Startup de software de cannabis arrecada US$ 11,5 mi em busca de negócios em tecnologia

flor close Startup de software de cannabis arrecada US$ 11,5 mi em busca de negócios em tecnologia

Empresas de tecnologia de cannabis como a Springbig fornecem uma maneira atraente para as firmas de capital de risco apostarem na indústria canábica. Saiba mais com as informações do Business Insider, traduzidas pela Smoke Buddies

Os investidores estão apostando alto na tecnologia de cannabis.

Springbig, uma plataforma de software para marcas de cannabis e dispensários, fechou uma rodada de financiamento da Série B de US$ 11,5 milhões na sexta-feira (7), disse a empresa ao Business Insider. A rodada foi liderada pela TVC Capital, uma empresa de risco focada em tecnologia com sede em San Diego, nos EUA, e incluiu o fundo de cannabis Denver Key Investment Partners. Isso eleva o financiamento total da Springbig para US $ 20,5 milhões.

lazy placeholder Startup de software de cannabis arrecada US$ 11,5 mi em busca de negócios em tecnologia

“Estávamos procurando principalmente um fundo de tecnologia para liderar essa rodada”, disse Jeffrey Harris, CEO da Springbig, em uma entrevista. “Isso não é nada contra os fundos de cannabis, nós amamos os fundos de cannabis”.

Mas como uma empresa de SaaS (software-as-a-service), Harris disse que a Springbig precisava de um investidor que conhecesse a área de software por dentro e por fora e pudesse aconselhar sobre o crescimento da startup.

“Apenas através do processo de due diligence, aprendi um monte de coisas que já estamos implementando apenas pelas perguntas que eles estavam nos fazendo”, disse ele.

Os parceiros da TVC Capital e da Key Investment se juntam a uma longa lista de patrocinadores da Springbig, incluindo Argonautic Ventures, Halley Venture Capital e Salex Capital, disse a empresa.

A maioria das empresas de capital de risco convencionais está proibida de investir diretamente em empresas de cannabis, uma vez que o THC, o principal composto psicoativo da planta, é ilegal em nível federal nos Estados Unidos.

Empresas de tecnologia de cannabis como a Springbig, entre outras, fornecem uma maneira atraente para as empresas de venture capital apostarem no lado positivo da indústria da cannabis, evitando muito do risco, uma vez que não cultivam ou vendem a planta.

Leia mais: Investimentos em cannabis são à prova de recessão, afirma empresa de dados do setor

Negociando e assinando um contrato virtualmente

Harris disse que começou a conversar com investidores sobre como levantar dinheiro em janeiro. No início de março, ele e sua equipe estavam negociando em dois pré-contratos separados, embora nenhum dos negócios tenha sido fechado quando o coronavírus e seus bloqueios associados começaram a crescer.

Em abril, Harris disse que começou a falar com a TVC depois que a empresa entrou em contato.

“No início, pensei que talvez devêssemos esperar um pouco”, disse Harris, já que a empresa ainda tinha dinheiro de seu último levantamento, um Série A de US$ 5 milhões em dezembro de 2018. Ele imaginou que teria mais sorte em encontrar investidores após a pandemia.

Em maio, sem nenhum sinal de que a pandemia estava diminuindo e depois de algumas conversas por Zoom com a TVC, eles começaram a trabalhar em um acordo. Eles chegaram a um acordo em meados de julho.

Ele disse que ainda não conheceu pessoalmente seus principais investidores, mas que o processo virtual correu bem.

As marcas de cannabis têm um ‘problema real’ em chegar aos clientes

Em termos de suas principais prioridades para o novo capital, Harris disse que a Springbig está lançando uma plataforma para as marcas de cannabis se envolverem com os clientes. Anteriormente, seu software estava disponível apenas para operadoras de dispensários de varejo — uma lista de clientes de cerca de 700 que inclui Green Thumb Industries, Curaleaf, Cresco Labs e outros, disse Harris.

Como as marcas de cannabis não podem anunciar no Google e em outras plataformas de mídia social, elas têm um “problema real” em chegar aos consumidores, disse Harris.

O novo software da Springbig ajudará as marcas de cannabis a atingirem os clientes diretamente em seu banco de dados por meio de mensagens de texto direcionadas, ao mesmo tempo em que se mantêm no lado certo dos regulamentos locais e estaduais em torno da publicidade de cannabis. Os varejistas, por sua vez, podem ver quais marcas estão vendendo mais ou gerando mais engajamento e estocar suas prateleiras de acordo, disse Harris.

Parte do novo dinheiro irá para formar uma equipe para trabalhar na plataforma da marca. Harris disse que já tem uma equipe de 10 pessoas trabalhando nisso, e a startup contratou 15 pessoas apenas nas últimas semanas.

No total, ele disse que a Springbig terá cerca de 100 funcionários até o final do ano, contra cerca de 70 agora.

Leia também:

Irlanda tem seu primeiro fundo de capital privado para cannabis medicinal

#PraCegoVer: em destaque, fotografia em close-up que mostra parte de uma flor de cannabis, podendo-se  ver seus pistilos de cor amarelo-claro e os tricomas por toda a superfície, e, na parte direita, outra flor desfocada  e um fundo escuro. Imagem: THCameraphoto.

lazy placeholder Startup de software de cannabis arrecada US$ 11,5 mi em busca de negócios em tecnologia

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!