Sementes de cannabis: conheça os tipos, as características e saiba como ter acesso

sementes de maconha capa Sementes de cannabis: conheça os tipos, as características e saiba como ter acesso
Newsletter Open Green

A cannabis é cultivada a partir de duas fontes, por clones ou sementes. E é justamente à semente, ou seed como também é conhecida, que dedicaremos este artigo, que traz as informações essenciais sobre o primeiro passo de um cultivo

As sementes carregam informações genéticas de duas plantas progenitoras que podem ser expressas em inúmeras combinações de características diferentes. Segundo o portal Leafly, geralmente os produtores comerciais de cannabis cultivam uma seleção de sementes de uma strain ou cepa e escolhem a melhor planta, como “mãe” ou “matriz”. Desta, então, se extrai os clones para obter consistência genética em uma produção em massa. Mas, para o cultivador doméstico, pode ser mais fácil obter sementes do que clones.

O QUE SÃO SEMENTES DE MACONHA?

Se você está acompanhando o conteúdo exclusivo e educativo que lançamos desde o mês passado, leu no artigo sobre a anatomia da cannabis que a maconha é uma planta dioica, ou seja, ela é um ser vivo que pode ser macho, fêmea ou ambas (hermafrodita).

lazy placeholder Sementes de cannabis: conheça os tipos, as características e saiba como ter acesso

A parte da planta de cannabis que mais interessa aos consumidores para fins adulto e terapêutico são as flores, os frutos das plantas fêmeas que são cultivadas em um ambiente sem contato com plantas machos, para que sejam produzidas flores sem sementes e com maior concentração de canabinoides, ou seja, com alto potencial terapêutico.

No entanto, para a reprodução natural da espécie, a flor de uma planta fêmea deve ser polinizada por uma planta masculina e depois disso ela começará a produzir as sementes. Depois que as sementes amadurecem, a planta começa a morrer e as sementes caem no chão, onde germinam e crescem em uma nova geração de plantas de cannabis.

lazy placeholder Sementes de cannabis: conheça os tipos, as características e saiba como ter acesso

#PraCegoVer: foto aproximada de uma semente de cannabis ainda na planta, com sua maior parte envolta pelo cálice, por sua vez, repleto de tricomas de cor âmbar, e um fundo em tons de marrom avermelhado. Fotografia: THCameraphoto.

São três os tipos de sementes: regulares, feminizadas e automáticas. Sementes regulares possuem 50% de chance de gerar uma planta fêmea ou macho, entretanto são as mais requisitadas pelos breeders.

Bateu a curiosidade sobre o que quer dizer Breeder? Acesse e confira no dicionário canábico.

Algumas espécies podem produzir partes masculinas ao lado de flores na planta, especialmente se expostas a estressores ambientais. Essas plantas são conhecidas como hermafroditas e, às vezes, podem se autopolinizar para criar sementes.

O QUE SÃO SEMENTES FEMINIZADAS?

As sementes de cannabis feminizadas produzirão apenas plantas fêmeas para obtenção de flores, portanto, não há necessidade de remover plantas machos ou se preocupar com a polinização das plantas. As sementes feminizadas são produzidas por causa da condição hermafrodita em uma planta fêmea de cannabis. As sementes resultantes são quase idênticas às genitoras autopolinizadas — ou “autogênicas” —, pois apenas um conjunto de genes está presente.

Às vezes, isso é chamado de “clonagem por sementes” e não produz plantas masculinas. Isto pode ser obtido por vários métodos:

  • Pulverizando a planta com uma solução de prata coloidal, um líquido contendo pequenas partículas de prata;
  • Através de um método conhecido como rodelização, no qual uma planta fêmea que ultrapassa a maturidade pode polinizar outra fêmeas;
  • Pulverizar sementes com ácido giberélico, um hormônio que desencadeia a germinação (isso é muito menos comum).

A maioria dos produtores experientes não usará sementes feminizadas porque elas contêm apenas um conjunto de genes, e nunca devem ser usadas para fins de reprodução.

O QUE SÃO SEMENTES AUTOMÁTICAS?

A maioria das plantas de cannabis inicia o ciclo de floração quando o fotoperíodo, ou o período de tempo em que são expostas à luz todos os dias, é reduzido para cerca de 12 horas diárias. Isso imita o sol se pondo no céu quando a estação se torna outono.

No entanto, uma variedade da planta, chamada “ruderalis”, que se desenvolveu em condições extremas sem muita luz solar, começará a florescer quando a planta atingir uma certa idade — elas começam a florescer independentemente da quantidade de luz que recebem, daí o termo “autoflorescentes” ou “automáticas”.

