Mansão da Maconha em Denver (EUA) é um paraíso para selfies repleto de cannabis

poltrona letreiro mansao Mansão da Maconha em Denver (EUA) é um paraíso para selfies repleto de cannabis

É difícil não notar enquanto se caminha pelas ruas do bairro Capitol Hill: uma mansão gigante de arenito de três andares com vitrais e leões esculpidos e uma grande placa que diz “Marijuana Mansion”. Saiba mais sobre o curioso ambiente instagramável com as informações do The Know

A Mansão Creswell, como era originalmente conhecida, foi construída em 1889 para o empresário de Denver Joseph Creswell e projetada pelo arquiteto local John J. Huddart, conhecido por seu trabalho em vários tribunais importantes do Colorado. A mansão de 11 quartos — com uma casa para carruagens nos fundos que agora abriga um dispensário do Green Dragon — foi nomeada pelo Registro Nacional de Locais Históricos em 1977.

Hoje em dia, no entanto, é mais conhecida por ser a base do Marijuana Policy Project, o grupo que redigiu o que acabou se tornando a Emenda 64, que legalizou o uso de cannabis por adultos no Colorado em 2012. Foi assim que o prédio ganhou o apelido de Mansão da Maconha, e a nova dona do prédio está dobrando sua identidade.

lazy placeholder Mansão da Maconha em Denver (EUA) é um paraíso para selfies repleto de cannabis

Lisa Leder comprou a mansão em 2019 e começou a trabalhar na reforma do enorme e antigo espaço, que ela planejava reabrir em março de 2020. A pandemia afetou esse plano, mas ela finalmente está exibindo atualizações no espaço e abrindo-o para passeios.

Há muita história nessas paredes — e, dependendo de para quem você perguntar, muitas histórias assustadoras também.

Um artista, trabalhando na restauração dos quartos tarde da noite, relatou ter ouvido passos na escada principal, apesar de estar sozinho no prédio. Ao tocar música em um toca-discos em uma sala do terceiro andar, um funcionário relatou o som de algo batendo dentro de um armário, como se alguém estivesse preso e tentando sair.

Leia mais: Legalização causou aumento de receita de US$ 130 mi nos hotéis de Denver, diz estudo

Pouco depois de comprar a mansão, Leder notou que grupos de pessoas paravam na frente e espiavam pelas janelas.

“Eu pensei, ‘o que eles estão olhando?’”, ela disse.

Depois de perseguir um grupo de curiosos, ela descobriu que sua casa é uma parada em várias excursões fantasmagóricas em Denver e que, segundo os boatos, um fantasma às vezes é visto vigiando em uma janela do andar de cima.

Dê uma espiada nessas janelas hoje e você provavelmente verá alguém tirando selfies no interior do ambiente recém-instagramável.

Há a Sala Histórica, modelada a partir de uma sala de estar do final dos anos 1800 ou início de 1900. Tudo parece muito enfadonho e reto até se descobrir que Leder abriu uma porta secreta na estante que leva para a Sala de LED, que se parece exatamente com o porão do irmão maconheiro do seu melhor amigo em 1999, mas com um pouco mais de polimento.

A sala Ladies Boudoir (que ainda tem algumas roupas de época penduradas em uma vitrine) leva a um speakeasy clandestino, e a Sala Verde é modelada a partir de uma típica sala verde de casa de shows e inclui um toca-discos e uma ampla coleção de vinis dos anos 60.

Outros quartos são para doces selfies puras e não foram adulterados.

“Tudo é sobre a fotografia”, disse Leder. “Insta. TikTok. O que você escolher”.

Leia mais: As vendas de maconha no Colorado (EUA) ultrapassaram US$ 200 milhões em agosto

A Sala Weed é a sala mais popular, equipada com um trono, um balanço e paredes cobertas por folhas (falsas) de cannabis. A Mary Jane na Sala do País das Maravilhas da Maconha é decorada com um mural colorido e superinstagramável da artista Ellie Paisley. Várias das salas criadas por artistas lembram mais as “exposições de arte imersivas” inspiradas no Meow Wolf, que geralmente vêm com um preço alto e longas filas.

Se você tiver sorte o suficiente para dar uma olhada no porão, você encontrará uma porta que leva a lugar nenhum. Quando o Corpo de Bombeiros de Denver saiu para inspecionar o prédio, eles encontraram o túnel — não mostrado em nenhum dos projetos de construção ou plantas da mansão — que leva do porão da casa à garagem. Mas em algum momento nos últimos 131 anos, o túnel foi selado em ambas as extremidades e ninguém sabe por que ou o que está dentro.

A Mansão da Maconha está disponível para passeios, a US$ 25 por pessoa. Mas o espaço parece mais ideal para eventos privados, que infelizmente são as únicas ocasiões em que você pode realmente consumir cannabis no local, mesmo com o dispensário logo atrás.

Embora poderemos ver algumas festas muito épicas da indústria da cannabis lá quando o mundo voltar ao normal, por enquanto, a Mansão da Maconha — bem como a igualmente fotogênica Igreja Internacional da Cannabis em Wash Park — é o tipo de destino que os turistas canábicos procuram frequentemente para tirar selfies.

“Os turistas estão sempre pensando em Denver como um turismo de cannabis”, disse Leder. “Ainda somos os líderes originais da cannabis no país”.

E nós temos nossa própria Mansão da Maconha para provar isso.

Leia também:

As oportunidades de negócio que aguardam as empresas de turismo canábico nos EUA

#PraCegoVer: em destaque, fotografia que mostra uma poltrona entalhada, com a parte de madeira dourada e um estofamento tipo couro escuro, em uma sala com paredes cobertas de folhas, próximo a um letreiro luminoso rosa com as palavras “Marijuana Mansion”. Imagem: AAron Ontiveroz | The Denver Post.

mm

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!