Vendas de cannabis atingem novos recordes nos EUA e no Canadá

flor seca notas Vendas de cannabis atingem novos recordes nos EUA e no Canadá

O aumento na demanda pode oferecer um descanso bem-vindo ao setor canábico depois que investidores venderam ações de maconha durante o ano passado. Com informações New York Post e tradução Smoke Buddies

As vendas de cannabis estão atingindo novos patamares, já que os clientes nos EUA e no Canadá armazenam maconha para se preparar para longos períodos de isolamento por causa da pandemia de coronavírus.

Entre 16 e 22 de março, as vendas de cannabis recreativa nos principais mercados dos EUA, incluindo Califórnia, Colorado, Oregon e Alasca, aumentaram 50% e as vendas de maconha medicinal aumentaram 41% em relação ao mesmo período do ano passado, números obtidos na plataforma de venda e dados de cannabis Flowhub.

Vários estados dos EUA e províncias do Canadá tomaram medidas para conter o coronavírus em rápida expansão, emitindo ordens de permanência em casa, restringindo as operações comerciais ou fechando as fronteiras conforme o número de mortos nos dois países se aproxima de 600.

Embora muitas empresas tenham sido fechadas, as lojas de cannabis foram listadas como serviços essenciais e podem permanecer abertas.

Leia: Crise de coronavírus mostra que maconha é essencial e mainstream

Em Ontário, a província mais populosa do Canadá, as vendas on-line no site da Ontario Cannabis Store (OCS) aumentaram nas últimas duas semanas, disse Daffyd Roderick, diretor de comunicações da OCS. Por exemplo, os pedidos do último fim de semana foram duas vezes mais altos do que apenas duas semanas atrás.

Na Nova Escócia, que no domingo se tornou a mais recente província a declarar uma emergência de coronavírus, as vendas de cannabis aumentaram 76% na semana passada, de acordo com a comissão de bebidas, que controla as vendas de cannabis na província.

O medo de meses de interrupções no fornecimento está aumentando as vendas no Canadá, disse Stuart Titus, CEO da Medical Marijuana Inc, com sede na Califórnia.

“Vimos estocagem no Canadá por consumidores que compraram produtos de produtores licenciados.”

O aumento na demanda pode oferecer aos produtores de maconha um descanso bem-vindo depois que os investidores venderam as ações de cannabis durante grande parte do ano passado, com os lucros no setor permanecendo indescritíveis.

Jamie Pearson, CEO da Bhang Inc, com sede na Califórnia, que fabrica bebidas, chocolates e outros produtos infundidos com cannabis, disse que as vendas estão crescendo e devem aumentar a receita e os lucros neste trimestre.

Pearson disse que produtos comestíveis como gomas, brownies e chocolates são os mais populares, provavelmente porque são mais fáceis de armazenar e comer, mesmo com luvas.

Ainda assim, Titus e outros recomendaram cautela, dizendo que a tão esperada reversão da fortuna poderia ser apenas um alívio de curta duração.

“O setor de cannabis está se mostrando à prova de recessão, mas, em momentos como este, é importante entender que o aumento da demanda do consumidor provavelmente não vai durar muito”, disse Avis Bulbulyan, CEO da empresa de consultoria de cannabis Siva Enterprises.

Leia também:

Covid-19 impulsiona vendas de maconha na América do Norte e ações do setor sobem

#PraCegoVer: em destaque, foto em plano fechado, tirada com a câmera inclinada lateralmente, que mostra dois buds secos de maconha sobre notas de dinheiro, e um fundo escuro, com alguns feixes de luz branca, vistos à direita. Foto: themadpothead | Flickr.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!