A música dos Beatles que é uma declaração apaixonada à maconha

beatles revolver A música dos Beatles que é uma declaração apaixonada à maconha

Após a ascensão meteórica, o quarteto passou a buscar mais inspiração e chegou a uma canção que foi uma espécie de “homenagem” à erva. As informações são da Far Out, via Observatório de Música

Em 1966, os Beatles estavam cansados. Cansados da sua imagem de ‘boyband’ e cansados de fingir ser um modelo perfeitinhos para todos os fãs e inclusive para as suas mães. Com o seu novo álbum, Revolver, os Fab Four faziam uma clara declaração de intenções: Os Beatles já não eram mais garotos.

Agora, após sua ascensão meteórica e outros passos na carreira, as coisas tinham ficado sérias. Lennon e McCartney estavam escrevendo as suas próprias canções e a produção da banda melhorou muito devido a isso. A dupla começou a procurar mais inspiração fora das razões óbvias como garotas e carros velozes. Isto os levou a uma canção em particular que trazia uma espécie de “homenagem” à maconha.

lazy placeholder A música dos Beatles que é uma declaração apaixonada à maconha

A banda tinha, de acordo com relatórios, sido formalmente introduzida à cannabis pelo icônico Bob Dylan durante uma reunião íntima em 1964. Os artistas encontraram-se após um espetáculo e viram Dylan chegar com um grande saco de erva, mas os Fab Four eram todos amadores no assunto, o que acabou sendo surpreendente para Bob.

A confusão surgiu quando Dylan pensou que estavam a cantar “I get high” no refrão do seu sucesso de 1964, “I Want to Hold Your Hand”. John Lennon foi rapidamente explicando que a letra muitas vezes mal ouvida era na realidade, “I can’t hide”. Ringo Starr confirmou a história em 2012 com Conan O’Brien ao revelar: “Ficamos chocados e rimos”. Em 1966, a erva tinha-se tornado uma parte integrante da carreira dos Beatles, pelo menos dentro de portas fechadas.

Leia mais: Depois de show do The Who, pés de maconha surgiram no estádio

O grupo prestou então tal homenagem à droga com uma canção em particular no sétimo disco, Revolver (ou “the pot album”), com a brilhante “Got To Get You Into My Life”. Em 1980, Lennon refletiu sobre a canção durante a sua entrevista com David Sheff da Playboy: “Paul. Penso que essa foi também uma das suas melhores canções, porque a letra é boa e eu não as escrevi”, disse ele. “Estás vendo? Quando eu digo que ele podia escrever a letra caso se esforçasse — aqui está um exemplo”.

Liricamente, a letra da canção era um arranjo complexo e confuso de linhas tortas e delicados acenos de cabeça ao ato ilegal. “Tinha sido um rapaz da classe trabalhadora bastante heterossexual”, refletiu McCartney durante uma entrevista em 1994. “Mas quando começamos a entrar na erva pareceu-me bastante virtuoso. Não parecia ter demasiados efeitos secundários como o álcool ou algumas das outras coisas, como os comprimidos, que eu praticamente não tomava. Eu até gostava de marijuana e, para mim, parecia que estava a expandir a mente, literalmente a expandir a mente”.

“Esta é na verdade a melhor maneira“, continuou Paul, embora tenha admitido um problema sobre o álcool: “Mas num mundo estressante eu ainda diria que a erva era uma das melhores das drogas tranquilizantes. Já bebi e fumei erva e das duas penso que a erva é menos prejudicial. As pessoas tendem a adormecer em cima dela em vez de saírem e cometerem homicídio, pelo que sempre me pareceu ser bastante benigno”.

“Olhando para trás, é evidente que o disco Revolver marcou os Beatles ultrapassando as suas imagens anteriores. Fez a banda crescer, evoluir e, em nome da sua sanidade, ficar um pouco mais suja do que a sua imagem limpa alguma vez tinha permitido anteriormente. Já ‘Got To Get You Into My Life’ foi a própria rebelião pessoal de McCartney” — Jack Whatley.

Letra de ‘Got To Get You Into My Life’

“I was alone, I took a ride
I didn’t know what I would find there
Another road where maybe I
Could see another kind of mind there
Ooh, then I suddenly see you
Ooh, did I tell you I need you
Every single day of my lifeYou didn’t run, you didn’t hide
And had you gone, you knew in time
We’d meet again for I had told you
Ooh, you were meant to be near me
Ooh, and I want you to hear me
Say we’ll be together every day
Got to get you into my lifeWhat can I do, what can I be
When I’m with you I want to stay there
If I’m true I’ll never leave
And if I do I know the way there
Ooh, then I suddenly see you
Ooh, did I tell you I need you
Every single day of my life
Got to get you into my lifeI was alone, I took a ride
I didn’t know what I would find there
Another road where maybe I
Could see another kind of mind there
Ooh, then I suddenly see you
Ooh, did I tell you I need you
Every single day“

Leia também:

Beatles: como a maconha influenciou as gravações do filme Help!?

#PraCegoVer: em destaque, fotografia em preto e branco de John Lennon e George Harrison, este com óculos escuros e paletó preto, enquanto o primeiro olha para Ringo e Paul que estão sentados, na parte direita da foto, que é a contracapa de Revolver.

lazy placeholder A música dos Beatles que é uma declaração apaixonada à maconha

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!