Toxinas encontradas na fumaça da maconha podem ser prejudiciais à saúde, segundo estudo

baseado enorme weed Toxinas encontradas na fumaça da maconha podem ser prejudiciais à saúde, segundo estudo

Indivíduos que fumaram somente cannabis apresentaram maiores níveis no sangue e na urina de toxinas relacionadas ao fumo do tabaco do que os não fumantes. As informações são da CNN

Fumar maconha pode expô-lo ao mesmo tipo de produtos químicos tóxicos encontrados na fumaça do tabaco, descobriu um novo estudo.

Pessoas que fumaram somente maconha apresentaram níveis mais elevados no sangue e na urina de várias toxinas relacionadas ao fumo, como naftaleno, acrilamida e acrilonitrila, do que os não fumantes, de acordo com o estudo publicado nesta segunda-feira na revista EClinicalMedicine.

site sb Toxinas encontradas na fumaça da maconha podem ser prejudiciais à saúde, segundo estudo

O naftaleno está associado a anemia, danos hepáticos e neurológicos, enquanto a acrilamida e a acrilonitrila foram associadas ao câncer e a outros problemas de saúde.

“O uso de maconha está aumentando nos Estados Unidos, com um número crescente de estados legalizando-a para fins médicos e não médicos — incluindo cinco estados adicionais na eleição de 2020”, disse a autora sênior Dra. Dana Gabuzda, investigadora principal em imunologia do câncer e virologia no Dana-Farber Cancer Institute, em Boston, em um comunicado.

“O aumento renovou as preocupações sobre os efeitos potenciais à saúde da fumaça da maconha, que é conhecida por conter alguns dos mesmos produtos tóxicos da combustão encontrados na fumaça do tabaco”, disse Gabuzda.

 

 

 

Leia mais: Fumar maconha pode causar câncer de pulmão?

Fumantes de tabaco

A nova pesquisa apresentou dados de três estudos com 245 participantes soropositivos e soronegativos. Os pesquisadores disseram que optaram por estudar as pessoas com infecção pelo HIV por causa da alta prevalência de tabaco e maconha tipicamente encontrada nesta população.

Os registros médicos foram comparados a amostras de sangue e urina de vários produtos químicos produzidos pela quebra da nicotina ou pela combustão do tabaco ou da maconha.

Fumantes de tabaco e maconha com tabaco apresentaram níveis mais elevados de naftaleno, acrilamida e acrilonitrila do que fumantes exclusivamente de maconha. Os fumantes de tabaco também apresentaram níveis aumentados de uma substância química chamada acroleína no sangue e na urina. A acroleína é um contribuinte conhecido para doenças cardiovasculares em fumantes de tabaco.

Os fumantes de maconha, no entanto, não tinham níveis mais elevados de acroleína em seus corpos.

“Este é o primeiro estudo a comparar a exposição à acroleína e outros produtos químicos nocivos relacionados ao fumo ao longo do tempo em fumantes exclusivos de maconha e fumantes exclusivos de tabaco, para ver se essas exposições estão relacionadas a doenças cardiovasculares”, disse Gabuzda.

A acroleína é uma substância química com um odor doce, pungente e queimado, criada pela queima de combustíveis como gasolina ou óleo e matéria orgânica como o tabaco. O produto químico não é adicionado aos cigarros; a acroleína é produzida pela queima de açúcares presentes no tabaco quando fumado.

A exposição de curto prazo à acroleína pode causar irritação e congestão do trato respiratório superior. Em níveis extremos, pode ser tóxico para humanos após exposição por inalação, oral ou cutânea, de acordo com a Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos EUA.

Leia mais: O hábito de fumar pode não ser mais o mesmo depois da pandemia

Fumantes de maconha

Enquanto os fumantes de maconha tinham maiores quantidades de naftaleno, acrilamida e acrilonitrila no sangue e na urina do que os não fumantes, níveis ainda mais altos foram encontrados em pessoas que fumavam tabaco ou uma combinação de maconha e tabaco.

A acrilamida é um produto químico usado para fazer papel, plásticos e tinturas, mas também é produzida quando vegetais como batatas são aquecidos a altas temperaturas. Também é um componente da fumaça do tabaco.

“As pessoas são expostas a substancialmente mais acrilamida da fumaça do tabaco do que dos alimentos. Pessoas que fumam têm níveis três a cinco vezes maiores de marcadores de exposição à acrilamida no sangue do que os não fumantes”, afirmou o Instituto Nacional do Câncer dos EUA.

De acordo com a Sociedade Americana do Câncer, a Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer classifica a acrilamida como um “provável carcinógeno humano”, enquanto o Programa Nacional de Toxicologia dos EUA afirma que é “razoavelmente antecipado para ser um carcinógeno humano”, com base em estudos em animais.

A acrilonitrila é normalmente usada na fabricação de plásticos e fibras. “O tabagismo pode ser uma fonte significativa de poluição do ar interior por acrilonitrila”, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

Os sintomas de envenenamento por acrilonitrila incluem “fraqueza nos membros, respiração difícil e irregular, tontura e julgamento prejudicado, cianose, náusea, colapso e convulsões”, disse a EPA. E um “aumento estatisticamente significativo na incidência de câncer de pulmão foi relatado em vários estudos de trabalhadores cronicamente expostos”.

A EPA classifica a acrilonitrila como um “provável cancerígeno humano”.

O naftaleno, usado nas bolinhas de naftalina, pode causar “dor de cabeça, náusea, vômito, diarreia, mal-estar, confusão, anemia, icterícia, convulsões e coma”, de acordo com a EPA.

As maiores concentrações de naftaleno no ar interno ocorrem nas casas dos fumantes, disse o CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças) dos EUA.

Leia também:

380.000 pessoas que não se consideram fumantes fumam cannabis regularmente, na Grã-Bretanha

#PraCegoVer: em destaque, foto em close-up que mostra uma pessoa, com óculos escuros de armação verde, fumando um baseado gigante, com sua ponta no primeiro plano em foco e de onde sai uma fumaça branca densa que se mistura à expelida pela boca. Foto: Weed Streetwear | Flickr.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!