de saúde e o sistema de justiça criminal — ainda podem preferir ficar sem drogas e pedir às pessoas para fazer xixi em um copo.

Normalmente, um teste de drogas de maconha envolve o teste de uma amostra de urina para metabolitos de THC. Outros testes de drogas envolvem amostras de cabelo, sangue e unhas — métodos que podem ser mais difíceis de vencer. Não é provável que o CBD levante bandeiras vermelhas em um teste de drogas, já que os produtos de CBD normalmente incluem apenas quantidades vestigiais de THC. Um teste de maconha na urina será positivo se o THC da amostra for superior a 50 nanogramas por mililitro.

Leia: Cabelo, unhas, pelos e até o tártaro dos dentes guardam indícios do consumo da maconha

Por quanto tempo o THC permanece no organismo?

Depois de usar maconha, os níveis de THC disparam na corrente sanguínea. O composto é solúvel em gordura, o que significa que se acumula nos estoques de gordura no corpo. Quanto mais gordura o corpo contém, mais ele pode absorver o THC, segundo pesquisas. À medida que a gordura é queimada através do exercício, jejum ou atividade diária, o THC acumulado é liberado gradualmente na corrente sanguínea e é excretado como xixi.

Demora cerca de um mês para a cannabis sair do sistema, o que é obviamente problemático porque existem outras drogas que saem mais rapidamente do seu sistema, mas eu considero mais perigosas”, Whitney Ogle, pesquisadora de cannabis da Universidade Humboldt, disse à Inverse. “Então, é lamentável”.

De fato, estudos mostram que o THC pode permanecer no corpo entre 25 dias e três meses após o uso da maconha. A linha do tempo exata depende de fatores como a frequência e quantidade de uso de maconha, quantidade de gordura corporal e consistência do exercício podem influenciar a rapidez com que o corpo expele a substância. Os usuários crônicos de cannabis têm níveis significativos de THC em sua corrente sanguínea, dias após deixarem a droga, mostram pesquisas anteriores, enquanto a urina pode conter THC por semanas após o uso.

“Não existe uma janela típica de detecção”, disse Ryan Vandrey, professor associado da Universidade Johns Hopkins, à Leafly. “É altamente variável de pessoa para pessoa e varia de acordo com a frequência de uso e a quantidade de uso. Portanto, não há como prever ou saber por quanto tempo alguém seria teste positivo com qualquer tipo de certeza”.

Leia mais – Maconheiro Sangue Bom: Fique 12 horas sem usar maconha e Doe Sangue amanhã!

A questão do exercício

Em um esforço para passar no teste de drogas de maconha, as pessoas empregam algumas táticas selvagens. Alguns trocam o xixi por urina sintética. Outros passam horas que antecedem o teste consumindo água e diluindo a concentração de THC na urina. Outras pessoas consomem chá desintoxicante, ervas ou laxantes, ou até adicionam produtos químicos como peróxido de hidrogênio e água sanitária à amostra de urina.

Mas essas abordagens não são apoiadas pela ciência e a maioria dos técnicos de laboratório consegue ver através das amostras alteradas.

“É meio frustrante estar neste mundo de cannabis, onde há tantas evidências e alegações anedóticas sobre o que fazer”, diz Ogle. “E há muito pouca evidência para apoiar isso”.

Uma abordagem popular? Eleve seu cardio. Mas, embora alguns estudos tenham tentado analisar se o exercício pode interferir nos testes de maconha, os resultados foram variados.

4 maneiras incríveis de como a maconha pode ajudar em seus exercícios

Em 2013, uma equipe de pesquisa explorou como o exercício afeta os níveis de THC e revelou que o cardio pode sair pela culatra para as pessoas que tentam extrair THC do corpo. Em seu estudo, eles pediram a 14 usuários regulares de cannabis que se exercitassem em um nível que induzisse a queima de gordura — um ciclo de 35 minutos em uma bicicleta ergométrica. Na noite anterior ao experimento, os participantes se abstiveram de maconha para evitar altos níveis de THC na corrente sanguínea, o que poderia distorcer os resultados.

