Mais de 90% dos irlandeses são favoráveis à legalização da cannabis para uso medicinal

top bud cultivo Mais de 90% dos irlandeses são favoráveis à legalização da cannabis para uso medicinal

Uma nova pesquisa mostra as opiniões da nação irlandesa sobre a legalização da maconha. As informações são do TheJournal.ie

Quase 40% dos irlandeses acreditam que a cannabis deve ser legalizada para uso adulto e há um apoio esmagador para o uso medicinal da planta.

Uma nova pesquisa do Red C em nome do TheJournal.ie ilumina as opiniões da nação irlandesa sobre a legalização da maconha, com apenas 4% das pessoas se opondo ao seu uso medicinal.

site sb Mais de 90% dos irlandeses são favoráveis à legalização da cannabis para uso medicinal

Atualmente, a utilização de quatro produtos à base de cannabis é permitida na Irlanda em circunstâncias estritas e ao abrigo de um esquema-piloto.

Há quase uniformidade entre os diferentes grupos de idade na crença de que o uso médico deve ser legal, mas as opiniões variam sobre se o uso adulto de cannabis deve ser permitido.

 Mais de 90% dos irlandeses são favoráveis à legalização da cannabis para uso medicinal

A maioria (56%) dos jovens de 18 a 34 anos acredita que a maconha deve ser legalizada para uso médico e adulto, enquanto isso cai para apenas 21% entre aqueles com mais de 55 anos.

Nessa faixa etária, ainda há uma grande maioria para uso somente médico com 70%, o que significa que 91% dos maiores de 55 anos acham que a cannabis deve ser legal por motivos médicos.

Leia mais: Irlanda tem seu primeiro fundo de capital privado para cannabis medicinal

Não há muita variação regional entre as províncias, mas em Connacht/Ulster 7% das pessoas acham que nenhuma legalização deveria ocorrer, um pequeno mas notável aumento em relação à média nacional de 4%.

Os homens também são mais propensos a serem a favor da legalização para uso adulto, com 44% a favor, em comparação com 34% das mulheres.

Há também uma disparidade urbano/rural com 43% nas áreas urbanas a favor do uso adulto e 29% nas áreas rurais.

Os resultados são baseados em uma pesquisa realizada com mais de 1.000 adultos em toda a Irlanda e ponderada para ser um perfil preciso da população.

O trabalho de campo foi realizado entre 6 e 12 de maio, alguns dias após o Colégio de Psiquiatras da Irlanda (CPsychI) alertar que a cannabis representa a “ameaça mais grave para a saúde mental dos jovens na Irlanda hoje”.

Muito do foco da preocupação do grupo foi devido ao aumento da potência da cannabis ilegal à venda em toda a Europa, com análises anteriores concluindo que a potência dobrou no período de 2006 a 2016.

Indústria da cannabis tem potencial para criar 100.000 empregos no Reino Unido

No geral, a pesquisa do Red C sugere que há apoio para uma mudança em direção a alguma forma de legalização maior, com 93% das pessoas pesquisadas a favor do uso medicinal da cannabis.

Na Irlanda, a legalização da cannabis para uso médico sofreu várias obstruções nos últimos anos e a legislação não conseguiu obter apoio suficiente no Oireachtas (parlamento irlandês).

Em 2019, produtos à base de cannabis foram disponibilizados para uso médico por meio do Programa de Acesso à Cannabis Medicinal.

O programa piloto de cinco anos atualmente permite que os produtos listados sejam disponibilizados para um paciente quando um consultor determina que este não respondeu aos tratamentos padrão.

Atualmente, quatro produtos à base de cannabis foram avaliados como aceitáveis ​​para uso pela Autoridade Reguladora de Produtos de Saúde (HPRA).

Leia mais: Mais de 30 milhões de pessoas consumiram cannabis na Europa no último ano

O programa está disponível apenas para pacientes com uma série de condições, incluindo espasticidade associada à esclerose múltipla, náusea associada à quimioterapia e epilepsia resistente ao tratamento.

O Programa de Acesso à Cannabis Medicinal não está disponível para pessoas com dores crônicas, com o Ministro da Saúde previamente questionado no Dáil (câmara baixo do parlamento) sobre se tais condições também deveriam ter acesso.

A HPRA já disse que, embora o uso de cannabis para a dor crônica “seja reconhecido”, existem “diversas” causas para essa dor e “fatores subjetivos” que tornam difícil para um médico avaliar o tratamento.

Em sua revisão científica de 2017 da cannabis para uso médico, a HPRA também disse que o uso de cannabis para a dor crônica pode levar a um maior uso indevido de cannabis na comunidade em geral.

“A dor crônica é comum e o uso potencial de medicamentos à base de cannabis por um grande número de pacientes levanta preocupações sobre o uso indevido e o desvio para a comunidade em geral”, diz a HPRA.

Leia também:

Marrocos: projeto de legalização da cannabis avança e prevê anistia para cultivadores

#PraCegoVer: fotografia de um cultivo de maconha onde um dos buds apicais aparece na parte esquerda da imagem, em foco, exibindo pistilos alaranjados e folhas rajadas de marrom. Foto: Jeff W | Unsplash.

smokebuddies logo2 Mais de 90% dos irlandeses são favoráveis à legalização da cannabis para uso medicinal

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!