Senado do Mississippi, nos EUA, aprova projeto de maconha medicinal

buds flores mao close Senado do Mississippi, nos EUA, aprova projeto de maconha medicinal

Legislação que regulamenta o uso medicinal da maconha no estado americano foi aprovada por uma ampla maioria de senadores, após sacos e um cigarro de cannabis serem passados entre os parlamentares durante debate

Na quinta-feira (13), o primeiro obstáculo para a maconha medicinal no Mississippi (EUA) foi resolvido. O projeto de lei foi aprovado pelo Senado estadual por 47 votos contra cinco.

A vitória no capitólio do estado ocorre mais de um ano após os eleitores do Mississippi aprovarem uma ampla iniciativa de legalização em novembro de 2020. A Suprema Corte do estado revogou a medida por motivos processuais em maio passado.

Para ilustrar o que seria permitido com a aprovação da lei, o senador Kevin Blackwell (R) levou ao capitólio na quinta-feira um baseado e dois sacos de cânhamo, um com 3,5 gramas e outro com uma onça (28 g), que foram passados entre os senadores antes do debate, segundo informou o WLBT.

Leia também: Hospitais da Califórnia agora podem permitir que pacientes terminais usem cannabis

“A quantidade de maconha que vamos permitir, este é um pacote, antes de todo mundo enlouquecer, isso é apenas cânhamo. E as outras amostras que tenho são apenas cânhamo. Mas isso são três gramas e meio de farinha [de cânhamo]. Então, basicamente, sob nossa fórmula, o que vamos fazer é permitir que as pessoas tenham uma unidade, que seria uma dessas, e vamos permitir que elas comprem sete em uma semana. Então é basicamente um desses por dia”, disse Blackwell durante a reunião.

Os recursos visuais foram um componente do debate que os defensores acreditam ter sido fundamental.

De acordo com o projeto de lei, os pacientes registrados estariam sujeitos a limites de compra que os restringiriam a não mais do que uma “unidade de equivalência de cannabis medicinal” por dia, ou seja, 3,5 gramas de flor de cannabis, um grama de concentrado ou até 100 miligramas de THC em produtos infundidos.

“Todo mundo deve ficar chapado. Você pode reconhecer essas letras de Bob Dylan. É basicamente para chamar a atenção para aquela paranoia quase histérica do ‘reefer madness’, uma crença ‘chicken little’ expressa por alguns céticos de que, se aprovarmos uma lei de cannabis medicinal, as ruas do Mississippi serão inundadas por zumbis fumantes de maconha, o crime explodirá, os aviões cairão do céu e o mundo como o conhecemos simplesmente chegará ao fim. Alguns de vocês podem compartilhar crenças ilógicas, mas elas simplesmente não são verdadeiras” — senador Kevin Blackwell, durante o debate no capitólio do estado do Mississippi.

Leia também: O perigo representado pela desinformação propagada por um médico antimaconha

A tendência de legalização da maconha por meio das legislaturas estaduais vista nos EUA em 2021 provavelmente continuará neste ano — os legisladores de vários estados devem legalizar a cannabis para uso adulto ou medicinal.

Os estados das regiões Nordeste e Médio Atlântico dos EUA estão no centro das atenções pela atividade legislativa da maconha para uso adulto, com Rhode Island sendo o principal candidato a aprovar um mercado comercial regulamentado. Espera-se que os legisladores de Maryland encaminhem uma iniciativa de legalização do uso adulto aos eleitores.

Os legisladores da Carolina do Norte e do Sul também têm uma chance sólida de legalizar a cannabis medicinal, disseram especialistas.

No Alabama, os legisladores aprovaram uma medida de maconha medicinal.

A atividade esperada neste ano segue um forte 2021, quando legisladores em Connecticut, Novo México, Nova York e Virgínia legalizaram os mercados de maconha para uso adulto que, eventualmente, devem gerar mais de US$ 4,5 bilhões combinados em receita anual.

Leia mais:

EUA: Vários estados em jogo para legalizar a maconha neste ano por meio de legislação

#PraTodosVerem: fotografia em plano fechado que mostra alguns buds de cannabis, de pistilos marrons, sobre a palma de uma mão. Foto: StayRegular | Pixabay.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!