Vendas de maconha em Illinois (EUA) chegam a US$ 1 bi no primeiro ano de regulação do uso social

economia da maconha colorado nao sabe o que fazer com tanto dinheiro Vendas de maconha em Illinois (EUA) chegam a US$ 1 bi no primeiro ano de regulação do uso social

Apesar da enorme perturbação econômica causada pela pandemia, 80 dispensários de cannabis para uso adulto foram abertos em Illinois ao longo de 2020. As informações são do Chicago Tribune

O ano de 2020 amanheceu com milhares de pessoas em fila, algumas já durante a noite, esperando para estar entre as primeiras a comprar maconha recreativa legal em Illinois, nos EUA.

À medida que o longo e estranho ano chegava ao fim, as pessoas faziam fila em bancos de alimentos, para obter swabs nasais de coronavírus e, em alguns casos, estar entre os primeiros a receber uma vacina que pode marcar o início do fim da pandemia de Covid- 19.

site sb Vendas de maconha em Illinois (EUA) chegam a US$ 1 bi no primeiro ano de regulação do uso social

E as pessoas ainda estão comprando maconha. Muita maconha.

Apesar da enorme perturbação econômica causada pela pandemia, 80 dispensários de cannabis para uso adulto foram abertos em Illinois e os negócios estão a caminho de chegar a US$ 1 bilhão em 2020, incluindo as vendas de maconha medicinal.

O setor pode ficar muito maior em 2021, com mais municípios recebendo varejistas de maconha e 30 dispensários ainda a abrir de acordo com a legislação inaugural do estado. Um sorteio planejado para conceder 75 novas licenças recreativas também deve avançar depois que o estado concordou em dar a centenas de candidatos malsucedidos uma segunda chance de se qualificarem.

À medida que dezenas de novas lojas abrem nas principais ruas e centros comerciais de todo o estado, espera-se que a demanda do cliente seja alimentada por novos usuários, como “mães do futebol” suburbanas, idosos voltando à maconha e bebedores sociais prontos para trocar sua cerveja ou vinho por buds.

“O segmento de consumidores cresce por causa dos ‘cannacuriosos’, aqueles que não experimentaram cannabis ou precisam ser introduzidos a produtos regulamentados, tornando-se consumidores ativos — não por consumidores existentes aumentando a quantidade que estão consumindo”, disse Jason Erkes, porta-voz da Cresco Labs, com sede em Chicago, uma das maiores empresas de maconha dos EUA.

Quando Illinois legalizou a maconha para uso adulto em 1º de janeiro de 2020, permitiu que cada um dos 55 dispensários médicos adicionasse vendas para uso social em seu local existente e abrisse um segundo local de uso adulto, criando até 110 dispensários.

No primeiro dia da era da maconha recreativa, havia 37 dispensários abertos em todo o estado. Esse total mais do que dobrou ao longo do ano.

Illinois licenciou 80 dispensários de uso adulto até essa semana, de acordo com Paul Isaac, porta-voz do Departamento de Regulamentação Financeira e Profissional, que regula dispensários no estado.

Encher as prateleiras da lista crescente de dispensários do estado fica a cargo dos 21 centros de cultivo licenciados em Illinois — a maconha vendida em Illinois deve ser cultivada localmente — com licenças para 40 cultivadores artesanais menores ainda a serem concedidas.

Illinois gerou quase US$ 106 milhões em vendas combinadas de maconha medicinal e para uso adulto em novembro, ultrapassando US$ 913 milhões com um mês para o primeiro ano de vendas de cannabis para uso adulto, de acordo com o estado.

As três maiores empresas de maconha em Illinois — Cresco, Green Thumb e Verano Holdings — têm uma participação no negócio nascente da semente à venda e estão todas se preparando para um crescimento explosivo em 2021.

Ben Kovler, fundador e CEO da Green Thumb, projeta que Illinois atingirá US$ 140 milhões por mês em vendas combinadas em 2021, chegando a US$ 250 milhões por mês, ou cerca de US$ 3 bilhões por ano, conforme o mercado amadurecer nos próximos anos.

O crescimento das vendas virá de novos clientes que se parecem mais com idosos suburbanos do que maconheiros do segundo ano, disse Kovler.

“Não é um homem de 20 anos com um bong em um dormitório”, disse Kovler. “É uma mulher com mais de 50 anos — esse é o novo cliente dominante. Minha mãe e pessoas de sua geração, que estão tendo problemas para dormir”.

Kovler disse que a Green Thumb tem como alvo um amplo grupo demográfico de novos usuários, desde idosos que precisam de analgésicos até millennials que procuram um “lubrificante social” alternativo ao vinho ou cerveja.

Quase 30% das pessoas em estados onde a cannabis é legal vê a erva como um substituto do álcool, de acordo com a empresa de pesquisas Euromonitor, que projeta que as vendas legais de cannabis vão para mais do que o triplo, para US$ 98 bilhões globalmente até 2025.

As vendas de vinho nos Estados Unidos chegaram a US$ 72 bilhões no ano passado, de acordo com Andrew Adam, editor do Wine Analytics Report. Ele disse que as vendas devem cair cerca de 10% em 2020.

