Muitos usuários de maconha preferem a cannabis a medicamentos prescritos

maconha terceira idade idosos Muitos usuários de maconha preferem a cannabis a medicamentos prescritos

Novo estudo da Universidade de Michigan revelou que quase 80% dos usuários de maconha entrevistados usufruem dos benefícios terapêuticos da erva para tratar alguma condição médica e mais de 40% pararam de tomar um remédio tradicional.

À medida que mais estados legalizam o consumo de cannabis, muito mais pessoas provavelmente usarão a maconha medicinal como suplemento ou substituição de medicamentos prescritos, diz um pesquisador da Universidade de Michigan (UM).

Um novo estudo realizado por Daniel Kruger, do Instituto de Pesquisa Social da UM, descobriu que 44% dos usuários de cannabis medicinal pararam de tomar um remédio farmacêutico ou usaram menos de um, em favor da maconha.

lazy placeholder Muitos usuários de maconha preferem a cannabis a medicamentos prescritos

Kruger e a co-autora Jessica Kruger, professora assistente clínica da Universidade de Buffalo, conduziram o estudo para avaliar as atitudes e o uso de cannabis medicinal e do sistema de saúde convencional – médicos ou hospitais – entre usuários de maconha.

Em geral, as pessoas usam maconha medicinal para tratar a dor, problemas nas costas, depressão e dores de cabeça. Quase um terço dos participantes do estudo (30%) disseram que seu principal fornecedor de serviços de saúde não sabia que eles usavam cannabis medicinal, indicando lacunas entre os dois sistemas de tratamento.

 

lazy placeholder Muitos usuários de maconha preferem a cannabis a medicamentos prescritos

Os pesquisadores administraram pesquisas a 450 adultos que se identificaram como usuários atuais de maconha em um evento público anual que defende a reforma da legislação sobre a maconha. O evento ocorreu na UM, em um estado onde o uso medicinal de cannabis se tornou legal em 2008.

Das 392 respostas utilizáveis, a maioria (78%) relatou o uso de maconha para ajudar a tratar uma condição médica ou de saúde. Os usuários também tinham mais confiança na cannabis medicinal em comparação com os cuidados de saúde tradicionais, em parte porque avaliam melhor a cannabis do que os medicamentos farmacêuticos quanto à eficácia, efeitos colaterais, disponibilidade e custo.

“Este estudo avança o conhecimento na abordagem baseada em evidências para a redução de danos e promoção de benefícios em relação à cannabis medicinal”, disse Daniel Kruger, membro do Instituto para Política de Saúde e Inovação da UM. “Dado o uso crescente de cannabis para fins médicos e o uso generalizado para fins de recreação, apesar da criminalização, a atual estrutura de saúde pública focada principalmente na abstinência de cannabis parece obsoleta.”

Os resultados aparecem na edição atual do Journal of Psychoactive Drugs.

Leia também:

Maconha legal continua reduzindo medicamentos prescritos

#PraCegoVer: fotografia (capa) das mãos de uma pessoa, que está à frente da câmera, juntas em formato de concha e repletas de flores de maconha em tons de verde, laranja e púrpura.

 

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!