Uso de cannabis pode estar ligado a anormalidades sutis na produção da fala

homem bone baseado Uso de cannabis pode estar ligado a anormalidades sutis na produção da fala

Estudo realizado por pesquisadores australianos descobriu que os consumidores de cannabis tendiam a exibir intensidade vocal diminuída e esforço vocal aumentado na leitura de um texto foneticamente balanceado. As informações são do PsyPost

O uso de cannabis pode estar associado a mudanças sutis de longa duração na fala, de acordo com uma nova pesquisa exploratória publicada na revista Drug and Alcohol Dependence.

A cannabis parece ter efeitos duradouros na função motora, incluindo alterações na maneira como as pessoas andam. Como a fala é uma habilidade motora complexa que envolve o controle de vários músculos, os pesquisadores afiliados ao Grupo de Neurofisiologia do Movimento Humano começaram a examinar se o uso de cannabis estava associado a alterações no tempo de fala, controle vocal e qualidade.

site sb Uso de cannabis pode estar ligado a anormalidades sutis na produção da fala

“A fala é sensível à saúde do cérebro. As mudanças que ocorrem com o uso de drogas podem levar a mudanças nos comportamentos e nos atos cognitivos/motores, mesmo em adultos saudáveis. O grupo de pesquisa da professora Gabrielle Todd está focado em identificar mudanças na função motora que podem ocorrer com o uso de drogas”, explicou o coautor do estudo Adam Vogel, professor e diretor do Centro de Neurociência da Fala da Universidade de Melbourne, na Austrália.

Leia também: Cannabis e TOC: o que a ciência diz?

O estudo comparou 31 adultos com histórico de uso adulto de cannabis com 40 adultos sem histórico de uso de drogas. Para melhor refletir a população típica de usuários de cannabis, os pesquisadores recrutaram pessoas que relataram o uso de cannabis de baixo a moderado. Os pesquisadores também garantiram que os usuários de cannabis não tinham histórico de uso de drogas opioides ou estimulantes ilícitos.

“Nós controlamos o consumo de álcool e cigarro em nossas coortes, então as diferenças que relatamos não são o resultado desses dois aspectos do orador”, observou Vogel.

 

 

 

Os participantes completaram cinco tarefas de fala: um monólogo despreparado de um minuto, uma vogal sustentada, repetindo pa-ta-ka o mais rápido e claramente possível por 10 segundos, dizer os dias da semana e ler um texto foneticamente balanceado conhecido como “The Grandfather Passage”. Cada tarefa foi registrada e examinada objetivamente por meio de análise acústica.

Vogel e seus colegas descobriram que os usuários de cannabis tendiam a exibir qualidade vocal reduzida na forma de intensidade vocal diminuída e esforço vocal aumentado ao ler “The Grandfather Passage”.

Saiba mais: Estudo revela que ligação entre canabinoides e aprendizagem não é neural

“Pode haver alterações na função neurológica decorrentes do uso prolongado de cannabis e estas podem se manifestar em alterações sutis na fala. Essas mudanças provavelmente não são detectáveis ​​ao ouvido humano, mas requerem métodos especializados para a identificação das pequenas, mas potencialmente genuínas, mudanças no desempenho”, disse Vogel ao PsyPost.

Os pesquisadores também descobriram que os usuários de cannabis produziram uma fala com maior variabilidade na duração da pausa e eram menos propensos a manter uma intensidade constante de vocalizações em comparação com os não usuários. Mas essas diferenças não eram mais significativas após a aplicação de uma correção estatística conhecida como ajuste da taxa de descoberta falsa, não deixando claro se a cannabis afeta ou não essas características da fala.

Pesquisas futuras utilizando um desenho longitudinal podem ajudar a determinar quais são os efeitos da cannabis na produção da fala.

Os dados deste estudo são derivados de um único momento, ou seja, os sujeitos não foram acompanhados ao longo do tempo. Estamos fazendo suposições de que as diferenças que observamos entre os grupos (cannabis vs não usuários de drogas) foram o resultado do uso de cannabis e não algo que não contabilizamos”, disse Vogel.

O estudo, “Adultos com histórico de uso recreativo de cannabis tiveram alteração na produção da fala“, foi escrito por Adam P. Vogel, Verity Pearson-Dennett, Michelle Magee, Robert A. Wilcox, Adrian Esterman, Dominic Thewlis, Jason M. White e Gabrielle Todd.

Leia também:

Estudo: pacientes com enxaqueca crônica têm melhorias com uso de cannabis

#PraTodosVerem: fotografia, em close e perfil, de um homem de barba e boné preto que aparece com a cabeça inclinada para trás e um baseado aceso à boca, onde também se vê uma formação rochosa de cor escura e algumas plantas, ao fundo. Imagem: Maria Fernanda Pissioli | Unsplash.

smokebuddies logo2 Uso de cannabis pode estar ligado a anormalidades sutis na produção da fala

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!