Após o treino, o THC no sangue dos participantes aumentou, mesmo que os níveis sanguíneos estivessem baixos antes do exercício. Níveis elevados de THC foram observados junto com mais ácidos graxos livres no sangue, um sinal de que o treino queimou gordura. Por sua vez, os pesquisadores concluíram que o aumento do THC era alto o suficiente para que ele ainda aparecesse em um teste de drogas.

O estudo sugere que o exercício liberou THC inativo das reservas de gordura, criadas a partir do uso crônico de cannabis. Portanto, em vez de “esgotar”, o exercício, na verdade, inundou os sistemas dos participantes com THC, uma medida que poderia complicar os testes de drogas na estrada ou nos empregadores após exercícios recentes, escrevem os autores.

Leia também: Maconha – Exercício Físico libera THC armazenado no Sangue

É importante ressaltar que o pico de THC desapareceu após duas horas, sugerindo que as pessoas só devem evitar malhar imediatamente antes de um teste de drogas se estiverem preocupadas com a detecção de THC. Os pesquisadores também não analisaram a urina do participante, portanto, como isso afetaria um teste típico de urina de maconha não está claro.

Enquanto isso, em 2014, outro grupo de cientistas decidiu testar a conexão THC-exercício, avaliando o sangue e o xixi das pessoas.

Eles colocaram seis usuários regulares de cannabis em um treino de intensidade moderada de 45 minutos e em jejum de 24 horas. A equipe não viu grandes diferenças nos níveis de THC antes ou após o exercício e o jejum, nos níveis de sangue ou urina. Eles concluíram que nem o exercício nem o jejum podem causar mudanças significativas na concentração de THC que influenciam os resultados dos testes de drogas.

Este trabalho também teve algumas limitações. O estudo incluiu pessoas com baixos níveis de gordura em seus corpos. Por sua vez, as pessoas com maiores reservas de gordura podem ter visto picos de THC mais significativos, devido ao exercício ou ao jejum. Os pesquisadores publicaram seu trabalho na revista Basic and Clinical Pharmacology and Toxicology.

Esses pequenos estudos sugerem que o exercício, provavelmente, não deve ser o método ideal para passar no teste de drogas amanhã. Mas se você estiver se preparando para um teste de drogas semanas depois, ir à academia, cortar frituras e queimar gordura pode ser útil.

“O jejum vai queimar gordura, o que libera mais canabinoides”, explicou Vandrey. “Se você tem mais gordura, há mais tecido para os canabinoides serem armazenados, fazendo com que você possa ter uma janela de detecção um pouco mais longa”.

Ficando limpo

Por fim, não há nenhuma estratégia científica para passar no teste de drogas de maconha, além da abstinência, diz Ogle. O conselho dela? Fique à frente. Ela sugere fazer um teste em casa para ver com o que você está lidando.

“Se você sabe que terá um teste positivo no dia seguinte, seja honesto com seu supervisor”, diz Ogle. “Mais fácil falar do que fazer, mostrando um certo nível de responsabilidade”.

“Pode ser que alguém tenha um brownie em uma festa e essa não seja a intenção do que eles querem fazer naquela noite, e então eles são teste positivo.”

Um teste positivo de drogas não significa que alguém é um usuário crônico ou que será um problema no local de trabalho, ela explica. Todo empregador pode receber as notícias de maneira diferente, mas, talvez, ficar limpo possa ajudar a evitar resultados negativos de um teste reprovado.

Leia mais:

Testar motoristas para cannabis é difícil, veja porque

#PraCegoVer: em destaque, ilustração que mostra um homem, encurvado para frente e com os braços caídos, andando em uma esteira ergométrica  e um fundo composto por folhas de maconha. Imagem: Inverse.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!