A preparação cuidadosa da cannabis é a chave para extrações bem-sucedidas

bud curado A preparação cuidadosa da cannabis é a chave para extrações bem sucedidas

Secagem, cura e armazenamento adequados de cannabis estão se tornando preocupações primordiais para extratores que buscam os melhores resultados. Saiba mais com as informações do MJBizDaily

A melhor cannabis é seca e curada para ser usada como inflorescência — o famoso bud — enquanto o resto vai para a extração, certo?

Não mais.

site sb A preparação cuidadosa da cannabis é a chave para extrações bem sucedidas

Os extratores de cannabis afirmam que já se foram os dias em que se usava etanol ou hidrocarbonetos para extrair canabinoides em aparas de baixa qualidade. Cada vez mais, eles estão tomando o mesmo cuidado com os insumos de cannabis que os produtores de inflorescências artesanais tomam.

Em outras palavras, a secagem, cura e armazenamento adequados de cannabis estão se tornando preocupações primordiais para extratores que desejam os melhores resultados.

Leia também: UFRGS quer extrair canabidiol de maconha apreendida

Não se pode falsificar qualidade

Os extratores estão garantindo que seus insumos de cannabis sejam tratados de uma forma que lhes dê a melhor chance de sucesso.

Isso por que o aumento da concorrência e a queda dos preços no atacado tornaram a extração de cannabis um jogo de margens estreitas.

Um processador que pode obter produtos finais mais valiosos usando as mesmas máquinas e solventes superará aqueles que usam biomassa de qualidade inferior.

“Quanto mais rica a matéria-prima, maior a chance de obter um extrato de alta qualidade”, disse Lior Chato, chefe de pesquisa e desenvolvimento da Eybna Technologies, uma fabricante de terpenos com sede em Long Beach, Califórnia.

Isso torna fundamental para os extratores garantir que a cannabis foi devidamente colhida, seca e curada antes da extração.

Se uma planta de cannabis mofa ou perde potência ou terpenos na secagem e armazenamento, não há nada que um extrator possa fazer para melhorar as coisas, disse Deepank Utkhede, diretor de operações da Vantage Hemp, fabricante de canabinoides em Greeley, Colorado.

“Se você tem material que não foi armazenado e processado adequadamente, o estrago está feito. Você não vai conseguir reverter isso”, disse ele.

Leia mais: Ice, ice, baby: Bubbleman diz como obter o melhor rendimento na extração com gelo

Abordagem faça você mesmo

A importância da preparação adequada da cannabis antes da extração levou alguns extratores em grande escala a investir na preparação da cannabis eles próprios.

Esse é o caso da Papa & Barkley em Eureka, Califórnia, que fabrica tinturas e tópicos em todo o espectro do THC, alguns baixos o suficiente para venda nacional e outros para o mercado de maconha de uso adulto na Califórnia.

A empresa contrata trabalhadores temporários e os envia para trabalhar com cultivadores de cannabis para cortar e preparar a cannabis de acordo com as especificações da empresa, disse Guy Rocourt, diretor de produtos da Papa & Barkley.

“Deve ser bom o suficiente para usar sem qualquer outro refinamento excessivo”, disse Rocourt.

“Neste setor, não existe cadeia de custódia em si. Então, quando compramos flor, não sabemos como eles estão guardando, como ficou na fazenda.

Enquanto na maioria das indústrias, de alimentos por exemplo, a forma como embalam os ingredientes na fazenda é uniforme, é segura, é mantida de uma certa forma para que seja perfeita para o extrator.

Não existem padrões da indústria para a cannabis. A maioria das empresas têm que fazer isso sozinhas.”

Direito, cultivo, cozinha: cursos oferecem conhecimento especializado em cannabis

Sua biomassa, sua preocupação

Em contraste, os chamados processadores de contrato às vezes escolhem a abordagem oposta.

Para Jason Muniz, fundador e presidente da extratora e descorticadora de cânhamo Texas Blue Diamond Solutions em Three Rivers, Texas, os clientes estão por conta própria em termos de preparação de cannabis para extração.

“Não somos agricultores; somos processadores”, disse Muniz. “As pessoas entram nessa indústria pensando que vão sentar com 300.000 libras de cannabis, tudo dentro das especificações… Eu penso, ‘por que eu preciso fazer isso?’”.

Ele prevê um futuro em que a maconha e o cânhamo sejam classificados como o tabaco, onde os agricultores vendam plantas com preços diferentes, dependendo da qualidade.

Isso acontece hoje com a cannabis, é claro, mas não há graus ou níveis comuns entre os estados.

Mesmo as taxas que pagam por ponto percentual de certos canabinoides podem ser inconsistentes ou não levar em conta a imagem completa da qualidade de uma cultura.

“Com o fumo, você pode obter uma colheita de altíssima qualidade e garantir um certo premium. E então algumas de suas outras plantas, elas não vieram muito bem, e isso não é um problema. Você ainda pode vendê-las. ”

Muniz está mais preocupado em preparar o cânhamo para extração quando ele está entrando em sua marca própria. Então, vale a pena o investimento para armazenar o cânhamo em temperaturas baixas em uma instalação com umidade controlada.

Leia: Agência dos EUA emite primeiro relatório sobre variabilidade de canabinoides em testes

Os processadores têm mais opções do que terceirizar a preparação de entrada ou cuidar de tudo sozinhos.

Alguns estão comprando terpenos para adicionar pós-extração.

Na Eybna Technologies, Chato e seus colegas pesquisaram a degradação de terpenos em cannabis armazenada adequadamente e encontraram reduções de dois dígitos na prevalência de alguns terpenos nas primeiras duas semanas após a colheita.

Isso significa que os processadores que buscam o sabor máximo precisam extrair a cannabis antes de secá-la. Eles podem tentar a extração sem solvente, que pode ser lenta e cara, ou podem comprar terpenos para adicionar mais tarde para substituir o que foi perdido.

“A genética que você cria e trabalha tanto às vezes não se reflete depois de todos esses processos de pós-colheita”, disse ela.

Planejando à frente

Portanto, um tamanho não serve para todos os extratores quando se trata de preparação de entrada.

Isso torna importante para os extratores pensarem em todo o seu modelo de negócios antes de decidir como se envolver na preparação pré-extração.

“O que você vai produzir vai ditar quanta biomassa você precisa e como fazer”, disse Utkhede.

“Quer você esteja usando CBD ou THC ou qualquer outra coisa, você está tentando preservar os canabinoides nessa biomassa.”

Saiba mais:

Pesquisa italiana analisa influência do ambiente de cultivo na produção de canabinoides

#PraTodosVerem: foto, em close e vista aérea, de um bud de cannabis de pistilos marrons curado, que aparece na horizontal sobre uma superfície branca e lisa. Imagem: Eric BVD | Pexels.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!