70% dos consumidores de cannabis não ouviram falar de terpenos, segundo pesquisa

roxo escuro flores 70% dos consumidores de cannabis não ouviram falar de terpenos, segundo pesquisa

A pesquisa também observou que um em cada cinco consumidores não faz distinção entre o uso de cannabis para saúde, bem-estar e lazer. Com informações do Ganjapreneur e tradução Smoke Buddies

Uma pesquisa que examinou o perfil do “consumidor moderno de cannabis” da Oasis Intelligence constatou que 70% dos entrevistados não estavam familiarizados com os termos “terpenos” e “efeito comitiva”, apesar de uma recente pressão da indústria para comercializar os termos como pontos de diferenciação.

A cofundadora da Oasis Intelligence, Laura Albers, disse ao The Fresh Toast que as pessoas do setor “têm uma vantagem real quando se trata de entender a planta de uma perspectiva científica, regulatória e de uso que geralmente é um requisito para quem está no espaço”.

lazy placeholder 70% dos consumidores de cannabis não ouviram falar de terpenos, segundo pesquisa

“No entanto, quando se trata do consumidor médio, vemos que as necessidades de educação não são sobre tópicos mais avançados que a indústria pode priorizar — pense em terpenos, pequenos canabinoides ganhando popularidade ou até mesmo o sistema endocanabinoide” — Albers ao The Fresh Toast.

Além disso, a empresa de insight de consumidores de cannabis descobriu que metade dos consumidores usa cannabis por razões médicas e de bem-estar, enquanto um em cada cinco não faz distinção entre o uso de cannabis para saúde, bem-estar e lazer.

Leia: Maioria dos usuários de cannabis tem pouco conhecimento sobre canabinoides, diz estudo

Quase metade dos consumidores — 48% — consumiu cannabis pela última vez com outra pessoa, parceiro ou amigo, e esses laços parecem impulsionar a forma como os consumidores obtêm suas informações, pois 43% dos entrevistados disseram que os amigos eram sua fonte “número um” para obter informações sobre cannabis. Além disso, um em cada quatro entrevistados disse que sua última compra de cannabis foi através de um membro da família — mais do que aqueles que compraram através de um serviço de entrega; outros 22% disseram que a recomendação dos amigos é o seu “principal fator” para experimentar um novo produto.

A empresa observa que marcas e empresas “não podem ignorar o poder desse efeito de rede” e sugeriu que o programa de referência “poderia ter um impacto significativo” no aproveitamento da confiança que as pessoas têm em amigos e familiares próximos. A Oasis observa que o estudo ocorreu durante os estágios iniciais da pandemia de coronavírus e, naquela época, amigos e familiares “eram uma fonte mais provável para se comprar cannabis do que serviços de entrega”.

Pouco mais da metade dos entrevistados (51%) disse que procurava a cannabis para tratar a ansiedade, enquanto 44% a usam para ajudar na depressão e outros 31% na insônia. A Oasis observa que fazer reivindicações de saúde ou bem-estar sobre produtos de cannabis infringe as leis federais, “mas a recompensa será alta” para empresas que podem operar dentro dos parâmetros da orientação da Food and Drug Administration, especificamente no CBD, “ao mesmo tempo em que podem afirmar ser confiáveis para benefícios de bem-estar”.

Leia também:

Ciência revela a maior mentira da indústria canábica: estão comprando maconha de forma errada

#PraCegoVer: em destaque, fotografia de duas flores de cannabis com pistilos cremes e laranjas e cálices e ‘sugar leaves’ em roxo-escuro, dispostas em cantos opostos da imagem, sobre uma superfície preta, onde também estão folhas da planta com a parte inferior para cima. Foto: THCameraphoto.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!