Peru tem escassez do único produto de cannabis disponível no país

Foto Luiz Michelini Peru tem escassez do único produto de cannabis disponível no país

Menos de três meses após o início das vendas, o óleo de CBD da Anden Naturals, único disponível de forma legal no Peru para tratamento, sumiu das prateleiras. As informações são do Marijuana Business Daily, com tradução pela Smoke Buddies

O único produto de cannabis medicinal do Peru está fora de estoque, nem mesmo três meses após o início das vendas. Isso significa que os pacientes não têm opção de acessar legalmente a cannabis medicinal regulamentada no mercado doméstico, de acordo com fontes da indústria.

Francesca Brivio, que representa uma associação de pacientes no Peru, escreveu em sua página no Facebook que não há “maneira única e formal de acessar a cannabis medicinal” no Peru.

lazy placeholder Peru tem escassez do único produto de cannabis disponível no país

Em dezembro passado, a Direção Geral Peruana de Medicamentos, Suprimentos e Drogas (DIGEMID) iniciou as vendas do primeiro produto em uma das farmácias institucionais da agência. As vendas começaram depois que a agência governamental comprou 10 litros de óleo de CBD 5% da Anden Naturals, uma fornecedora sediada em Oregon.

A empresa dos EUA ganhou um pedido de suprimento, vencendo a Aurora Cannabis, com sede em Alberta, e a Pharmacielo, com sede em Toronto, ambas no Canadá. Aurora e Pharmacielo foram desqualificadas do processo por não oferecerem os produtos conforme exigidos pelo governo.

A DIGEMID concordou em pagar 27.868 sóis peruanos (8.390 dólares) à Anden Naturals por 10 litros, e começou a oferecer o óleo aos pacientes em frascos de 10 mililitros por 47,70 sóis mediante receita médica.

Andrés Vazquez, diretor executivo da consultoria de agronegócios ACM Peru, em Lima, disse ao Marijuana Business Daily que o atual quadro regulatório no Peru permite que empresas privadas solicitem licenças para produzir, importar e abastecer o mercado médico doméstico.

“Não entendo por que os órgãos reguladores não emitiram licenças”, disse ele. “Em vez disso, eles concentraram seus esforços em ter um suprimento governamental, de apenas um produto, disponível em apenas uma farmácia do governo em todo o país e apenas durante alguns meses”.

“Isso claramente não é suficiente para os pacientes. A única solução real é que as autoridades implementem as leis e regulamentos já existentes.”

Curt Schwarz, CEO da Anden Naturals, disse ao MJBizDaily que a empresa espera que “as licenças de importação sejam emitidas muito em breve, para que possamos garantir produtos para pacientes que já iniciaram o tratamento”.

Leia também:

Colômbia começará a exportar cannabis medicinal para o Brasil e Peru

#PraCegoVer: fotografia (de capa) em plano fechado que mostra um cultivo de planta de cannabis, com pistilos de cor clara concentrados onde será desenvolvida a flor. Foto: Luiz Michelini.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!