70% das pacientes com câncer ginecológico encontram alívio com o uso da cannabis

flor pistilos topo 70% das pacientes com câncer ginecológico encontram alívio com o uso da cannabis

Estudo realizado por pesquisadores de Nova York descobriu que mais de 70% das pacientes de oncologia ginecológica relataram melhora durante o uso de formulações à base da planta. As informações são do Ganjapreneur

Um pequeno estudo publicado na semana passada na Gynecologic Oncology Reports descobriu que 71% das pacientes com câncer ginecológico relataram melhora durante o uso de cannabis medicinal de pelo menos um sintoma, com 15% das pacientes interrompendo seu uso devido aos efeitos colaterais.

O estudo, que envolveu 45 pacientes com idade mediana de 60 anos, foi conduzido por pesquisadores do Centro de Câncer Perlmutter e da Escola de Medicina Grossman, da Universidade de Nova York, e da Downstate Health Sciences University, da Universidade Estadual de Nova York.

site sb 70% das pacientes com câncer ginecológico encontram alívio com o uso da cannabis

Saiba mais: THC pode ajudar na prevenção do câncer de cólon, segundo estudo pré-clínico

Ao todo, 56% dos pacientes usaram cannabis medicinal para a dor, 47% para náuseas e vômitos, 33% para anorexia e 27% para insônia. Mais de 70% dos pacientes relataram melhora nas náuseas e vômitos, com 36% achando que a cannabis aliviou a dor.

“Nesta coorte limitada de pacientes de oncologia ginecológica, a maconha medicinal foi eficaz para o alívio de náuseas/vômitos, anorexia e insônia na maioria das pacientes, mas foi menos útil para o controle da dor” — Uso Medicinal de Maconha em Pacientes com Câncer Ginecológico, Gynecologic Oncology Reports, 24 de junho de 2021.

Veja também: Como a cannabis pode ajudar no tratamento do câncer?

Cerca de 55% das pacientes inscritas no estudo receberam formulações prescritas com uma proporção de 1:1 de THC:CBD. As formulações inaladas e sublinguais foram prescritas em mais de 70% das pacientes e algumas receberam mais de uma formulação, o que, segundo os pesquisadores, limitou sua “capacidade de comentar sobre a eficácia de proporções ou preparações específicas de THC:CBD para sintomas específicos”. Os pesquisadores também observaram que “não excluíram explicitamente os pacientes que usaram maconha para fins recreativos”.

Leia mais:

Variedades de cannabis de empresa israelense mostram eficácia no alívio de sete condições de saúde

#PraTodosVerem: fotografia em plano fechado do topo de uma planta de cannabis com vários pistilos amarelos concentrados onde será desenvolvido o bud. Imagem: Esteban Lopez | Unsplash.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!