Polícia indiana acusa executivos da Amazon em caso de comércio ilícito de cannabis

Casal dos EUA recebe 29 kg de maconha entregues pela Amazon Polícia indiana acusa executivos da Amazon em caso de comércio ilícito de cannabis

A polícia do estado indiano de Madhya Pradesh prendeu dois homens que comercializaram maconha no site sob o pretexto de vender folhas de estévia; diretores da Amazon são acusados devido a diferenças entre as informações fornecidas pela empresa e as obtidas pela investigação. Informações da BBC, traduzidas pela Smoke Buddies

Executivos seniores dos negócios da Amazon na Índia foram acusados ​​depois que dois homens supostamente usaram o site como parte de uma operação de contrabando de maconha.

Na semana passada, a polícia do estado central de Madhya Pradesh prendeu dois homens por supostamente traficar 20 kg da droga para outros estados indianos.

gravital sb Polícia indiana acusa executivos da Amazon em caso de comércio ilícito de cannabis

A polícia diz que os homens comercializaram cannabis no site sob o pretexto de vender folhas de estévia, um adoçante natural.

A Amazon disse que está compartilhando informações com as autoridades.

“A Amazon tem tolerância zero para má conduta e toma medidas rígidas contra indivíduos ou terceiros por violação de nossas políticas ou leis aplicáveis”, disse a empresa.

Ela disse que não permite a listagem e venda de produtos ilegais e toma medidas rígidas contra os vendedores que violam suas regras sobre produtos ilícitos.

Veja também: Amazon incentiva parceiros de entrega a não fazerem testes para maconha

A polícia estadual disse que os diretores executivos da Amazon Índia foram acusados ​​de acordo com o Ato de Entorpecentes e Substâncias Psicotrópicas.

Isso ocorreu devido a “diferenças nas respostas em documentos fornecidos pela empresa em resposta a perguntas da polícia e fatos descobertos por discussão”, disse a polícia em um comunicado.

As autoridades não informaram quantos executivos foram acusados.

Estima-se que um total de 1.000 kg de maconha, no valor de cerca de US$ 148.000 (R$ 828 mil), foi supostamente vendido usando o site.

O caso é a última questão legal a ser tratada pela empresa indiana da Amazon, que também enfrenta uma investigação de concorrência no país.

Junto com a Flipkart, uma subsidiária da gigante varejista americana Walmart, a Amazon Índia está sendo investigada por reguladores por causa de alegações de que deu tratamento preferencial a alguns vendedores.

Leia mais: Índia: agricultores driblam proibição e cultivam cannabis no cinturão maoista

Em setembro, a Amazon também lançou uma investigação interna após alegações de que um ou mais de seus funcionários indianos haviam subornado oficiais.

Nos últimos anos, as autoridades indianas aumentaram significativamente seus esforços para reprimir o tráfico e o uso de drogas ilegais.

Muitos dos principais atores e personalidades da televisão do país foram investigados por autoridades de narcóticos no ano passado.

No mês passado, Aryan Khan, o filho de 23 anos do superastro de Bollywood Shah Rukh Khan, foi preso por supostamente usar drogas recreativas em uma festa.

O caso tem sido foco de intensa cobertura da mídia na Índia.

Ele negou as acusações.

Leia também:

Itália não produz cannabis o suficiente e pacientes têm de recorrer ao mercado ilegal

#PraTodosVerem: fotografia, em ângulo superior, de uma caixa da Amazon aberta e cheia de buds de maconha secos, sobre um piso de madeira.

smokebuddies logo2 Polícia indiana acusa executivos da Amazon em caso de comércio ilícito de cannabis

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!