Alguns criadores cruzaram a ruderalis, com baixo THC, com outras variedades mais potentes para criar linhagens de autoflorescentes que começam a florescer assim que atingem a maturidade. Estas podem ser mais fáceis de manter e podem ser especialmente ótimas em lugares com verões curtos e frios.

As sementes de floração automática podem ser cultivadas no início da primavera e florescerão durante os dias mais longos do verão para um aproveitamento da luz solar. Florescendo independente do fotoperíodo, o que é ótimo para iniciantes, o ciclo de vida de uma automática é mais curto, com tempo de germinação à colheita de 2 a 3 meses.

Automáticas tendem a render menos, mas são cada vez mais populares entre os cultivadores.

O QUE FAZ UMA SEMENTE SER DE ALTA QUALIDADE?

O fator mais importante de todos é a genética da semente. Para se ter sementes de qualidade, é necessário ter uma linhagem de qualidade. Alguns produtores menos metódicos simplesmente cruzam uma fêmea vistosa com um macho aleatório para obter as sementes. Produtores mais dedicados cruzam e recruzam as plantas para estabilizar as características genéticas mais desejáveis e criar sementes que, apesar de parecidas, produzirão plantas de fenótipos diferentes. Este grupo representa a maioria das sementes no mercado.

Growers dedicados ao extremo conseguiram criar o que chamam de Inbred Lines (IBL), que são genéticas que foram tão intercruzadas que produzirão plantas quase idênticas em todas gerações. As IBLs representam uma porção mínima das sementes de cannabis no mercado, já que na maioria das vezes são produzidas por prazer e não para comercialização.

ESCOLHENDO AS SEMENTES

Se você está no Brasil, a forma mais comum de adquirir sementes de cannabis é em sites on-line, importando de um banco de sementes da gringa ou com algum representante ou cultivador conhecido. Mas, todo cuidado é pouco, afinal, o comércio de sementes não é regulamentado no país.

“Comprar e importar sementes de cannabis hoje no Brasil são condutas com alto risco de incidência criminal“, diz o advogado Cristiano Maronna, mestre e doutor em Direito Penal pela Universidade de São Paulo. “Infelizmente, neste tema, muitos juízes acreditam estar legitimados a realizar a educação moral de pessoas adultas. Alguém precisa lembrá-los de que eles são juízes, não ortopedistas morais”.

Uma das formas menos arriscadas, relatadas por leitores, de ter acesso a sementes de qualidade é trazê-las consigo do exterior. De tamanho minúsculo e inodoras, as seeds são praticamente indetectáveis em aeroportos e passam facilmente tanto em bagagem de mão quanto na despachada. Muitas pessoas optam por ocultá-las em canetas, junto de maquiagem, entre a roupa suja ou outro objeto. Mas, atenção, isso não é uma recomendação!

Quem não considera trazer ou importar sementes e não tem acesso a pessoas que cultivam pode encontrar sementes na maconha prensada. Mesmo longe de ser algo de qualidade, pode ser uma boa experiência para iniciantes no cultivo.

Entre as maneiras de analisar se as sementes são saudáveis ou não, a mais fácil é a aparência. Sementes mais saudáveis e de genéticas superiores exibem cores mais escuras na casca externa. Tons de marrom e preto são sinais de uma boa semente que, em geral, exibe uma estética listrada.

As saudáveis também parecem ter uma camada de cera na casca. Isso pode ser observado quando as sementes são vistas à luz e se percebe o brilho refletido em sua superfície.

lazy placeholder Sementes de cannabis: conheça os tipos, as características e saiba como ter acesso

#PraCegoVer: fotografia de uma semente de cannabis em tons entre a sépia e o verde-oliva, em pé, sobre uma superfície de cor preta que se mistura com o fundo e reflete a imagem da semente. Fotografia: THCameraphoto.

Além de mais escuras, as sementes de melhor qualidade serão mais firmes ao toque. Selecione as sementes que forem duras e que não quebram quando pressionadas entre os dedos, essas tendem a terem mais chances de germinar. As de baixa qualidade ou velhas irão rachar e quebrar sob pressão. Se ocorrer descarte-as.

Sementes imaturas terão uma aparência verde e branca. É improvável que essas sementes germinem e, se ocorrer, levará muito mais tempo que o normal.

lazy placeholder Sementes de cannabis: conheça os tipos, as características e saiba como ter acesso

#PraCegoVer: foto de três sementes de cannabis em tons entre a sépia e o verde-oliva, sendo, da esquerda para a direita, a primeira de cor média, a segunda de cor mais intensa com listras escuras e a última de cor mais clara, sobre uma superfície de cor preta que se mistura com o fundo e reflete as imagens das sementes. Fotografia: THCameraphoto.

