Prisões por maconha diminuem, mas negros ainda são presos em taxas mais altas no Colorado (EUA)

baseado boca Prisões por maconha diminuem, mas negros ainda são presos em taxas mais altas no Colorado (EUA)

Relatório encomendado pela Divisão de Justiça Criminal do estado mostra que a taxa de prisão por maconha para residentes negros é mais do que o dobro da taxa dos indivíduos brancos. As informações são do Denver Post

Sete anos depois que as primeiras lojas de maconha para uso adulto abriram para negócios no Colorado (EUA), os jovens não estão fumando mais maconha, os adultos mais velhos estão consumindo mais e as prisões por maconha estão diminuindo — mas os coloradenses negros ainda são muito mais propensos a ter problemas por crimes relacionados à cannabis, de acordo com um relatório estadual divulgado nessa segunda-feira.

O relatório bienal — Impactos da legalização da maconha no Colorado, encomendado pela Divisão de Justiça Criminal do Colorado — é a análise mais ampla desde 2018 sobre o impacto da maconha na segurança pública, saúde, direção e consumo por jovens.

gravital sb Prisões por maconha diminuem, mas negros ainda são presos em taxas mais altas no Colorado (EUA)

No geral, os autores destacam algumas tendências notáveis ​​na forma como a cannabis é consumida no Colorado: as pessoas estão deixando de fumar e, em vez disso, estão consumindo cannabis em vaporizadores e comestíveis em taxas mais altas.

A faixa etária dos que usam maconha também mudou imensamente desde a legalização, com indivíduos com mais de 65 anos usando maconha três vezes mais do que em 2014.

Não é nenhuma surpresa que a geração “baby boomer” está se aproximando da cannabis, disse Truman Bradley, diretor executivo do Marijuana Industry Group.

“Os boomers tiveram alguma experiência (com a maconha), pelo menos culturalmente, no passado, mas também os boomers tendem a ser ‘seguidores das regras’ como grupo”, disse ele.

 

 

 

À medida que as pessoas envelhecem, no entanto, podem recorrer à cannabis para obter alívio, acrescentou Bradley.

Mas mesmo com menos pessoas em toda a linha sendo presas por porte de maconha e outros crimes relacionados à planta, a taxa de prisão por maconha para indivíduos negros (160 por 100.000 pessoas) é mais do que o dobro da taxa dos residentes brancos (76 por 100.000) no Colorado.

“Essa disparidade não mudou de forma significativa desde a legalização”, observaram os autores.

A pesquisa mostra que os brancos usam e vendem drogas nas mesmas taxas ou maiores que outros grupos minoritários, mas os negros têm muito mais probabilidade de serem presos por crimes relacionados às drogas.

Com dados semelhantes sobre o uso de drogas, a discrepância nas prisões por maconha “levanta as sobrancelhas”, disse Bradley.

Leia também: Guerra às drogas, guerra aos negros

Embora o uso por jovens tenha permanecido inalterado em cerca de 20%, alguns dos dados em torno de crianças e maconha são “extremamente alarmantes”, disse Henny Lasley, cofundadora e diretora executiva da One Chance to Grow Up, uma iniciativa nacional lançada pelo grupo proibicionista Smart Colorado.

Ela apontou uma estatística como exemplo: quase três quartos (73,5%) dos jovens com entre 10 a 17 anos em tratamento para transtorno por abuso de substâncias relataram a maconha como sua principal substância de uso — o resultado da maconha de alta potência acessível no Colorado, disse Lasley.

Os legisladores do Colorado agiram neste ano para resolver algumas dessas preocupações, com o governador Jared Polis assinando um projeto de lei que restringirá as compras diárias de concentrados e garantirá que seus produtos declarem explicitamente o tamanho das porções.

Aqui estão os destaques do relatório do Colorado em vários setores:

Segurança Pública

  • As prisões relacionadas à maconha despencaram desde a legalização, caindo 68% entre 2012 e 2019 (13.225 para 4.290). Esse declínio acentuado ocorreu em todas as raças e etnias, embora não de maneira uniforme — 72% para brancos, 55% entre hispânicos e uma redução de 63% para negros.
  • Os processos judiciais relacionados à maconha diminuíram 55% entre 2012 e 2019.
  • As apreensões de plantas em terras públicas — um indicador do mercado ilícito de maconha — têm oscilado muito desde 2012. Naquele ano, as autoridades apreenderam 46.662 plantas de maconha. Em 2017, esse número disparou para 80.826, mas desde então caiu para um mínimo de 1.502 em 2018.

Saúde

  • Homens (22,9%) estão usando maconha significativamente mais do que mulheres (15,1%).
  • As admissões para tratamento daqueles que relataram a maconha como sua substância principal caíram para 182 admissões por 100.000 pessoas em 2019, de 222 admissões em 2012.
  • O número de ligações para o controle de intoxicações mencionando a exposição à maconha saltou para 276 em 2019, de 41 ligações em 2006.

Impactos na juventude

  • A pesquisa Healthy Kids Colorado de 2019 não encontrou nenhuma mudança significativa no uso de maconha por jovens entre 2013 e 2019, espelhando descobertas semelhantes em uma pesquisa nacional sobre o uso de drogas.
  • O uso de maconha aumentou na adolescência — com alunos da 12ª série (27%) usando cannabis mais que o dobro do que os alunos da nona série (13,3%).
  • Quase três quartos (73,5%) dos jovens na faixa de 10 a 17 anos em tratamento para transtorno por abuso de substâncias relataram a maconha como sua principal substância de uso.
  • As infrações por maconha foram responsáveis ​​por 30% de todas as expulsões de escolas e 34% de todas as referências de aplicação da lei nas escolas públicas do Colorado, mostram os dados de disciplina escolar de 2019-2020.

Direção

  • Os autores incluíram a ressalva de que os policiais treinados no reconhecimento do uso de drogas saltaram para 221 em 2020, contra 129 em 2012, o que “pode aumentar as taxas de detecção de drogas independentemente de quaisquer mudanças no comportamento do motorista”.
  • As intimações por direção sob influência emitidas pela patrulha estadual do Colorado em que a maconha foi registrada aumentaram 120% entre 2014 e 2020 (684 para 1.504).

Leia mais:

Principais executivos das maiores empresas de cannabis são predominantemente homens brancos

#PraTodosVerem: foto mostra, da ponta do nariz ao pescoço, um homem de bigode e cavanhaque que segura um baseado aceso enquanto deixa sair uma fumaça densa da boca. Crédito: Kindel Media / Pexels.

smokebuddies logo2 Prisões por maconha diminuem, mas negros ainda são presos em taxas mais altas no Colorado (EUA)

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!