Vendas de maconha nos EUA atingem US$ 17,5 bilhões em 2020

economia da maconha colorado nao sabe o que fazer com tanto dinheiro Vendas de maconha nos EUA atingem US$ 17,5 bilhões em 2020

A maior parte do aumento no faturamento veio de mercados de maconha de uso adulto. As informações são da Forbes

O coronavírus foi bom para algumas indústrias e ruinoso para outras. Para a cannabis, 2020 foi um ano de ruptura. As vendas de maconha legal nos EUA — 15 estados permitem o uso adulto, 36 permitem vendas médicas — atingiram um recorde de US$ 17,5 bilhões, um aumento de 46% em relação a 2019, de acordo com um novo relatório.

A maior parte do crescimento das vendas veio de mercados de uso adulto, especialmente mercados maduros como Colorado, que aumentou as vendas em 26% para chegar a US$ 2,2 bilhões, e Oregon, que viu as vendas atingirem US$ 1,1 bilhão, um aumento de 29% em relação a 2019, de acordo com o relatório publicado pela BDSA, uma plataforma de dados de vendas de cannabis.

site sb Vendas de maconha nos EUA atingem US$ 17,5 bilhões em 2020

Mercados emergentes como Illinois, que expandiu seu mercado de cannabis medicinal para incluir vendas para uso adulto no ano passado, viram o maior ganho em dólares em 2020, aumentando em US$ 784 milhões. (O mercado de cannabis de Illinois está agora fazendo mais de US$ 1 bilhão em vendas.) A Califórnia, a maior economia de cannabis do país com US$ 3,5 bilhões, aumentou as vendas em US$ 586 milhões, enquanto a Flórida viu um aumento de US$ 473 milhões.

“Esperávamos mais impacto potencial de uma desaceleração econômica, mas a indústria provou ser resiliente”, diz Kelly Nielsen, que dirige o departamento de análises e insights da BDSA. “É potencialmente à prova de recessão”.

 Vendas de maconha nos EUA atingem US$ 17,5 bilhões em 2020

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia mais: Vendas globais de cannabis ultrapassam US$ 21 bilhões em 2020

Nielsen diz que três coisas contribuíram para o crescimento da indústria no ano passado: a pandemia de Covid-19 (muitos estados consideraram dispensários “negócios essenciais” durante o bloqueio); mais clientes entraram em mercados maduros como Califórnia, Colorado e Oregon; e estados como Illinois e Arizona criaram novos mercados para uso adulto.

Outro fator que impulsiona o crescimento da indústria é simples: mais pessoas estão consumindo mais cannabis do que antes. Cerca de 30% dos consumidores entrevistados pela BDSA disseram que compram produtos de cannabis com mais frequência, enquanto 25% dos consumidores dizem que seu uso de cannabis aumentou desde antes da pandemia.

Em todos os mercados de consumo adulto nos EUA, o número de pessoas que consumiam cannabis no final de 2020 era maior do que seis meses antes. Das pessoas que vivem em estados que legalizaram as vendas adultas, 43% usam cannabis. No Colorado, onde a penetração de mercado é maior no país, 48% dos coloradenses consomem maconha.

“Perto de 50% de penetração de mercado é realmente atraente, já que a penetração do álcool está em torno de 60%”, diz Nielsen.

Na Califórnia, a penetração de mercado aumentou de 37% para 39%. Josh Bubeck, o cofundador da Urbn Leaf, uma varejista de maconha com sete lojas e sede no sul da Califórnia, diz que 2020 foi um ano difícil, mas sua empresa bateu recorde de vendas.

Leia mais: Canadá registra CA$ 2,6 bilhões em vendas de cannabis em 2020

“A melhor semana que tivemos foi na semana passada”, diz Bubeck.

Muito do crescimento da Urbn Leaf foi impulsionado pelo fato de que dobrou sua pegada. E enquanto a Covid-19 ajudou a impulsionar mais negócios locais, algumas das localizações da Urbn Leaf, especialmente aquelas que atendem a turistas, tiveram um desempenho pior em 2020.

“Nossa localização principal, perto do Sea World, sofreu tremendamente com a queda no turismo”, diz Bubeck.

Outro aspecto que impulsionou seu negócio é o cumprimento das regulamentações da cannabis, um sinal de que o mercado está amadurecendo. A loja da empresa no distrito de San Ysidro, que fica ao norte da fronteira com o México, era cercada por dezenas de dispensários ilegais até o ano passado, quando a cidade de San Diego os fechou. Todo aquele tráfego de pedestres chegava a lojas legais como a Urbn Leaf.

“Nossa loja na fronteira é agora nossa loja mais movimentada”, diz Bubeck. “Dois anos atrás, era a nossa mais lenta”.

Leia – EUA: estados com maconha legal tiveram menos afastamentos e indenizações trabalhistas

As empresas de entrega de cannabis também tiveram um alvoroço no ano passado, pois estavam perfeitamente posicionadas para capitalizar sobre a pandemia. O número de estadunidenses que usam a entrega de maconha aumentou 25%, descobriu a BDSA.

Sava, uma plataforma de entrega de cannabis de ponta que atende 70 cidades ao redor de San Francisco, teve uma onda no início da pandemia. No entanto, com o passar do ano, a onda nunca realmente terminou.

“Vimos um crescimento de 60% nas vendas em 2020”, disse a fundadora e CEO da Sava, Andrea Brooks. “É um número excepcional e foi um ano particular. Agora, trata-se de manter os consumidores e continuar a crescer”.

Brooks diz que o crescimento das vendas de sua empresa foi inicialmente alimentado por pedidos de permanência em casa, mas ela também credita o fato de que mais consumidores estão saindo do mercado ilícito.

Leia: Vendas de maconha em Illinois (EUA) chegam a US$ 1 bi no primeiro ano de regulação do uso social

“Legalização não é como ligar um interruptor”, diz Brooks. “É contínuo e as pessoas ficam mais confortáveis ​​com ela conforme o mercado amadurece”.

A maior parte da indústria de cannabis ainda está no mercado clandestino. As vendas ilícitas de maconha são estimadas em mais de US$ 100 bilhões por ano. O setor legal está se recuperando, embora lentamente. Em 2026, a BDSA prevê que o mercado legal de cannabis dos EUA chegará a US$ 41 bilhões em vendas anuais, aproximadamente o tamanho da indústria de cerveja artesanal.

Embora sua empresa tenha gerado mais negócios do que nunca, Bubeck não quer reviver 2020.

A parte mais difícil de contornar a pandemia como empresário foi gerenciar a equipe e os problemas logísticos impostos pela Covid-19, diz ele. Se uma pessoa na cadeia de suprimentos da empresa testasse positivo, qualquer pessoa que estivesse a menos de dois metros dela por mais de 15 minutos tinha que entrar em quarentena. Bubeck diz que se um departamento não fosse rígido com os protocolos de distanciamento social, todo um grupo de funcionários ficaria fora por dez dias.

“Eu teria que argumentar, apesar de ser nosso melhor ano em termos de vendas, que não foi uma vitória para todos”, diz Bubeck.

Leia também:

Michigan (EUA) distribui US$ 10 mi em receita de impostos sobre maconha para comunidades

#PraCegoVer: em destaque, fotografia que mostra um rolo de notas de dólar preso com elástico junto a uma porção de buds de maconha, sobre uma superfície espelhada, em fundo escuro.

smokebuddies logo2 Vendas de maconha nos EUA atingem US$ 17,5 bilhões em 2020

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!