Neurocientista Sidarta Ribeiro fala sobre maconha medicinal no #Provocações, da TV Cultura

Sidarta Ribeiro Provocacoes Neurocientista Sidarta Ribeiro fala sobre maconha medicinal no #Provocações, da TV Cultura

O diretor do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Sidarta Ribeiro, foi o entrevistado da semana no programa #Provocações, da TV Cultura – e, como uma das maiores referências no assunto, trouxe a maconha medicinal para a conversa

“‘Tudo que somos é resultado do que pensamos, é fundado nos pensamentos e feito dos nossos pensamentos’, frase de Sidarta Gautama, o Buda. Meu convidado, xará do Buda, dedica a vida a conhecer a natureza do pensamento – o neurocientista Sidarta Ribeiro” – é o que diz Marcelo Tas ao abrir o programa #Provocações, da TV Cultura, que entrevistou na última terça-feira (8), uma das maiores referências brasileiras em cannabis medicinal, o neurocientista Sidarta Ribeiro, professor titular e diretor do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Agora sob o comando do jornalista Marcelo Tas, o programa que estreou em 2000 e se consagrou com Antônio Abujamra como entrevistador mantém a essência, digamos, provocativa, em suas pautas de vanguarda – entre os assuntos discutidos em meia hora de #Provocações, passaram pelo estúdio temas como a relação entre religião e ciência, as ambiguidades do meio científico e o poder desta “força revolucionária permanente”, nas palavras do próprio neurocientista.

site sb Neurocientista Sidarta Ribeiro fala sobre maconha medicinal no #Provocações, da TV Cultura

“Não foi Deus que inventou o homem, foram os homens que inventaram os deuses” – Sidarta Ribeiro.

A maconha entra no terceiro bloco da conversa, quando Tas faz a pergunta de um internauta, que questiona sobre uma possível cura para o Parkinson a partir dos estudos e pesquisas realizados pelo Instituto do Cérebro.

“Sim, mas talvez a palavra cura precise ser temperada“, responde Sidarta Ribeiro. “Uma coisa é você mitigar sintomas, isso já é feito com terapias tradicionais e, agora, a grande esperança para mitigar esse tipo de sintoma é a maconha medicinal“.

No gancho do assunto, e ao ser perguntado por Tas sobre sua visão do tema, Sidarta diz uma frase de efeito, e pede que seja contestado pelo jornalista em dez anos: “A maconha está para a medicina do século XXI como os antibióticos estiveram para a medicina do século XX“. A entrevista ainda passa por questões como o cultivo individual ou associativo e os interesses por trás da regulamentação da maconha no Brasil.

Confira a íntegra do programa:

Leia também: 

Maconha na TV: uso medicinal pauta tradicionais veículos de comunicação

#PraCegoVer: fotografia (de capa) mostra frame da gravação do programa #Provocações, onde, em um estúdio com cenário escuro, em tons de cinza, Marcelo Tas, sentado e apoiado sobre sua mesa, lança uma pergunta a Sidarta Ribeiro, sentado à frente do jornalista.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!