Universidade Estadual de Washington cria centro de estudo multidisciplinar sobre cannabis

laboratorio maos sementes ramos Universidade Estadual de Washington cria centro de estudo multidisciplinar sobre cannabis

Os esforços da Universidade Estadual de Washington na pesquisa da cannabis agora cresceram em um centro de pesquisa multidisciplinar completo com quase 100 cientistas trabalhando em uma ampla gama de projetos relacionados à planta

O recém-batizado Centro para Política, Pesquisa e Extensão sobre Cannabis, ou CCPRO, na sigla em inglês, foi oficialmente aprovado pelo senado acadêmico e Conselho de Regentes da Universidade Estadual de Washington (WSU) em maio. A WSU começou a organizar pesquisas de ponta sobre a cannabis em 2011, antes mesmo de o estado de Washington se tornar o primeiro nos EUA a legalizar a maconha para uso adulto no ano seguinte. A designação formal como um centro de pesquisa significa sua importância e o compromisso da WSU como a universidade estadual de concessão de terras para o conhecimento científico extremamente necessário da indústria em crescimento.

“A WSU é uma das principais universidades do país em pesquisa de cannabis”, disse Michael McDonell, diretor do CCPRO e professor da Faculdade de Medicina Elson S. Floyd. “O status de centro reconhece o notável conhecimento multidisciplinar de nossos pesquisadores sobre cannabis. Ele também reúne em um único centro todo o trabalho, desde a pesquisa focada no impacto da cannabis no desenvolvimento até a pesquisa acadêmica sobre a cannabis e a segurança pública, bem como nossa pesquisa de cultivo de cânhamo”.

site sb Universidade Estadual de Washington cria centro de estudo multidisciplinar sobre cannabis

Leia: Depois de 50 anos, EUA abrem as portas para mais produtores de cannabis para fins de pesquisa

Nos últimos seis anos, os pesquisadores da WSU se envolveram em 50 projetos com quase US$ 10 milhões em financiamento.

 Universidade Estadual de Washington cria centro de estudo multidisciplinar sobre cannabis

Projetos recentes incluem uma exploração de preditores comportamentais e biológicos do uso problemático de cannabis, que recebeu recentemente uma bolsa de US$ 400.000 do Instituto Nacional sobre Abuso de Drogas (NIDA). Ela usa um novo modelo animal de administração de vapor de cannabis desenvolvido por uma equipe de pesquisa liderada pelo professor associado Ryan McLaughlin.

Os pesquisadores do centro também têm estudado como a lei de Washington de legalização da cannabis de 2012 afetou a aplicação da lei, e o professor emérito e ex-diretor do CCPRO Nick Lovrich está agora levando as lições aprendidas com as autoridades de Washington para uma conferência nacional de aplicação da lei.

O CCPRO da WSU está envolvido em uma série de colaborações e recentemente se juntou à Universidade Estadual de Oregon e à Universidade da California, em Davis, em um esforço da Costa Oeste para melhorar o germoplasma de cânhamo — as sementes e o material genético necessários para cultivar melhores safras de cânhamo para fins industriais e como fonte de canabidiol, o óleo essencial também conhecido como CBD. Liderada pelo professor David Gang, a equipe da WSU está iniciando os esforços experimentais com o plantio de sementes de cânhamo perto das instalações do Centro de Pesquisa e Extensão em Agricultura Irrigada Prosser da WSU em maio e junho.

Leia mais: Maconha: EUA avançam em negócios, Brasil mantém preconceito

O CCPRO também fez parceria com a Tribo Puyallup em um estudo em seu Centro de Cura e Pesquisa Natural Qwibil sobre o uso de maconha medicinal para o controle da dor. Outra parceria promissora entre a WSU e a Biopharmaceutical Research Company abriu novas possibilidades para a pesquisa, já que a empresa farmacêutica se tornou recentemente uma das primeiras empresas a obter aprovação federal para cultivar cannabis para fins de pesquisa.

O estudo da cannabis contendo THC continua sendo um desafio nos EUA por causa de seu status federal como uma droga de Classe 1, apesar da legalização estadual restringir como a planta pode ser possuída e estudada em laboratório, mas McDonell ainda vê muitas oportunidades no futuro.

“Estamos vendo algumas dessas barreiras à pesquisa sendo eliminadas de maneira gradual”, disse ele. “Isso nos ajudará a trabalhar para acompanhar a indústria da cannabis para fornecer aos cidadãos de Washington as informações de que precisam para tomar decisões informadas sobre sua saúde e cannabis.”

Leia também:

Prisão que abrigou condenados por tráfico vai virar espaço para cultivo de maconha nos EUA

#PraCegoVer: fotografia mostra as mãos de uma pessoa vestida com jaleco e luvas brancas que analisa uma porção de sementes de maconha com uma haste transparente sobre uma mesa branca, onde também estão ramos secos de cannabis e um frasco com óleo. Foto: jcomp / Freepik.

smokebuddies logo2 Universidade Estadual de Washington cria centro de estudo multidisciplinar sobre cannabis

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!