Chardonnay ou pinot noir? — Vinhos de THC se consolidam nos EUA

garrafa vinho Chardonnay ou pinot noir? — Vinhos de THC se consolidam nos EUA

Uma tendência que parece ter se firmado, principalmente na Califórnia, onde a maconha é legal e as regiões vinícolas são abundantes, é o vinho sem álcool com infusão de THC. Saiba mais com as informações do Thrillist

A cannabis está provando ser um grande negócio. Embora ainda seja ilegal em nível federal nos EUA, a indústria fez grandes avanços rumo à legalização — dezoito estados legalizaram o uso adulto de cannabis, enquanto 36 outros agora permitem a venda de cannabis medicinal e 13 descriminalizaram o uso de cannabis. Isso levou a uma explosão no setor, especialmente durante a pandemia, quando estados como a Califórnia consideraram os negócios de maconha essenciais, resultando em um recorde de US$ 17,5 bilhões em vendas nos EUA em 2020.

Com esta Corrida Verde vem uma abundância de inovação, à medida que as marcas buscam se diferenciar da velha imagem da cultura stoner e apelar para os consumidores que não estão apenas procurando ficar chapados, mas estão interessados ​​em tirar proveito dos supostos benefícios que incluem tudo, desde redução da ansiedade até um melhor sono e controle da dor.

site sb Chardonnay ou pinot noir? — Vinhos de THC se consolidam nos EUA

Uma tendência que parece ter se consolidado, especialmente na Califórnia, onde a cannabis é legal e as regiões vinícolas são abundantes, é o vinho sem álcool com infusão de THC. Marcas como Rebel CoastHouse of Saka e Viv & Oak surgiram nos últimos anos, atraindo consumidores de cannabis que buscam o divertimento familiar que o vinho alcoólico proporciona, mas sem as ressacas prejudiciais.

Para a House of Saka, era importante atrair as mulheres usuárias de cannabis que foram ignoradas pela indústria em geral. Antes de seu cargo como cofundadora e CEO da House of Saka, Tracy Mason passou um tempo atuando como diretora de estratégia e inovação da CannaCraft, que vende mais de 200 produtos, incluindo vapes, bebidas, buds e doces.

“O que realmente faltava era uma empresa que abordasse a consumidora emergente e as atraísse de maneiras que fossem confortáveis ​​para elas”, diz Mason, “em termos de forma e fator, aparência e sensação”.

Leia mais: Pais trocam álcool por cannabis durante pandemia de Covid-19

Em termos de aparência, as garrafas de vinho da House of Saka são obras de arte elegantes em si mesmas, com lindas ilustrações em contraste com garrafas brancas, rosa e laranja. Quando se trata de forma, Mason se inspirou para criar o rosé exclusivo da House of Saka — que é a categoria de crescimento mais rápido de qualquer tipo de vinho.

Mason imaginou que o rosé da House of Saka, chamado Saka Pink, poderia ser perfeitamente integrado aos rituais de fim do dia de muitos consumidores ou noites tranquilas com amigos, mas sem os efeitos negativos do álcool — não apenas ressacas, mas também açúcar e calorias adicionais. Enquanto o rosé tem uma variação imprevisível de 35 a 120 gramas de açúcar por copo e entre 21 e 72 calorias de açúcar por copo, Saka Pink tem apenas 11 calorias por porção e uma quantidade insignificante de açúcar. Para efeito de comparação, o Sparkling Sauvage da Rebel Coast tem 49 calorias e nove gramas de açúcar por porção, embora seja importante notar que o tamanho da sua porção é uma lata de 12 onças (354 ml), enquanto a porção sugerida da House of Saka é de cinco onças (147 ml).

A ideia certamente estava lá, mas como sabem aqueles que experimentaram comestíveis infundidos com cannabis, a planta geralmente tem um sabor distinto, não inteiramente agradável. Isso, mais o fato de que os consumidores esperam determinados perfis de sabor de uma bebida que pretende substituir o vinho alcoólico, criou um problema para as marcas de vinho de THC emergentes.

“Nós realmente queríamos imitar o perfil de sabor do vinho, então esse foi o nosso problema mais difícil”, disse o fundador e CEO da Rebel Coast, Josh Lizotte. “O álcool adiciona muita complexidade, paladar e perfil ao vinho, então imitar isso é difícil. Passamos de seis a oito meses apenas experimentando e, mesmo depois do lançamento, ainda estávamos mudando a fórmula e o processo até o final do ano passado. Agora estamos em uma fórmula estável e consistente. Mas nossos primeiros cinco ou dez lotes eram todos diferentes porque estávamos tentando torná-los cada vez melhor”.

