Ministro da cidadania usa sofisma para caracterizar a maconha como “porta de entrada”

onyx lorenzoni Ministro da cidadania usa sofisma para caracterizar a maconha como “porta de entrada”

Em publicação no portal do governo, Onyx Lorenzoni tenta confundir o leitor, citando o Relatório Mundial sobre Drogas 2019 da ONU e enganando sobre a cannabis ser uma substância de passagem para “drogas mais pesadas”. Entenda, a seguir

Nesta quarta-feira (2), o portal do Governo Federal (gov.br) publicou uma nota onde aborda a reunião das Nações Unidas (ONU), que discutiu as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a flexibilização do controle sobre a cannabis, e a posição contrária adotada pelo Brasil.

A reunião em questão foi 63ª sessão da Comissão para Drogas Narcóticas da ONU, onde 53 estados-membros consideraram uma série de recomendações da OMS sobre a reclassificação da cannabis e seus derivados. O ponto alto da conferência foi a votação de uma recomendação em especial que removeu a cannabis do Anexo IV da Convenção Única sobre Drogas Narcóticas de 1961 — onde estava até então, ao lado de opioides altamente viciantes como a heroína.

site sb Ministro da cidadania usa sofisma para caracterizar a maconha como “porta de entrada”

Para a surpresa de ninguém, o governo brasileiro retrocedeu ao ano de 1924 e, repetindo a postura de Dr. Pernambuco Filho durante a II Conferência Internacional do Ópio, votou contra a Recomendação 5.1. Felizmente, a cruzada antidrogas serviu apenas para nos fazer passar vergonha perante o mundo e a recomendação foi aprovada e a cannabis removida da lista.

Leia mais: ONU reclassifica a cannabis como uma droga menos perigosa

Essa situação lamentável já bastaria para nos deixar revoltados, ou no mínimo decepcionados com o governo. Entretanto, não foi o suficiente para o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

Na publicação citada no início do texto, o ministro vai além e tenta confundir o leitor, citando o Relatório Mundial sobre Drogas 2019 da ONU, e sugere que a cannabis seja uma porta de entrada para “drogas mais pesadas”. Confira o trecho em questão a seguir:

“O ministro Onyx Lorenzoni citou que, em 2019, o Relatório Mundial sobre Drogas do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime apontou a cannabis como a droga ilícita mais usada no mundo. E disse que ela é, usualmente, uma porta de entrada para drogas mais pesadas.”

A forma como as informações são colocadas pode dar a entender a muitas pessoas que a cannabis é apontada pelo relatório da ONU como uma droga de passagem para substâncias mais prejudiciais e viciantes, ou “mais pesadas” como diz o ministro, quando em nenhum momento o documento faz essa alegação.

O relatório em questão pode ser acessado nos seguintes links:

https://wdr.unodc.org/wdr2019/prelaunch/WDR19_Booklet_1_EXECUTIVE_SUMMARY.pdf

https://wdr.unodc.org/wdr2019/prelaunch/WDR19_Booklet_2_DRUG_DEMAND.pdf

https://wdr.unodc.org/wdr2019/prelaunch/WDR19_Booklet_3_DEPRESSANTS.pdf

https://wdr.unodc.org/wdr2019/prelaunch/WDR19_Booklet_4_STIMULANTS.pdf

https://wdr.unodc.org/wdr2019/prelaunch/WDR19_Booklet_5_CANNABIS_HALLUCINOGENS.pdf

Leia também:

O uso de maconha é eficaz na redução de danos, segundo estudos

#PraCegoVer: em destaque, fotografia que mostra Onyx Lorenzoni, em primeiro plano, falando ao microfone e a marca do governo federal ao fundo, fora de foco, em superfície branca. Foto: Palácio do Planalto | Flickr.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!