Canna bumps: quando um produto tosco colabora com a estigmatização da maconha

canna bumps Canna bumps: quando um produto tosco colabora com a estigmatização da maconha

Retirado do ar em menos de uma semana após seu lançamento, o concentrado de cannabis em pó não ofendeu apenas o bom gosto dos consumidores. Entenda a história no artigo de Bruce Barcott, publicado originalmente no Leafly

Um novo produto de cannabis fez ondas na semana passada, e não de um jeito bom. Canna Bumps, um concentrado de maconha em pó “inalável” embalado para se parecer com cocaína, chamou a atenção de alguns líderes do setor.

Eles tuitaram suas reações — quase um refrão de Tão nojento! — e no fim de semana o “Weed” Twitter estava se apinhando.

site sb Canna bumps: quando um produto tosco colabora com a estigmatização da maconha

O subreddit r/weed pegou o produto em pó e continuou a conversa. A reação foi mista. Alguns defenderam o produto:

“Algumas pessoas adoram cheirar coisas e essa é uma ideia legal para ficar doidão instantaneamente sem carregar um cartucho de caneta (o que corre o risco de um crime e essas coisas são fáceis de descartar). Se fosse barato, eu compraria essa m****!”

 Canna bumps: quando um produto tosco colabora com a estigmatização da maconha

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mas a maioria das reações foi do tipo “é tão idiota”, “santa m****”.

Isso é legal? Fabricante não está falando

Canna Bumps é feito pela THC Living, um fabricante licenciado de comestíveis da Califórnia (EUA), cuja linha de produtos era anteriormente limitada a limonada com infusão de THC e tópicos para alívio da dor.

Com 600 mg de THC por embalagem, o THC Living parecia posicionar legalmente o Canna Bumps como um concentrado. A lei da Califórnia permite até 1.000 mg de THC por pacote para concentrados. Os comestíveis são limitados a 100 mg de THC por embalagem.

Mas então a empresa, em seus materiais de marketing, apresentou claramente o produto aos consumidores como um comestível:

“Tenha um ótimo momento com sua cannabis com nosso novo concentrado de cannabis. Canna Bumps é exatamente o que parece — um concentrado de cannabis para ser devorado pelo nariz, ingerido diretamente ou adicionado ao seu alimento preferido”.

E isso parece… totalmente ilegal.

“Maconha invisível” e o sensacionalismo midiático da guerra às drogas

Eles removeram o produto?

No final do fim de semana, a reação negativa de todo o setor e/ou o perigo legal pareceram ter surtido efeito. O produto não podia mais ser encontrado nas páginas da marca THC Living no Leafly ou no Weedmaps.

Isso levou alguns a especular no Reddit que a coisa toda era uma grande piada: “É falso… não existe”.

Infelizmente, parece que o produto existe.

No final da tarde de segunda-feira, um escritório de advocacia que representa a THC Living divulgou um comunicado ao Leafly que incluía esta explicação:

Há alguns meses, nosso cliente foi abordado por um terceiro que buscava utilizar as formulações proprietárias de nosso cliente na criação do produto Canna Bumps. Assim que nosso cliente aprendeu mais sobre o produto, ele mediu a temperatura de seus clientes e daqueles da indústria para avaliar como eles se sentiam em relação ao Canna Bumps. Por causa de suas próprias preocupações, aquelas expressas pelos consumidores e as dúvidas daqueles na indústria, nosso cliente tomou a decisão de rescindir qualquer licença concedida a qualquer terceiro que usaria suas informações proprietárias para produzir ou comercializar um produto como Canna Bumps.

Portanto, parece que o THC Living retirou o produto por conta própria. Os funcionários da empresa se recusaram a comentar além da resposta por escrito de seu advogado, portanto, não sabemos o lado deles da história. Mas é claro que o THC Living não se limitou a licenciar sua tecnologia; Canna Bumps foi comercializado como o mais novo produto na linha de consumo THC Living.

Leafly e Weedmaps: plataformas, não endossantes

As empresas licenciadas de cannabis geralmente autogerem as páginas de suas próprias marcas em plataformas como Leafly e Weedmaps.

Divulgação total: o Leafly exige que as marcas de cannabis concordem com seus termos e condições, que proíbem listagens de produtos que sejam ilegais, ameaçadores, prejudiciais, racistas, sexistas ou manifestamente ofensivos. A equipe do Leafly remove todas as listagens que encontrar.

Os funcionários do Leafly não filtram produtos que alguns possam achar idiotas, assustadores ou de mau gosto. Em outras palavras: protegeremos os consumidores de produtos prejudiciais, mas não podemos proteger uma marca de cannabis de suas próprias decisões estúpidas. Deixamos isso para os consumidores.

Os funcionários do Leafly tomaram conhecimento do produto pela primeira vez na semana passada, mas o produto foi retirado do ar pela THC Living antes que pudessem determinar seu status legal.

