Importante agência de saúde dos EUA estabelece dose padrão de THC para estudo da cannabis

buds branco Importante agência de saúde dos EUA estabelece dose padrão de THC para estudo da cannabis

O Instituto Nacional sobre Abuso de Drogas declarou em um comunicado aos pesquisadores que a unidade padrão de 5 mg é uma nova exigência para estudos que envolvem a exposição ao THC. Informações do Marijuana Moment

Uma importante agência federal de saúde dos EUA anunciou na sexta-feira (7) que determinou a dose padrão de THC (tetraidrocanabinol) que deve ser usada para estudos sobre a maconha no futuro.

O Instituto Nacional sobre Abuso de Drogas (NIDA) disse em um aviso aos pesquisadores que há um “novo requisito para medir e relatar resultados usando uma unidade de THC padrão em todas as pesquisas aplicáveis ​​em seres humanos”, que entra em vigor imediatamente. Essa unidade padrão é cinco miligramas de THC.

site sb Importante agência de saúde dos EUA estabelece dose padrão de THC para estudo da cannabis

O NIDA disse que as inconsistências na medição e relato da exposição ao THC “têm sido uma grande limitação nos estudos sobre o uso de cannabis, tornando difícil comparar os resultados entre os estudos”. Portanto, uma “medida padronizada de THC em produtos de cannabis é necessária para o avanço da pesquisa, fornecendo uma maior comparabilidade entre os estudos de seus efeitos adversos e potenciais usos médicos”.

A agência reconheceu, no entanto, que “a mesma quantidade de THC pode ter efeitos diferentes com base na via de administração, outros constituintes do produto, constituição genética e fatores metabólicos de um indivíduo, exposição anterior à cannabis e outros fatores”.

 Importante agência de saúde dos EUA estabelece dose padrão de THC para estudo da cannabis

Leia também: Potência ideal de comestíveis de maconha: até 5 mg de THC, diz estudo de empresa canadense

Mas, ao criar uma dose padrão de THC, ainda assim, será mais fácil comparar estudos que envolvem a exposição ao canabinoide, que é uma “alta prioridade” do NIDA e do Conselho Consultivo Nacional sobre Abuso de Drogas.

“Não é intenção deste Aviso prescrever a quantidade de THC que é permitida para uso em projetos de pesquisa. Na verdade, os pesquisadores são livres para usar mais ou menos do que 5 mg de THC conforme apropriado para seu estudo”, declara o aviso. “No entanto, para estudos aplicáveis, os investigadores serão obrigados a relatar a quantidade de THC usando a unidade padrão. Os investigadores também podem relatar a quantidade de THC em outras unidades (por exemplo, miligramas), conforme apropriado.”

Isso aconteceu um ano depois que o NIDA, que faz parte dos Institutos Nacionais de Saúde, solicitou feedback pela primeira vez sobre uma proposta para padronizar o conteúdo de tetraidrocanabinol na pesquisa de cannabis.

A agência disse que realizou a pesquisa com “ampla contribuição das partes interessadas”, junto com “consultas com especialistas na área”, para chegar à decisão de definir a unidade padrão em 5 mg.

“Esta orientação se aplicará a aplicações onde o THC é o foco da pesquisa”, continua o novo aviso. “Os requerentes são responsáveis ​​por determinar se o uso desta unidade padrão é aplicável à sua pesquisa e por determinar a melhor abordagem para aplicá-la em suas solicitações de pesquisa. Uma justificativa deve ser fornecida para pesquisas que não proponham o uso da unidade padrão.”

Leia: 58% dos estadunidenses não sabem a diferença entre CBD, THC e maconha

A diretora do NIDA, Nora Volkow, discutiu a importância de estabelecer uma unidade de THC padrão em comentários publicados na revista Addiction no ano passado.

Citando uma pesquisa que pede um padrão de THC de cinco miligramas, Volkow disse que concordou com a conclusão do estudo, apesar dos fatores complicadores. Esses fatores incluem problemas potenciais relacionados ao efeito de ter produtos de cannabis com o mesmo nível de tetraidrocanabinol, mas diferentes concentrações de outros canabinoides, como o CBD.

As complexidades da pesquisa além de ter uma medida padronizada de THC “dificilmente negariam o valor” de definir uma, Volkow disse em seu comentário. “Na verdade, ter e usar esse padrão é um pré-requisito para comparar os efeitos de vários produtos de cannabis na biodisponibilidade, farmacocinética e efeitos farmacológicos do THC, que é um conhecimento fundamental para estudos relativos ao uso médico de cannabis”.

“Embora a cannabis continue sendo uma substância ilícita nos Estados Unidos, a legalização expandida pelos estados exige que desenvolvamos a base de conhecimento que pode ajudar os estados a desenvolverem políticas para minimizar o risco de exposições à cannabis, como limites no conteúdo de THC dos produtos de cannabis”, ela disse.

Volkow tem sido vocal sobre a importância de dinamizar e melhorar a pesquisa sobre a cannabis, e ela atribuiu a culpa parcial pela falta de estudos à classificação federal restritiva da maconha.

Saiba mais:

Iniciativa nos EUA visa melhorar os testes de THC em laboratórios

#PraCegoVer: em destaque, fotografia de uma porção de buds de maconha em tons de verde e laranja sobre uma superfície branca lisa. Crédito: Dominique Stueben / Unsplash.

smokebuddies logo2 Importante agência de saúde dos EUA estabelece dose padrão de THC para estudo da cannabis

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!