Pelo menos parte desse problema é resolvida pela fonte de qualidade. A Rebel Coast obtém suas uvas do Vale de Sonoma antes de infundi-las com THC de ação rápida que tem um início impressionante de aproximadamente 15 minutos a partir do ponto de consumo. A House of Saka obtém suas uvas de vinhedos selecionados em Napa Valley, adquirindo variedades Chardonnay para os rótulos Saka White e Saka Spark e Pinot Noirs para o Saka Pink.

Na França: Primeiro vinho francês com CBD é produzido em Bordeaux

A Rebel Coast se esforça para limitar o sabor da cannabis em seus produtos com base no feedback dos clientes, enquanto a House of Saka reintroduz essências naturais de cannabis e terpenos (compostos aromáticos) que imitam perfis de sabor de álcool em suas bebidas após terem sido desalcoolizadas.

“Em nosso produto Saka Spark, usamos resina viva strain-específica da variedade Mimosa propositalmente porque queríamos que os terpenos da Mimosa realmente aparecessem no perfil de sabor de nosso produto de vinho espumante”, explica Mason. “Mas para vinhos brandos como Saka White e Saka Pink, e que em breve serão Saka Red, procuramos uma emulsão o mais neutra possível. Mas estamos procurando emulsões com terpenos semelhantes ao Cabernet ou terpenos semelhantes ao Chardonnay. Enquanto tentamos anular o gosto herbal da cannabis em nossas bebidas, também aproveitamos os componentes de terpeno que contribuem para a experiência do vinho, porque o vinho tem tantos terpenos quanto a cannabis.”

Enquanto cada marca adota sua própria abordagem para honrar os perfis de sabor que os consumidores esperam do vinho, cada uma tem um belo sucesso à sua maneira. Ao saborear o Saka White, um aroma cítrico refrescante atinge seu nariz primeiro, seguido por sabores de frutas suaves como damasco, pêssego maduro e casca de limão, com um final levemente doce e ácido que permanece no céu da boca. O Sparkling Sauvage da Rebel Coast, por outro lado, fornece uma carbonatação agradável que ajuda a mascarar o sabor da cannabis para dar lugar às notas cítricas e gramadas mais aceitáveis ​​pelas quais as variedades Sauvignon Blanc são conhecidas.

Depois, há a questão sobre o consumo e como encontrar um equilíbrio entre aproveitar os benefícios difundidos de relaxamento e elevação do humor da cannabis sem ficar muito debilitado. A boa notícia é que, ao contrário de outros comestíveis com infusão de cannabis, as bebidas são altamente controladas. Todos os vinhos enlatados da Rebel Coast vêm com 10 miligramas de THC em uma lata de 12 onças, enquanto o Pink da House of Saka tem 40 miligramas de THC e cinco miligramas de CBD por garrafa.

Cada uma dessas doses é relativamente baixa, e Mason sugere que a primeira ingestão comece devagar. “Você está ingerindo alguns miligramas de THC a cada poucas onças de House of Saka e, assim como o álcool, você saberá em 10 a 15 minutos como essa dose se manifestará”, diz ela. “Os efeitos desaparecem dentro de meia hora a 45 minutos se você parar após a primeira porção. Se você continuar bebendo, o barato continuará, mas você não vai ficar babando no sofá em nenhum momento. Não é isso que queremos. Queremos que você continue bebendo e se divertindo.”

Lizotte tem conselhos semelhantes para os bebedores da Rebel Coast. “Cada lata contém 10 miligramas de THC, que é uma dose típica, mas para algumas pessoas é demais”, diz ele. “Portanto, se você é um novato ou tem uma tolerância baixa, recomendo começar com metade de uma porção. Em seguida, aguarde 30 ou 45 minutos e veja como você se sente. Definitivamente vá devagar”.

Os vinhos de THC da Rebel Coast e House of Saka deixam você com uma sensação animadora que lembra o vinho alcoólico. Saka Pink deixa os bebedores com uma disposição positiva e social, enquanto Saka White pode inspirar criatividade e conversas animadas. O blend de Sauvage com Sativa da Rebel Coast vai te dar risadas se você abrir uma lata e depois entrar na fila de uma comédia, enquanto o Pink Passion com Indica predominante é ideal para relaxar após um longo dia.

Os produtos de ambas as marcas provavelmente provocarão larica, mas não há necessidade de se preocupar com o aperitivo para seu vinho de THC. Em vez disso, opte por itens que você normalmente combinaria com seus vinhos — como peixes, aves, saladas e queijos leves para brancos e carnes vermelhas, guisados, vegetais terrosos, queijos perfumados e chocolates para tintos.

Leia também:

Enólogos colaboram com cultivadores de cannabis em novos sistemas de denominação

#PraTodosVerem: fotografia mostra uma garrafa sendo segurada com a rolha, que tem gravada uma folha de maconha, voltada para a câmera e uma plantação, ao fundo, em pior foco. Imagem: Rebel Coast / divulgação.

smokebuddies logo2 Chardonnay ou pinot noir? — Vinhos de THC se consolidam nos EUA

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!