Leia também: Farmacêutica pode perder patente sobre canabidiol

Como isso prejudica pacientes e consumidores

Bom para a THC Living por acabar com a vida curta e malfadada da cocaína à base de cannabis. Acho que a empresa recebe crédito por fazer tanto.

Mas produtos como Canna Bumps não ofendem apenas o bom gosto dos consumidores e colegas da indústria da cannabis. Eles causam danos reais. Eles ajudam a manter a cannabis ilegal para centenas de milhões de americanos, apoiando assim o estado de prisão, ajudando no encarceramento de 450.000 estadunidenses todos os anos e arruinando a vida e a perspectiva de vida de um número incontável de adultos. Eles prejudicam pacientes de maconha medicinal e consumidores de cannabis em todo o país.

Veja como isso se desenrola.

Aqueles de nós em estados legais para uso médico e adulto sabem que os produtos licenciados devem estar em conformidade com as limitações estritas da potência de THC.

Mas os legisladores e líderes comunitários em estados de proibição não sabem disso. A maioria deles sabe menos do que zero sobre a indústria legal e regulamentada de cannabis. A única informação deles geralmente vem de apresentações “reefer madness” feitas por grupos de fomentadores do medo como SAM e Drug Free America Foundation de Mel e Betty Sembler.

Eu vi algumas dessas sessões em primeira mão. Geralmente acontecem em seminários de aplicação da lei, conferências sobre políticas ou almoços-palestras de grupos cívicos locais. Elas costumam ser intitulados “A verdade sobre a legalização da maconha” ou algo parecido, e estão cheias de estatísticas mentirosas e estudos desmascarados.

E em algum ponto o palestrante invariavelmente mostra slides de produtos como Canna Bumps ou “Stoney Patch Kids” para ilustrar o que as lojas de cannabis legais estão vendendo. É seu tiro de misericórdia. Naquele momento, você quase pode ouvir os votos em toda a sala se voltando contra a legalização.

Esses produtos são legais? Normalmente não. A maioria deles existia durante a era não regulamentada da maconha medicinal na Califórnia de 1996-2018. Os comestíveis que poderiam ser vistos pelo menos como adequados para crianças agora são estritamente proibidos nos estados legais. Mas produtos estúpidos como esses vivem para sempre no deque de propaganda dos proibicionistas. E eles são poderosos. Eles mantêm a maconha ilegal para adultos em 32 estados. Eles garantem que 450.000 americanos serão presos por posse de cannabis novamente este ano.

Obrigado, THC Living. Canna Bumps agora está ajudando policiais em todo os EUA a transformar consumidores inocentes de cannabis em criminosos.

O perigo representado pela desinformação propagada por um médico antimaconha

Jogando pacientes de maconha medicinal debaixo do ônibus

Claramente, Canna Bumps não foi feito para atrair crianças. Além da questão da potência, o produto pode muito bem ser legal de acordo com a lei do estado da Califórnia. As pessoas mais prejudicadas por essa falha épica provavelmente serão os milhões de pacientes de maconha medicinal nos 13 estados onde seu remédio continua ilegal.

Se você é um leitor da Smoke Buddies ou do Leafly, provavelmente conhece pacientes cujas vidas melhoraram significativamente com o acesso legal à cannabis medicinal. Legisladores e líderes em estados de proibição total, como Texas e Indiana, não. Muitos deles suspeitam que a maconha medicinal é apenas uma maneira de os irmãos maconheiros contornarem a lei.

Parabéns, THC Living. Canna Bumps confirmou suas suspeitas. Esses votos estão perdidos. Pacientes em estados proibidos passarão mais um ano comprando remédios nas ruas e vivendo com medo de serem presos.

Quando produtos “toscos” causam danos reais

Muitos líderes da cannabis que participaram da vergonha pública dessa semana da THC Living e Canna Bumps expressaram sua indignação em termos de um padrão comum da indústria.

Alice Moon, uma consultora de marketing de cannabis baseada em Los Angeles, disse claramente: “Isso é nojento e não é o que eu quero ver na indústria da cannabis!”.

Em qualquer outro setor, os danos de um produto como esse seriam limitados a uma ofensa ao bom gosto. Mas a cannabis não é qualquer outra indústria. O dano aqui é muito mais profundo. Dezenas de milhões de americanos tiveram sua liberdade revogada e suas vidas arruinadas pela criminalização absurda e pela Guerra às Drogas. Esses danos são reforçados pelo estigma em torno da cannabis e pelos estereótipos que ainda se apegam aos consumidores saudáveis ​​e felizes do dia a dia.

Canna Bumps não é apenas um argumento de marketing que deu errado. Ele está facilitando ativamente os riscos e danos que milhões de americanos enfrentam todos os dias.

Leia também:

Você não é apenas um maconheiro

#PraCegoVer: fotografia, tirada de cima pra baixo, de uma caixa do produto entreaberta onde se vê um pequeno frasco transparente de tampa preta contendo o pó branco, uma minicolher e um cartão, sobre uma superfície de areia.

smokebuddies logo2 Canna bumps: quando um produto tosco colabora com a estigmatização da maconha

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!