Uso abusivo de maconha pode causar envelhecimento acelerado do cérebro, diz estudo

esquizofrenia maconha n  o causa Uso abusivo de maconha pode causar envelhecimento acelerado do cérebro, diz estudo

Estudo recente de tomografias cerebrais produziu resultados que surpreenderam os pesquisadores: o uso abusivo de maconha é uma das condições que mais apresenta envelhecimento cerebral acelerado.

Os efeitos de distúrbios como depressão, demência, uso de substâncias e ansiedade no envelhecimento cerebral foram testados por cientistas da Amen Clinics, Google, John’s Hopkins University, UCLA e UC San Francisco. Os pesquisadores analisaram mais de 60.000 tomografias de mais de 30.000 pessoas, com idade entre 9 meses e 105 anos, para o maior estudo de imagens cerebrais conhecido, publicado pelo Journal of Alzheimer’s Disease.

O estudo examinou as tomografias dos pacientes de uma grande clínica psiquiátrica, onde havia muitos distúrbios psiquiátricos diferentes. A tomografia computadorizada por emissão de fóton único (SPECT, nas siglas em inglês) avalia o fluxo sanguíneo no cérebro.

Os pesquisadores  estudaram 128 regiões do cérebro e descobriram que vários distúrbios e comportamentos cerebrais são indícios de envelhecimento acelerado do cérebro. A esquizofrenia ficou em primeiro lugar, apresentando uma média de quatro anos de envelhecimento prematuro, seguida do uso abusivo de cannabis que apresentou uma média de 2,8 anos, o transtorno bipolar com 1,6 anos e o TDAH 1,4 anos.

“A descoberta sobre o abuso de cannabis foi especialmente importante, pois nossa cultura está começando a ver a maconha como uma substância inócua”, disse o Dr. Daniel G. Amen, autor principal. “Este estudo deve nos dar uma pausa sobre isso”.

Curiosamente, os pesquisadores não observaram o envelhecimento acelerado nos participantes com depressão.

Leia também:

Maconha e Cérebro: animação mostra os benefícios e o que acontece quando fumamos a erva

#PraCegoVer: fotografia (de capa) de uma flor de maconha sobre uma superfície que tem a ilustração de um cérebro.

Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!

Deixe seu comentário