Tico Santa Cruz é chamado de maconheiro após vídeo contra movimento antivacina

tico santa cruz Tico Santa Cruz é chamado de maconheiro após vídeo contra movimento antivacina

Segundo o músico, a publicação foi uma estratégia para alertar sobre a teoria da conspiração da vacina contra Covid-19 que está circulando em aplicativos de mensagens

Nesta sexta-feira (22), o músico Tico Santa Cruz publicou um vídeo sobre a vacinação contra a Covid-19 em seu Facebook que causou polêmica e viralizou na internet.

Na publicação, o vocalista da banda Detonautas diz que está isolado com medo de informações que recebeu sobre a vacina.

site sb Tico Santa Cruz é chamado de maconheiro após vídeo contra movimento antivacina

“Já começaram as primeiras vacinações… eu fiquei sabendo que uma pessoa muito próxima, que é do grupo prioritário, recebeu a vacina e aí cinco dias depois começou a apresentar uma descamação no pé. Nessa descamação no pé (e falaram por aí que as pessoas iam virar jacaré pra poder jogar uma cortina de fumaça no que de fato é a verdade) vai abrindo uma espécie de ferida que, por baixo dessa ferida, depois desses três a cinco dias, nasce uma pele como se fosse uma pele de um réptil, e essa pele de réptil vai nascendo por todo o seu tecido, por baixo da sua pele, e essa é maneira que encontraram pra conseguir identificar as pessoas que receberam esse plasma, que é como se fosse um chip mas é um plasma (é um chip em forma de plasma), para que as pessoas sejam controladas via uma inteligência alienígena que está aportada em uma nave muito próximo do planeta”, diz um trecho do vídeo.

Na sequência, Santa Cruz falou em seu Tweet que poderiam chamar ele de maconheiro à vontade, pois ele está aplicando em ações de cannabis para uso medicinal e adulto em países que já legalizaram ou estão em processo de legalizar. “Com a Vitória de Biden e os Democratas ganhando maioria no Congresso americano, as ações já melhoraram, e a tendência é que subam muito quando o Senado votar. Falta pouco”, comentou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia mais: Dispensário de Michigan (EUA) oferece maconha gratuita a quem se vacinar contra a Covid-19

Na manhã deste sábado, o músico fez uma transmissão dizendo que o vídeo foi uma estratégia para alertar sobre a teoria da conspiração sobre a vacina contra a Covid-19 que está circulando no Whatsapp e sendo compartilhada por grupos antivacina.

“Quando é um grupo desses bolsonaristas, dessas pessoas fundamentalistas, espalhando esse tipo de mentira, passa uma certa credibilidade e algumas pessoas chegam a acreditar nessas coisas. O próprio presidente falar que a vacina não tem eficácia ou que se você tomar a vacina vai virar jacaré… as pessoas não chamam o presidente de maconheiro, que ele tá louco”, disse Santa Cruz.

Ele ainda pontuou sobre o quanto o estereótipo do emissor influencia quando as pessoas avaliam a veracidade da mensagem: “Quando eles recebem isso do Olavo de Carvalho, do Rodrigo Constantino, do Eduardo Bolsonaro, de pessoas que são antivacina, anticiência, negacionistas, aí eles acham razoável… Cara tatuado, artista, é doidão, maconheiro, drogado, tá surtado, enlouqueceu…”.

Leia também:

Empresas de maconha avaliam como abordar a vacinação contra a Covid-19 para funcionários

#PraCegoVer: a imagem de capa é uma foto de Tico Santa Cruz, onde o músico aparece dos ombros para cima usando um boné preto virado pra trás. Crédito: divulgação.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!