Rótulos de pegada de carbono estão chegando à indústria da cannabis

mudas muda maos Rótulos de pegada de carbono estão chegando à indústria da cannabis

A pressão dos consumidores por transparência corporativa cresce a cada dia mais e a tendência da adoção de rótulos de carbono aumentará à medida que os governos atualizarem as metas climáticas. Saiba mais com as informações do Hemp Industry Daily

Indústria alimentícia: empresas de alimentos e fabricantes de bens de consumo embalados estão adicionando rótulos de pegada de carbono a seus produtos em um esforço para serem transparentes sobre seu impacto ambiental.

Agora, as empresas de cânhamo e maconha estão considerando a possibilidade de seguir uma tendência que os especialistas dizem que vai se intensificar à medida que os governos redobrarem as metas climáticas.

site sb Rótulos de pegada de carbono estão chegando à indústria da cannabis

O presidente Joe Biden prometeu na semana passada reduzir pela metade a poluição dos gases de efeito estufa nos EUA até 2030.

“Essas medidas colocarão os Estados Unidos no caminho de uma economia de emissões líquidas zero até 2050”, disse Biden, que tem metas ambiciosas para enfrentar as mudanças climáticas por meio de esforços como a descarbonização do setor de energia dos EUA até 2035 e o desenvolvimento de um banco de carbono que pagaria aos agricultores para adotarem práticas regenerativas.

 Rótulos de pegada de carbono estão chegando à indústria da cannabis

Empresas respondem

A pressão dos consumidores por transparência corporativa está aumentando, disse Ethan Soloviev, diretor de inovação da empresa de pesquisas HowGood.

E com mais empresas participando, essa pressão pela conformidade só vai aumentar.

Ele aponta para o Índice de Participação no Mercado Sustentável de 2020 da Universidade de Nova York, que descobriu que os produtos comercializados com sustentabilidade são responsáveis ​​por mais da metade do crescimento na indústria de bens de consumo embalados de 2015 a 2019, e que o crescimento continuou apesar da pandemia de Covid-19.

“Esses produtos que são mais sustentáveis ​​estão vendendo muito melhor do que sua categoria, em muitos dos principais bens de consumo”, disse Soloviev ao Hemp Industry Daily.

 

 

 

Leia mais: O problema do plástico na indústria da cannabis

Marcas de todos os tamanhos, desde a marca de leite vegetal Oatly até a Unilever com seus 70.000 produtos, responderam adotando rótulos voltados para o consumidor que mostram a quantidade de carbono liberado durante o ciclo de vida de um produto.

“Está enorme neste ano e espero ver muito mais disso nos próximos anos”, disse Soloviev, cuja empresa construiu um banco de dados de sustentabilidade e uma plataforma de impacto para ajudar marcas, varejistas e investidores a melhorar seu impacto ambiental e social, incluindo a rede de restaurantes Chipotle.

Alguns dizem que as empresas de cannabis serão as próximas.

“Somos uma indústria que precisa ter a capacidade de se adaptar continuamente e efetivamente, desde o início”, disse Ryan Cross, gerente de operações da River Organics, que cultiva cânhamo e fabrica produtos de CBD em Gloucester, Virgínia. “Portanto, se os consumidores estão exigindo métodos de produção ambientalmente cautelosos e rotulagem transparente, eles realmente deveriam obtê-los.”

Ele disse que os rótulos seriam especialmente bem-vindos em uma indústria tão jovem como a da cannabis.

“Todos os nossos produtos por muito tempo só podiam ser acessados ​​ilegalmente. Portanto, sempre que podemos fornecer aos nossos consumidores conhecimento e transparência, acho que é um benefício a longo prazo.”

O que há em um rótulo?

Mas o processo para obter rótulos de carbono precisos pode ser um enorme desafio para a cannabis, onde os padrões de mercado são novos e estão em desenvolvimento.

A rotulagem de carbono não é tão simples quanto estabelecer informações nutricionais, disse Jeff Friedland, CEO da Golden State Hemp, uma produtora em Fresno, Califórnia, que contratou especialistas em carbono para trabalhar com rótulos de carbono.

“Há uma série de coisas que você realmente precisa pensar sobre isso, então tudo, de fertilizantes a colheita e transporte — todos esses fatores têm que entrar em uma fórmula para determinar se você é negativo ou positivo nas emissões de carbono”, disse Friedland.