COMO ARMAZENAR

Após adquirir suas sementes é importante um armazenamento adequado. Guarde-as em um local fresco, escuro e seco, de preferência em um compartimento fechado, como uma caixa plástica ou um saquinho tipo zip-lock.

Armazenadas de forma correta, as sementes podem durar por mais de 5 anos. Do contrário, as chances de germinação diminuem. Se estiver em local com muita umidade, a semente pode acabar germinando antes de você estar preparado para cultivar.

POSSO COMPRAR SEMENTES DE CANNABIS?

É legal comprar sementes de cannabis? A pessoa pode ser presa?”. Essa é uma das perguntas mais comuns nas caixas de mensagens da Smoke Buddies e esse é um tema ainda delicado e sem uma decisão maestra em nosso país, ou seja, cada caso é um caso.

Apesar de não haver nenhum caso de pessoas presas por compras de sementes, adquirir sementes on-line pode gerar algum transtorno. No fórum Growroom existem alguns relatos de usuários que foram chamados pela Polícia Federal para prestar esclarecimentos. Na Justiça, nos mais recentes acontecimentos vimos que o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), considerou que a importação de sementes de cannabis não é crime.

Segundo o ministro, a semente não pode ser qualificada como droga, nem constitui matéria-prima destinada a seu preparo, porque não possui, em sua composição, o princípio ativo da maconha, o THC. Na decisão, Celso de Mello destacou que, não contendo o THC, as sementes “não se revelam aptas a produzir dependência física e/ou psíquica, o que as torna inócuas, não constituindo, por isso mesmo, elementos caracterizadores de matéria-prima para a produção de drogas”.

Segundo o relator, o Supremo tem entendido que não se justifica a instauração de investigação criminal nos casos em que envolve importação, em reduzida quantidade, de sementes de maconha, “especialmente por que tais sementes não contêm o princípio ativo inerente à substância canábica”.

Porém, a realidade mostra que a prática ainda é outra.

“Se houvesse racionalidade no sistema de Justiça, as decisões do STF a respeito de semente de cannabis, no sentido de não ser crime portá-las nem importá-las em pequenas quantidades, deveriam ser seguidas por todas as demais instâncias inferiores do Judiciário, mas infelizmente, não é o que acontece“, comenta o Dr. Maronna.

SALVO-CONDUTO

Uma das formas legais de aquisição de sementes para o cultivo de cannabis tem sido através do salvo-conduto obtido por pacientes que utilizam a maconha com fins terapêuticos. Atualmente, são 34 decisões que, além de proteger o cultivo doméstico de cannabis no país, também dão garantia para a importação de sementes.

Segundo o advogado Emílio Figueiredo, da Reforma, grupo jurídico responsável por 39 salvos-condutos para plantio de maconha no Brasil, de um total de 74, o assunto que gera divergências envolve ainda outras questões legais.

“Há uma divergência no direito se a compra de sementes de cannabis é crime ou não. Algumas autoridades com maior sanha persecutória e punitivista que afirmam que sementes podem ser consideradas drogas, insumo ou matéria-prima para preparação de drogas. Ao contrário há o entendimento adotado pelo Ministro do STF Celso de Mello no julgamento do Habeas Corpus 143.890 que a semente não se mostra qualificável como droga nem constitui matéria-prima ou insumo destinado a seu preparo, pois não possui em sua composição o princípio ativo da maconha”, diz Figueiredo. “Embora eu adote o mesmo entendimento do Ministro e tenha trabalhado em centenas de casos envolvendo importação de sementes, devo alertar que há questões do direito administrativo que constituem a barreira fitossanitária que regula a entrada e trânsito de sementes no Brasil“, completa.

Leia também:

Cannabis: confira três diferentes formas de consumo

#PraCegoVer: em destaque, foto de três sementes de cannabis em tons entre a sépia e o verde-oliva, sobre uma superfície de cor preta que se mistura com o fundo e reflete a imagem das sementes. Fotografia: THCameraphoto.

lazy placeholder Sementes de cannabis: conheça os tipos, as características e saiba como ter acesso

Sobre Dave Coutinho

Carioca, Maconheiro, Ativista na Luta pela Legalização da Maconha e outras causas. CEO "faz-tudo" e Co-fundador da Smoke Buddies, um projeto que começou em 2011 e para o qual, desde então, tenho me dedicado exclusivamente.
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!