Pessoas religiosas são menos propensas a endossar a legalização da maconha nos EUA

igreja Pessoas religiosas são menos propensas a endossar a legalização da maconha nos EUA

Ateus e agnósticos são os mais fortemente a favor da maconha amplamente legal, segundo a pesquisa do Pew Research Center

A grande maioria dos adultos nos Estados Unidos apoia a permissão da maconha até certo ponto, de acordo com uma pesquisa recente do Pew Research Center. Mas as opiniões sobre se e em que circunstâncias a maconha deveria ser legal variam de acordo com a identidade religiosa dos americanos e seus níveis de compromisso religioso.

Os estadunidenses adultos que são afiliados a uma religião têm menos probabilidade do que os adultos não afiliados de apoiar a maconha amplamente legal. Entre as pessoas que se identificam com qualquer grupo religioso, pouco mais da metade (54%) acredita que a maconha deve ser legal para uso medicinal e adulto, enquanto cerca de um terço (35%) diz que só deveria ser legal para uso medicinal. Entre os não afiliados — aqueles que se descrevem religiosamente como ateus, agnósticos ou “nada em particular” —, cerca de três quartos (76%) dizem que a maconha deve ser legal para fins medicinais e uso adulto, enquanto apenas um quinto diz que a maconha legal deve ser restringida para uso médico.

site sb Pessoas religiosas são menos propensas a endossar a legalização da maconha nos EUA

Entre os adultos em geral, 91% diz que a maconha deve ser legal de alguma forma, incluindo seis em cada dez que dizem que deveria ser legal para uso médico e adulto e cerca de três em dez (31%) que dizem que deveria ser legal para uso médico apenas.

Menos da metade dos protestantes evangélicos brancos são a favor da maconha amplamente legal

Os protestantes evangélicos brancos são o único grupo analisado neste estudo em que menos da metade (44%) diz que a maconha deve ser permitida para uso medicinal e adulto. Uma parcela semelhante (43%) diz que a maconha deve ser legal apenas como tratamento médico, enquanto 14% dizem que a maconha não deve ser legal para nenhum dos propósitos.

 Pessoas religiosas são menos propensas a endossar a legalização da maconha nos EUA

Protestantes da linha principal brancos e protestantes negros diferem de seus pares evangélicos: parcelas maiores (62% e 63%, respectivamente) dizem que a maconha deve ser legal para uso médico e adulto, e parcelas menores (31% e 28%) apoiam a maconha legal apenas como um tratamento médico.

Leia também: Sufismo: A religião mística do Islã que foi pioneira do haxixe e do café

Entre protestantes e católicos em geral, as opiniões sobre a maconha são bastante semelhantes. Aproximadamente metade em cada grupo diz que a maconha deve ser legal para uso medicinal e adulto, enquanto pouco mais de um terço diz que deve ser legal apenas para uso medicinal.

De todos os grupos analisados, ateus e agnósticos são os mais fortemente a favor da maconha amplamente legal. Quase nove em cada dez ateus e agnósticos (88% e 86%, respectivamente) favorecem a maconha legal para uso médico e adulto, enquanto pequenas minorias (7% e 13%, respectivamente) dizem que a maconha deveria ser legal apenas para uso médico. Apenas 4% dos ateus e 1% dos agnósticos dizem que a maconha não deve ser legal.

Entre as pessoas sem afiliação religiosa, aqueles que dizem que não são “nada em particular” não são tão unidos quanto ateus e agnósticos nesta questão: 70% neste grupo dizem que a maconha medicinal e adulta deve ser legal, e 25% apoiam apenas a maconha legal para fins médicos.

Alguns grupos religiosos diferem politicamente uns dos outros. Por exemplo, mais de dois terços dos evangélicos brancos se descrevem como politicamente conservadores ou muito conservadores, em comparação com apenas 5% dos ateus e 10% dos agnósticos. E os evangélicos brancos são mais propensos a serem republicanos ou independentes com inclinação republicana, enquanto ateus e agnósticos tendem a se alinhar com o Partido Democrata. A ideologia e a identificação partidária são importantes quando se trata de opiniões sobre a maconha, mas não levam em conta as diferenças religiosas descritas nesta análise.

As diferenças religiosas nas visões dos estadunidenses sobre a maconha também não podem ser totalmente explicadas pela idade ou composição racial dos grupos religiosos. Dito isso, as opiniões variam de acordo com a idade, especialmente entre os protestantes.

Entre os estadunidenses em geral, cerca de dois terços (67%) dos menores de 50 anos apoiam a permissão da maconha legal para fins médicos e uso adulto, em comparação com pouco mais da metade (53%) das pessoas com 50 anos ou mais. Entre os protestantes, 62% dos menores de 50 anos apoiam a maconha legal para uso adulto e médico, em comparação com 46% dos mais velhos. Não há diferença de idade entre os católicos e uma modesta (78% e 72%) entre os estadunidenses não filiados à religião.

Um presente dos Deuses: os usos da cannabis nas religiões

Estadunidenses altamente religiosos têm menos probabilidade de favorecer a maconha amplamente legal

Os estadunidenses adultos variam em suas crenças e práticas religiosas. O Pew Research Center regularmente pergunta aos americanos com que frequência eles participam de serviços religiosos, com que frequência oram e quão importante a religião é em suas vidas. Dessas medidas, a frequência ao culto tem a conexão mais forte com os pontos de vista sobre a maconha.

