Projeto para estimular a produção de cânhamo no Reino Unido obtém apoio do governo

topo pistilos Projeto para estimular a produção de cânhamo no Reino Unido obtém apoio do governo

Conduzido por pesquisadores da Universidade de York, o HEMP-30 mira aumentar em 100 vezes a quantidade de cânhamo cultivado na região e recebeu R$ 1,4 milhão de investimento do governo para a sua fase inicial de desenvolvimento

A primeira fase de um ambicioso roteiro de dez anos projetado para impulsionar a produção e o processamento de cânhamo industrial em todo o Reino Unido ganhou o apoio do governo.

O projeto HEMP-30, liderado por pesquisadores da Universidade de York e do Centro de Desenvolvimento de Biorrenováveis (BDC), visa aumentar a quantidade de cânhamo industrial em 100 vezes no Reino Unido de 800 hectares para 80.000 hectares, estabelecendo o cânhamo industrial como uma importante cultura do Reino Unido.

site sb Projeto para estimular a produção de cânhamo no Reino Unido obtém apoio do governo

A primeira fase de desenvolvimento do projeto recebeu £ 200.000 (R$ 1,4 milhão) do Programa de Inovação de Matérias-primas de Biomassa do governo do Reino Unido, financiado pelo £ 1 bilhão (R$ 7,2 bi) do Portfólio de Inovação Net Zero do Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial (BEIS). O programa do BEIS visa acelerar a comercialização de tecnologias e processos inovadores de energia limpa.

Leia: Indústria da cannabis tem potencial para criar 100.000 empregos no Reino Unido

Ambição

O HEMP-30 se alinha com a ambição da Universidade de York de aproveitar sua experiência em biotecnologia para um cultivo verde e inclusivo como parte do programa BioYorkshire.

O cânhamo industrial é tradicionalmente usado em têxteis, camas para animais e enchimento de colchões, mas cada vez mais os fabricantes estão explorando seu potencial em mercados como alimentos, combustíveis, construção e produtos farmacêuticos.

“O cânhamo tem um grande potencial inexplorado como uma matéria-prima versátil de baixo carbono que pode ser usada em uma variedade de indústrias”, explicou o diretor do BDC, Dr. Joe Ross. “Ele oferece benefícios ambientais como uma cultura de ‘descanso’ de crescimento rápido que melhora a saúde do solo e é muito eficiente na captura de carbono.

Mas também oferece grandes benefícios econômicos como uma fonte potencial de bioplásticos, isolamento e materiais de construção, incluindo o concreto de cânhamo. Também pode ser usado em painéis internos nas indústrias automotiva e aeroespacial.”

Leia mais: Isolamento de fibra de cânhamo é alternativa ecológica na construção civil

Compromisso

O professor Ian Graham, do Departamento de Biologia da Universidade, disse que o projeto enfatiza o compromisso de York em usar sua experiência em pesquisa para apoiar a mudança de produtos e processos baseados em petróleo para produtos de base biológica.

Ele disse: “Sob a bandeira de nosso programa BioYorkshire, pretendemos acelerar a tradução e aplicação de nossas descobertas de pesquisa em aplicações industriais em grande escala.

O projeto HEMP-30 é um excelente exemplo dessa tradução do laboratório para aplicações de base biológica, abrindo novos mercados para os agricultores, apoiando o desenvolvimento de empregos qualificados de alto valor e, ao mesmo tempo, atendendo à necessidade de produtos industriais de baixo carbono”.

O projeto contará com a experiência líder mundial da Universidade de York em tecnologia de melhoramento molecular de plantas para acelerar a melhoria das características do cânhamo e atender às necessidades dos mercados em desenvolvimento. Os pesquisadores buscarão características como rendimento de biomassa, qualidade da fibra e resistência à seca para produzir variedades de cânhamo que sejam mais adequadas às condições de cultivo do Reino Unido.

Também desenvolverão um plano de comunicação em todo o Reino Unido para compartilhar as melhores práticas na agricultura e processamento de cânhamo, ao mesmo tempo em que estabelecem como uma criação, cultivo, processamento e indústria de produção de cânhamo significativamente expandida poderia ser estabelecida no Reino Unido.

As consultorias Lucid e Kepier & Company Limited trabalharão com a Universidade no projeto HEMP-30.

O ministro da Energia, Lord Callanan, disse: “Trabalhar para desenvolver novos e mais verdes tipos de combustível, como a biomassa, é uma parte importante da construção de uma matriz energética diversificada e verde de que precisaremos para atingir nossas metas de mudança climática.

Estamos apoiando os inovadores do Reino Unido para garantir que tenhamos um suprimento local de materiais de biomassa, que é parte de nossos planos mais amplos para continuar reduzindo as emissões de carbono à medida que construímos de volta ao meio ambiente”.

Saiba mais:

Rede de pacientes de cannabis no Reino Unido visa resolver problemas de acesso e segurança

#PraTodosVerem: fotografia do topo de uma planta de maconha, onde se vê vários pistilos de cor creme concentrados ao centro e folhas serrilhadas. Imagem: Jonathan Cooper / Unsplash.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!