Triatlo dos EUA fecha acordo de patrocínio com empresa de CBD

usa triathlon Triatlo dos EUA fecha acordo de patrocínio com empresa de CBD

A direção do USA Triathlon informou que o órgão se sentiu confortável com a empresa de CBD porque a mesma controla o processo de fabricação desde o início e testa os produtos cinco vezes durante a produção para garantir que não tenham THC. As informações são do NYT

A adesão da indústria dos esportes aos produtos de cannabis continua a evoluir, pois o USA Triathlon se tornou o primeiro órgão governamental nacional de um esporte estadunidense a fazer um acordo de patrocínio com uma empresa que vende produtos que contêm canabidiol, ou CBD.

O CBD é um composto não-intoxicante que, como o composto intoxicante THC, é encontrado em quantidades variáveis ​​no cânhamo, uma planta de cannabis legal. Em 2018, a Agência Mundial Antidoping removeu o CBD de sua lista de substâncias proibidas. O THC e vários outros canabinoides permanecem na lista proibida, mas, ao remover o CBD, a WADA abriu a porta para os atletas de elite usarem e endossarem os produtos de CBD.

Diz-se que os benefícios do CBD incluem a prevenção de dor e inflamação, alívio do estresse e ansiedade e até o auxílio da digestão. Os produtos de CBD estão disponíveis em várias formas, incluindo óleos e loções .

Os termos financeiros do contrato de quatro anos entre o USA Triathlon e o Pure Spectrum, com sede no Colorado, não foram divulgados. O acordo veio menos de um ano depois que o Congresso aprovou o Farm Bill, que legalizou o cânhamo. O cultivo da planta era ilegal há muitos anos. Desde então, as organizações esportivas caminham na ponta dos pés em direção ao CBD e seus negócios em crescimento. Grande parte da população sabe pouco sobre o CBD. Alguns ainda o associam aos usos mais ilícitos da maconha, que permanece ilegal no nível federal e em muitos estados, mesmo que tenha sido descriminalizada em alguns.

O contrato exclusivo do USA Triathlon com a Pure Spectrum ajudará o relativamente pequeno órgão nacional a apoiar o crescimento do esporte, enquanto tenta manter os honorários de corridas e outros custos associados ao triatlo em um nível razoável.

A participação de membros no USA Triathlon caiu cerca de 25% entre 2013 e 2018. O interesse pelo esporte aumentou significativamente depois que se tornou parte das Olimpíadas de 2000, mas diminuiu nos últimos anos por várias razões, embora os impulsionadores do triatlo digam que reverteram essa tendência.

O USA Triathlon tem uma receita anual de cerca de US$ 16 milhões. Cerca de US$ 2 milhões, ou aproximadamente de 12% a 15%, provêm de patrocínios.

Atletas de todos os níveis – que costumam serem os primeiros a adotar qualquer coisa que possa ajudar as pessoas a se sentirem melhor, se recuperarem de treinos ou melhorarem o desempenho – adotaram o CBD. Rocky Harris, executivo-chefe do USA Triathlon, disse que o movimento para abraçar o CBD entre os participantes do esporte levou sua organização a um esforço de seis meses para determinar os riscos e benefícios reais do CBD e se o USA Triathlon poderia buscar ganhar dinheiro com responsabilidade através de um acordo de patrocínio com uma empresa de CBD.

“Nós precisávamos poder dizer que, se você usar este produto, você não falhará no teste de droga”, disse Harris.

O USA Triathlon não é a única organização esportiva que tem um relacionamento com uma empresa de CBD. O Ultimate Fighting Championship e o CrossFit também o fazem. No entanto, o risco de um órgão governamental nacional de um esporte olímpico é maior porque essas organizações precisam cumprir todos os regulamentos da WADA e se submeterem aos mais intensos protocolos de testes de drogas. Organizações atléticas de controle privado, como as principais ligas esportivas americanas, podem optar por criar suas próprias regras e políticas de drogas.

Harris disse que o USA Triathlon finalmente se sentiu confortável com a Pure Spectrum porque a empresa controla o processo de fabricação desde o início e testa os produtos cinco vezes durante a produção para garantir que eles não tenham THC. A Pure Spectrum oferece CBD como loções, óleos e tinturas. Ela parou de vender produtos para vapes na semana passada por causa de preocupações crescentes com a saúde.

Brady Bell, diretor executivo da empresa, disse que a Pure Spectrum tem como alvo atletas de elite e consumidores com estilos de vida ativos desde a sua fundação em 2015.

“Entendo o que esses atletas passam diariamente, desde o estresse que antecede uma competição, ou treinamento, até a experiência de colapso de seus corpos”, disse ele. “Qual mercado melhor para provar isso do que os mais saudáveis ​​e instruídos atletas?”.

Durante o ano passado, várias personalidades notáveis ​​dos esportes estabeleceram relacionamentos com empresas de CBD ou reconheceram experimentar os produtos. Eles incluem Steve Kerr, treinador do Golden State Warriors; John Isner, do tênis; Bode Miller, do esqui; e Bubba Watson, do golfe.

O uso do CBD não é totalmente isento de riscos. Nem toda empresa é exigente em garantir que seus produtos estejam livres do composto proibido THC, e alguns procedimentos de teste podem não ser capazes de determinar se uma substância é CBD ou THC.

“É muito difícil ter 100% de certeza de que os produtos de CBD não contêm THC”, disse Danielle Eurich, porta-voz da Agência Antidoping dos Estados Unidos, que incentiva qualquer atleta que considere o uso de um produto de CBD a consultar as diretrizes da USADA, no site da organização.

O THC permanece na lista proibida porque atende a pelo menos dois dos três critérios de proibição – oferecer o potencial de melhorar excessivamente o desempenho, representar um risco à saúde e violar o espírito do esporte.

O THC, assim como outros compostos da cannabis, pode diminuir o estresse e a ansiedade, potencialmente melhorando o desempenho. Ele também pode ser prejudicial à saúde de uma pessoa e pode ser considerado uma violação do chamado espírito do esporte, porque a cannabis é ilegal em muitos lugares.

No entanto, as autoridades antidoping já não fazem teste para cannabis fora de competição e aumentaram o limiar para compostos de cannabis que resultam em uma violação. Além disso, está listada entre as drogas recreativas que têm menor pena.

Harris e Bell disseram estar confiantes de que qualquer pessoa que use produtos da Pure Spectrum não apresentará resultados positivos para THC.

“Temos centenas de atletas usando nosso produto e mais de 1.000 membros das forças armadas”, disse Bell. “Entendemos que estamos lidando com os meios de subsistência dessas pessoas”.

Harris disse que as pesquisas realizadas antes do acordo permitiram que a federação respondesse às perguntas recebidas dos triatletas de todos os níveis sobre os benefícios e riscos do CBD em comparação com outras formas de medicina.

“Os atletas preferem não tomar medicamentos prescritos”, disse Harris. “Eles querem orgânicos e saudáveis. Eles querem encontrar algo mais natural ”.

Tradução: Joel Rodrigues | Smoke Buddies.

Leia também:

Muitos atletas dizem que o CBD é um analgésico melhor. Isso é verdade?

#PraCegoVer: fotografia (de capa) em vista inferior de uma pessoa que está de costas para a câmara, enquanto corre durante realização do triatlo, próximo à linha de chegada, que pode ser vista ao fundo. No lado direito da foto, pode-se ver o logo do USA Triathlon. Foto: Greater Cleveland Sports Commission.

lazy placeholder Triatlo dos EUA fecha acordo de patrocínio com empresa de CBD

Sobre Smoke Buddies

O Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!

Deixe seu comentário