Em um cenário econômico nebuloso, uma estrela brilha em Illinois (EUA): a maconha

Kovler está preocupado que não haja erva suficiente para circular em 2021.

“Você precisa desenvolver mais capacidade”, disse Kovler. “Há uma demanda enorme — como uma demanda fora dos gráficos — e não há oferta suficiente”.

A Green Thumb, que reportou US$ 157 milhões em receita durante o terceiro trimestre, opera 51 lojas de varejo e 13 fábricas em 10 estados, incluindo duas em Illinois. Ela tem nove lojas de cannabis para uso adulto em Illinois, com planos de abrir sua 10ª em um local ainda a ser determinado na área de Chicago no primeiro trimestre.

Uma das concorrentes da Green Thumb, Cresco, já está esgotada em locais de varejo em Illinois. A empresa de capital aberto abriu seu 10º dispensário em Illinois na segunda quinzena de dezembro, em Naperville, o máximo permitido pela lei estadual.

Apenas três dispensários abriram loja em Naperville neste outono, com a Verano lançando uma loja Zen Leaf em 19 de dezembro e a Green Thumb inaugurando a Rise Naperville em outubro.

O subúrbio sudoeste inicialmente rejeitou as vendas de maconha para uso social em setembro de 2019, antes que a maioria dos eleitores apoiasse em um referendo de março.

A Cresco fabrica, distribui e opera 20 dispensários em seis estados sob a bandeira Sunnyside. O CEO e fundador Charlie Bachtell disse que Illinois precisa abrir mais dispensários para aumentar sua base de clientes e competir com a indústria de bebidas, que tem uma pegada de varejo muito mais ampla.

“Ainda é inconveniente”, disse Bachtell durante uma recente cúpula de investidores em cannabis. “Você ainda tem pessoas que estão dirigindo uma hora e meia para chegar a uma dessas instalações”.

A Cresco tem a ganhar com o aumento das lojas de maconha em Illinois, uma vez que sua atividade principal é a de fabricante e fornecedora de produtos de cannabis de marca para outros varejistas. A Cresco reportou US$ 153 milhões em vendas durante o terceiro trimestre, gerando uma receita significativa como atacadista para mais de 830 dispensários em todo o país.

A Cresco possui 16 instalações de cultivo e produção em nove estados, incluindo três em Illinois. As instalações de fabricação em Joliet, Kankakee e Lincoln fornecem 25% da oferta de cannabis no varejo de Illinois, disse Bachtell.

Outra participante importante no mercado local de cannabis, Verano, tem cinco dispensários em Illinois, incluindo um em Prospect Heights que abriu na terça-feira (29/12), com planos de abrir lojas em Evanston e Highland Park nos próximos meses. Amparada por uma fusão anunciada anteriormente, a Verano está expandindo para uma operação em 14 estados, com oito instalações de cultivo e 48 locais de varejo sob as marcas Zen Leaf e MUV.

A Verano anunciou planos em 15 de dezembro para ingressar na Cresco e na Green Thumb como empresas de capital aberto na Canadian Securities Exchange (bolsa de valores canadense). As empresas estão listadas no Canadá por que a maconha ainda é uma substância controlada pelo governo federal nos EUA.

Mas os ventos políticos estão mudando, com mais quatro estados aprovando a maconha recreativa em novembro. A erva agora é legal em 35 estados, incluindo 15 que permitem seu uso adulto.

Espera-se que o presidente eleito Joe Biden apoie a reforma da maconha, se não a legalização total, para ajudar a normalizar a indústria e alimentar sua expansão.

O mercado de maconha dos Estados Unidos ainda tem um longo caminho para crescer, com receitas estimadas entre US$ 15,5 bilhões e US$ 18,9 bilhões em 2020, de acordo com o anuário Marijuana Business Factbook. Isso colocaria Illinois em cerca de 6% das vendas totais de cannabis nos EUA.

Enquanto as empresas de maconha procuram cultivar novos consumidores, o maior impulso em Illinois para 2021 poderia vir das 75 novas licenças de varejo que estão no limbo legislativo. Uma loteria planejada para conceder as licenças foi suspensa em setembro depois que dezenas de candidatos entraram com um processo federal alegando que foram injustamente excluídos do processo de seleção.

O licenciamento deveria incorporar considerações de equidade social, como propriedade de minorias ou mulheres, serviço militar e aqueles que foram desproporcionalmente afetados pela guerra contra as drogas.

Em setembro, o estado concordou em dar aos candidatos uma segunda chance de se qualificarem para o sorteio, e o processo foi arquivado, abrindo as portas para uma nova safra de dispensários. A data da loteria ainda não foi anunciada, disse Isaac.

“Teremos mais 75 lojas para vender nossos produtos”, disse o porta-voz da Cresco, Erkes. “Isso muda drasticamente a estrutura de demanda no atacado do estado”.

Leia também:

Covid-19 prova a resiliência à recessão da indústria da cannabis

#PraCegoVer: em destaque, fotografia que mostra um rolo de notas de dólar preso com elástico junto a uma porção de flores de maconha, sobre uma superfície espelhada, em fundo escuro.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!