Como reduzir danos ligados ao consumo de maconha?

2 Como reduzir danos ligados ao consumo de maconha?

Apesar de autoexplicativo, o termo Redução de Danos tem origem e significado profundos, que vão muito além de sessões com fumaça resfriada, entenda a seguir

Conforme já descrito no dicionário da Smoke Buddies, o termo Redução de Danos, que apesar de ser autoexplicativo, é utilizado para referir-se especificamente ao trabalho de ativistas e coletivos antiproibicionistas de informar aos usuários sobre meios seguros de consumo de drogas lícitas ou ilícitas, sob a perspectiva da apologia ao cuidado, visando reduzir possíveis danos do consumo de substâncias e considerando a autonomia dos usuários.

O que é, na prática, a RD?

Um exemplo aplicável à realidade brasileira é o hábito de beber álcool. Normalmente, esse é um momento de descontração, de relaxamento e sociabilidade, que pode produzir muitos efeitos positivos para a saúde mental da população.

Redução de danos é entender que as pessoas vão continuar fazendo uso da cerveja e da cachaça, por mais que o álcool possa produzir consequências danosas para o corpo físico, e aplicar formas de diminuir esses danos.

Nesse caso, a conscientização sobre a desidratação provocada pelo álcool, estimulando a ingestão de água antes, durante e após a bebida; sobre o aumento da intoxicação quando o estômago está vazio, incitando a sempre fazer uma refeição antes da ingestão; e também sobre frequência/nível de consumo, para diferenciar um consumo esporádico de um uso abusivo ou crônico, são estratégias de redução de danos.

Política de redução de danos

Redução de danos é uma política que foi inicialmente instaurada pensando na disseminação de doenças infecciosas que são transmitidas por fluidos corporais, como a Aids. Foi um projeto de educação da população, que se propôs a explicar as formas de transmissão do vírus e disseminar medidas básicas de precaução, que poderiam diminuir muito as chances de contaminação, principalmente entre usuários de substâncias intravenosas, por conta do compartilhamento de seringas.

Por mais que a motivação inicial da redução de danos tenha sido nesse contexto, ela foi aplicada em diversos segmentos com o objetivo principal de promover saúde para a população. É uma política que consiste em educar sobre questões de saúde que permeiam o cotidiano, além de aplicar pequenas ações que reduzam os danos das ações que estão sendo tomadas.

A implementação de leis que regulamentem o uso de substâncias, como a que impede as pessoas de beber e dirigir ou a que estipula a idade mínima para o consumo de cigarro, também é uma política de redução de danos.

Qual a importância da RD?

A importância da redução de danos vai além do caráter individual, como uma forma de trazer mais saúde para o indivíduo, e se estende ao nível social, para que como sociedade possamos ser mais esclarecidos em relação a um conhecimento que muitas vezes é exclusivo de uma parcela da população.

Uma sociedade esclarecida julga menos as condições alheias, dissemina mais empatia ao próximo e também beneficia o sistema de saúde, que não terá que tratar todos os danos futuros produzidos por essas decisões individuais.

Cannabis e RD

Aplicar a Redução de Danos no contexto da cannabis é uma estratégia importantíssima, pois já sabemos que essa planta pode produzir muitos efeitos positivos para a saúde. No entanto, como a principal forma de reduzir os danos é a informação, não podemos deixar de lado os efeitos negativos que o hábito de consumir maconha pode trazer para o corpo.

Isso significa que as pessoas deveriam deixar de fumar? Não! Significa que é preciso criar uma consciência em relação a esses danos, para que cada um escolha individualmente o que é melhor para si. A principal estratégia de redução de danos no contexto da cannabis é a reflexão sobre o seu próprio consumo. Você acredita que esse hábito faz bem para o seu corpo e sua mente?

Se a resposta for sim para a mente e não para o corpo, então é interessante entender a origem desses danos e aplicar estratégias para minimizá-los. Se a resposta for sim para as duas, perfeito, pode continuar fazendo seu uso, mas lembre-se que essa resposta pode mudar, esteja aberto aos sinais de que você não está fazendo um uso benéfico para si. Se você sentir que a cannabis não está fazendo bem para a sua mente, te deixa confuso e com sequelas, talvez seja o momento de procurar um profissional qualificado.

Como diminuir o uso da maconha?

Levando em consideração que a frequência e quantidade de consumo são questões a serem constantemente refletidas, se você percebeu que está fumando demais e quer diminuir, existem algumas estratégias para isso.

A primeira delas é refletir sobre como e quando você faz seu uso: você tem um ritual específico para fumar?  Está sempre incluindo o beck no pós/pré refeição, ou antes de dormir, depois de trabalhar? A criação de um ritual que se repete todos os dias cria um vício de hábito, você mesmo acostuma o seu corpo a pedir a maconha naqueles momentos, então a primeira (difícil) lição seria começar a retirar o beck do ritual que você sempre faz. Não é fácil quebrar um hábito, nesse momento inicial não se preocupe especificamente em reduzir o consumo, você pode fumar, mas tente ir desvinculando o seu dia da necessidade de fumar.