Annie Rouse, diretora de operações da empresa de formulações de cânhamo OP Innovates em Lexington, Kentucky, destacou que as safras de cannabis precisam ser produzidas de forma sustentável desde o início. O simples uso de um fertilizante sintético comum pode emitir óxido nitroso, pior para o meio ambiente do que o carbono.

Papel higiênico de maconha é solução para problemas ambientais

“É realmente difícil ser carbono-negativo ou neutro em carbono — você tem que pensar em tudo o que está envolvido naquele pequeno produto”, disse Rouse.

E há pouca orientação para auditar ou atualizar os rótulos de carbono. Isso pode tornar um desafio garantir a confiança do consumidor nos rótulos.

“Todas as declarações de publicidade devem ser verdadeiras e não enganosas”, disse Asa Waldstein, fundador do Supplement Advisory Group em Boulder, Colorado.

“As práticas de marketing enganosas não são apenas ‘más vibrações’ e irritantes para os clientes, mas também podem levar a uma custosa ação coletiva.”

Esforços para rotulagem de carbono em andamento

Uma coalizão de agricultores, engenheiros e outros profissionais agrícolas está trabalhando para responder a perguntas sobre o processo envolvido na rotulagem de carbono, disse Derek Smith, diretor executivo do Resource Innovation Institute (RII).

A organização sem fins lucrativos sediada em Oregon construiu plataformas de benchmarking para as empresas medirem o uso de água e a produção de resíduos.

Agora, o RII está se expandindo para a cannabis e outras culturas de floricultura para estabelecer indicadores-chave de desempenho, padrões e, finalmente, um sistema de verificação e reconhecimento de liderança para culturas produzidas em ambientes controlados.

A organização sem fins lucrativos está construindo um conjunto de dados comum que ajudará os produtores a comparar suas operações e avançar em direção a um modelo de produção mais eficiente, disse Smith.

Parte disso inclui o desenvolvimento de uma pontuação geral de desempenho de instalação ou fazenda.

Leia mais – HempWood: madeira de cânhamo é opção sustentável com inúmeros benefícios

“Nossa posição sempre foi a de que não podemos criar um rótulo no qual possamos nos apoiar como verificação de desempenho até que tenhamos um conjunto de dados suficiente que possa informar o que é bom desempenho”, disse Smith.

Em última análise, o RII desenvolverá um emblema que as empresas em conformidade podem colocar em seus produtos, disse Smith.

“À medida que esse conjunto de dados cresce, seremos capazes de verificar o desempenho e nos sentirmos confiantes de que o emblema com o qual permitimos que os líderes sejam identificados seja comprovado e realmente resultará em reduções de emissão de carbono”.

O RII espera ter o sistema pronto até 2022.

Seguindo em frente

Soloviev disse que o processo pode ser assustador para novas empresas, mas mesmo o início pode agregar valor.

“Mesmo se você começar o caminho e não terminar… a quantidade que você aprender ao longo do caminho será incrível, e você pode contar a história de sua jornada para colocar um rótulo de carbono”, disse Soloviev. “Mesmo isso seria a primeira vez no mercado.”

As empresas de cannabis que investirem agora em esforços para serem mais verdes e educar os consumidores sobre seus produtos podem ter retorno mais tarde, disse Waldstein.

“As empresas de cânhamo e maconha tiveram um ano difícil de reflexão e campanhas de marketing de bem-estar que apoiam o planeta e entusiasmam os clientes ajudam a diferenciar uma marca”, disse ele.

“Agora é a hora de conquistar uma forte clientela, porque quando chegar a regulamentação dos canabinoides da FDA, grandes empresas que aguardam na linha de largada entrarão em ação e tentarão ganhar participação no mercado. Desenvolver e manter uma base de clientes fanáticos pela marca pode significar a diferença entre o sucesso e o fracasso a longo prazo”.

Leia também:

Próximo grande problema da maconha: os gases de efeito estufa

#PraCegoVer: em destaque, fotografia tirada de cima para baixo de duas mãos unidas em forma de concha, com luvas azuis, que seguram uma muda de cannabis no torrão, acima de um tabuleiro com diversas outras plantas jovens. Foto: Economía Hoy.

smokebuddies logo2 Rótulos de pegada de carbono estão chegando à indústria da cannabis

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!