Os frequentadores assíduos da igreja apoiam menos a legalização ampla do que outros, mesmo dentro de grupos religiosos. Por exemplo, entre os evangélicos brancos que afirmam frequentar os serviços religiosos pelo menos uma vez por semana, 29% são a favor da maconha legal para uso médico e adulto, em comparação com 64% dos evangélicos brancos que frequentam os serviços com menos frequência.

Os protestantes negros também estão nitidamente divididos pela frequência à igreja: 47% dos que frequentam os cultos semanalmente ou mais apoia a maconha amplamente legal, em comparação com mais de três quartos (77%) dos que vão com menos frequência.

No geral, pouco mais de um terço dos protestantes que normalmente vão aos serviços religiosos pelo menos uma vez por semana (36%) e cerca de dois terços dos que vão com menos frequência (67%) apoiam a maconha amplamente legal. Apenas 37% dos católicos que frequentam os cultos semanais acredita que a maconha deve ser legal para uso adulto e médico, em comparação com 59% dos que comparecem com menos frequência.

A conexão entre a frequência ao serviço e as opiniões sobre a legalização da maconha sugere que a socialização religiosa pode desempenhar um papel na formação de atitudes sobre a legalidade da droga — semelhante a como ela afeta as atitudes e comportamentos dos americanos em relação ao álcool e ao tabaco. Muitas religiões enfatizam a temperança e alertam contra a intoxicação. Os líderes religiosos frequentemente emitem lembretes de normas religiosas durante os serviços, e as congregações podem criar pressão social para que sejam cumpridas. Crenças e práticas religiosas também são pensadas para atuar contra o uso de substâncias, servindo como um mecanismo de enfrentamento saudável e conectando os adeptos a um sistema de apoio social.

Leia mais: Os últimos cristãos menonitas no vale quirguiz das “florestas de maconha”

As opiniões sobre se a maconha deve ser legal para uso adulto e/ou medicinal também variam com base na frequência com que as pessoas oram e na importância que dizem que a religião tem em suas vidas. Menos da metade dos adultos que oram todos os dias (46%) dizem que a maconha deve ser legal para uso medicinal e adulto, em comparação com cerca de sete em cada dez (72%) daqueles que oram com menos frequência. Da mesma forma, as pessoas que dizem que a religião é “muito importante” em suas vidas têm menos probabilidade de favorecer a maconha amplamente legal do que aquelas que dizem que a religião é menos importante (44% contra 71%).

A combinação de medidas de afiliação, frequência ao serviço, frequência de orações e a importância da religião em uma escala de compromisso religioso ilustra a relação entre piedade e opiniões sobre a maconha entre os estadunidenses adultos. (A maioria dos estadunidenses na extremidade superior da escala afilia-se a um determinado grupo religioso, participa de cultos semanais ou com mais frequência, ora todos os dias e diz que a religião é “muito importante” em sua vida. Mais na extremidade inferior, não tem afiliação religiosa, raramente ou nunca comparece a cultos ou ora, e diz que a religião “não é muito” ou “nada importante” em sua vida.)

Entre os adultos mais religiosos, 39% dizem que a maconha deve ser legal para uso medicinal e adulto, em comparação com cerca de três quartos (76%) dos adultos menos religiosos. Ao contrário dos estadunidenses em geral, os adultos mais religiosos são mais propensos a dizer que a maconha deve ser legal apenas para uso medicinal do que a dizer que deve ser legal para uso medicinal e adulto. Quase metade (45%) desses adultos altamente religiosos acredita que a maconha só deveria ser legal como medicamento, enquanto apenas 20% dos adultos menos religiosos dizem o mesmo.

No início de 2021, 17 estados e o Distrito de Colúmbia haviam legalizado a maconha para uso adulto. Aproximadamente metade dos estadunidenses que estão na categoria menos religiosa (48%) vive em um estado onde a maconha para uso adulto é legal, e um em cada cinco (22%) vive em estados onde seu uso não é legal. Pessoas altamente religiosas estão distribuídas de maneira mais uniforme pelos estados. Por exemplo, entre os mais religiosos, 33% vivem em estados onde a maconha é amplamente legal, 32% vivem em estados onde só é legal para uso médico e 35% vivem em estados onde não é legal.

Nota: aqui estão as perguntas usadas para este relatório, junto com as respostas, e sua metodologia.

Veja também:

A ascensão do narcopentecostalismo no Rio de Janeiro

#PraCegoVer: fotografia que mostra o interior da Igreja Internacional da Cannabis, em Denver (EUA), onde uma pessoa caminha pelo corredor entre os bancos e a pintura de Okuda San Miguel é vista ao fundo (dois pássaros humanoides com filhotes, em cores e formas abstratas, voltados um para o outro, um de cada lado de uma janela vitral) e nas demais paredes multicoloridas. Foto: Nicole Geri | Unsplash.

smokebuddies logo2 Pessoas religiosas são menos propensas a endossar a legalização da maconha nos EUA

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!