O tumulto sobre a propriedade da loja de maconha de Shawn Kemp destaca problemas de diversidade da indústria

shawn kemp O tumulto sobre a propriedade da loja de maconha de Shawn Kemp destaca problemas de diversidade da indústria

De acordo com uma autoridade do Estado de Washington, os atuais proprietários do dispensário estão adicionando o ex-astro da NBA como proprietário de 5%. As informações são do MJBizDaily

A confusão recente sobre o anúncio atabalhoado de que um ex-astro do esporte foi o primeiro negro proprietário de uma loja de maconha em Seattle destaca a falta de diversidade no mercado de cannabis da cidade, um problema em andamento no estado de Washington e na indústria de maconha.

Shawn Kemp, que jogou a maior parte de sua carreira na National Basketball Association em Seattle, ainda não é o primeiro negro proprietário de um dispensário de maconha naquela cidade — como foi amplamente promovido em um comunicado à imprensa e reportagens da mídia em outubro.

lazy placeholder O tumulto sobre a propriedade da loja de maconha de Shawn Kemp destaca problemas de diversidade da indústria

Mas ele está sendo adicionado à propriedade da loja e será um proprietário de pequena porcentagem quando a papelada for processada, de acordo com os reguladores estaduais.

Paula Sardinas, uma lobista da Comissão de Assuntos Afro-americanos do estado de Washington, apontou que a quantidade de atenção que a abertura desta loja recebeu é mais uma prova de que mais esforços são necessários para alcançar a equidade social na indústria de cannabis do estado.

“Precisamos examinar as barreiras de acesso”, disse ela. “E precisamos estar comprometidos em diminuir essas barreiras”.

A loja de cannabis de Shawn Kemp abriu em 30 de outubro depois que um comunicado à imprensa foi enviado por engano promovendo o ponto de venda como o primeiro varejista de maconha de propriedade de negros em Seattle.

Leia: Lenda da NBA, Shawn Kemp abre primeira loja de maconha de propriedade negra em Seattle

Isso levou a notícias conflitantes e reclamações de autoridades da indústria de cannabis do estado de Washington que apontaram que o nome de Kemp não estava na licença comercial inicial.

Posteriormente, a empresa respondeu com uma postagem em seu site dizendo: “Esta declaração não deveria ter sido divulgada. Como resultado, causou grande distração às intenções desta loja”.

O nome de Kemp foi adicionado à licença no site do secretário de estado de Washington. No entanto, seu nome ainda não está na licença com o mesmo número de identificação comercial no site do Departamento de Receita do estado.

De acordo com Brian Smith, porta-voz do Conselho de Licores e Cannabis do Estado de Washington, os atuais proprietários da loja estão adicionando Kemp como proprietário de 5%.

“No geral, o Sr. Kemp é a primeira pessoa em Seattle a se identificar como ‘negro ou afro-americano’ entre os proprietários de lojas de varejo em Seattle”, escreveu Smith em um e-mail para o Marijuana Business Daily.

Smith acrescentou que os proprietários se identificaram como brancos, asiáticos e negros após a adição de Kemp. A propriedade majoritária é branca.

Kemp, um novato na indústria e seis vezes NBA All-Star com o extinto Seattle Supersonics, está fazendo parceria com Matt Schoenlein e Ramsey Hamide — dois dos cofundadores da varejista de cannabis Main Street Marijuana com sede em Seattle — assim como John Davis, Chelsea Dew e Tran Du.

“Meu nome está nesta empresa e tenho trabalhado muito para trazer a Shawn Kemp’s Cannabis para a fruição”, disse Kemp em um comunicado à imprensa. “Tenho parceiros incríveis em Matt Schoenlein e Ramsey Hamide”.

KD Hall, porta-voz da Shawn Kemp’s Cannabis, admitiu que o comunicado à imprensa inicial era “impreciso”, mas se recusou a comentar sobre a porcentagem de propriedade de Kemp. “Achamos que não é da conta de ninguém”, acrescentou Hall.

A declaração a seguir foi postada no site da Shawn Kemp’s Cannabis:

“Entendemos que há uma grande dor contínua na comunidade e, particularmente, na comunidade negra bem aqui no coração de Seattle e em todo o país.”

“Lamentamos o texto infeliz e o erro desse comunicado de imprensa, que causou mais mal-entendidos na comunidade local”.

A Shawn Kemp’s Cannabis é um novo negócio que assumiu uma licença existente.

Portanto, a licença comercial não veio do conjunto de licenças de cannabis detidas por equidade social, disse Sardinas.

No comunicado do site, Shawn Kemp’s Cannabis disse que se vê como uma “incubadora de equidade social” onde pessoas de cor e mulheres podem treinar para se tornarem donas de lojas de cannabis de sucesso, uma parte do movimento de equidade social que os defensores costumam defender.

“Queremos fazer a nossa parte para ajudar a aumentar a diversidade na indústria”, observa o comunicado.

De acordo com a porta-voz Hall, a empresa tem uma estratégia para abrir mais quatro lojas, e a propriedade de Kemp aumentará com essas novas lojas.

Leia também:

Da NBA à cannabis: como Al Harrington está mudando a indústria para pessoas negras

#PraCegoVer: em destaque, fotografia que mostra a pintura mural feita na fachada do dispensário, onde se vê desenhos de Shawn Kemp atuando pelo Supersonics, em fundo em tons de verde. Arte: Jeff Jacobson. Foto: divulgação.

lazy placeholder O tumulto sobre a propriedade da loja de maconha de Shawn Kemp destaca problemas de diversidade da indústria

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!