Ao mesmo tempo em que você começa esse processo, você pode diminuir a quantidade de maconha que está consumindo. A melhor estratégia para isso é a chamada “pausa de tolerância” (ou tolerance break, em inglês) — quando consumimos grandes quantidades de cannabis frequentemente, é criada uma resistência, assim você sempre vai precisar de quantidades maiores para sentir os efeitos. Por isso, é interessante ficar alguns dias sem usar nada antes de começar a diminuir as quantidades. Os receptores canabinoides já começam a se recuperar entre 48 e 72 horas, então um tempo de 3-5 dias já seria o suficiente para baixar bastante a resistência à cannabis.

E quando sua resistência baixar, não vai bolar uma tora pra comemorar! Se você voltar aos mesmos hábitos, a resistência vai subir novamente. É hora de decidir como você quer diminuir esse consumo: você vai mudar a forma de ingestão (fumar/vaporizar/comer)? Vai mudar a qualidade do seu fumo (para algo mais potente que exija menos quantidade)? Ou vai apenas diminuir a quantidade do que você já estava ingerindo?

Na Redução de Danos, você pode aplicar qualquer estratégia que lhe fizer sentido, não existe certo e errado, apenas o que funciona pra você, com o viés do cuidado.

Qual a forma menos prejudicial de consumir maconha?

Falando sobre um consumo terapêutico, a melhor forma é através dos óleos, já que seu uso é através da ingestão oral — são óleos já descarboxilados e prontos para consumo. Esse uso é muito mais popular no ramo medicinal, quando falamos sobre uso adulto e consciente, é mais sobre o consumo da planta ou extrações.

Levando em consideração minimizar os danos à boca e ao trato respiratório, a vaporização é uma opção interessante, principalmente se o vaporizador tiver um controle de temperatura ou se for usado um filtro. O uso de oil bongs e nectar collectors com percolator são formas de não carbonizar a matéria e resfriar o vapor através do contato com a água.

Estratégias de Redução de Danos

Levando em consideração os danos produzidos pela combustão da cannabis, podemos identificar alguns fatores como principais, como a temperatura da fumaça, as substâncias que podem estar presentes na seda e/ou no fumo e o tempo de contato com os alvéolos pulmonares.

A temperatura da fumaça, que gira em torno de 65-95 ºC, pode gerar pontos de inflamação e proliferação de bactérias. Por conta disso, formas de absorver esse calor antes da fumaça entrar em contato com o corpo são muito interessantes, focando principalmente na distância do corpo e no melhor material para absorção desse calor. O vidro é um dos materiais mais eficientes nesse processo, por ser um material que naturalmente absorve muito calor. A água também é uma ótima forma de reduzir a temperatura, a fumaça dos bongs de vidro chega a 35 ºC, o mais próximo da temperatura corporal possível.

O uso de piteiras é uma das estratégias mais difundidas, pois além de afastar a fumaça quente da boca, também pode ser utilizada em conjunto com um filtro e, dependendo do material, resfriar muito a fumaça. Se você se sente muito inflamado, com tosse e “pigarro” após dias de muita fumaça, é interessante experimentar utilizar piteiras longas de vidro, e lembre-se: quanto mais longa melhor!

Diminuir a quantidade de papel inalado também é uma estratégia para diminuir a quantidade de impurezas no pulmão. Algumas das formas de fazer isso é cortar a seda ao bolar, fazer o baseado invertido e usar utensílios diferentes para fumar, como sedas de vidro, pipes, bongs e vapes.

Por último, mas não menos importante, não caia no conto de que ao segurar a fumaça você vai absorver mais canabinoides. Esse tempo estendido de contato da fumaça com os alvéolos pode levar ao comprometimento desnecessário destes, já que o THC é absorvido nos primeiros segundos de contato com o corpo.

Se você é sensível à fumaça e está sempre tossindo depois de tragar, experimente respirar ar puro junto com a fumaça. Então, ao inalar, coloque a fumaça na boca e respire fundo pelo nariz, para que o ar te ajude a expelir toda a fumaça de uma vez. Nas bongadas você pode aplicar o mesmo mecanismo: respirar um pouco de ar puro antes de começar a puxar.

Bongs com percolator

Os filtros percolator reduzem danos pois a fumaça é resfriada mais vezes antes de chegar ao pulmão. Esses filtros consistem em estruturas que seguram água no meio do caminho da fumaça, então, além ser difundida em água na base do bong, a fumaça vai passar novamente por mais uma (ou mais, dependendo da quantidade de filtros) difusão de água e ar fresco.

Além de resfriar a fumaça, esses filtros formam uma barreira física contra possíveis impurezas e partículas de resina que iriam diretamente para o pulmão.

A Redução de Danos é uma filosofia muito forte da King Bong Head Shop. Os bongs com percolator da marca — sempre da melhor qualidade e com valores acessíveis — são exemplos que reproduzem esses valores e proporcionam a melhor sessão aos clientes que se preocupam com um consumo responsável.

Leia também:

Como limpar corretamente um bong

Este é um conteúdo informativo patrocinado pela King Bong Head Shop.

#PraTodosVerem: imagem de capa é uma ilustração em fundo amarelo-claro de imagens relacionadas à maconha, como baseados, buds, um cachimbo, folhas e vasos.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!