Literatura Sativa: A Proibição Mata E O Governador Gosta

proibicao mata ls Literatura Sativa: A Proibição Mata E O Governador Gosta

Witzel se banha no sangue preto

Dessas operações desastrosas

Quer recriminar a voz do gueto

Com suas políticas criminosas

 

O RJ é um antro de bandido

Vai do governador ao prefeito

E nosso povo, mesmo fodido

Tem que escutar que foi bem feito

 

A legalização é mal vista

Coisa de vadio… Maconheiro

A proibição que é bem quista

É ela quem traz tanto dinheiro

 

Maconha só mata em um caso

Se você morar numa favela

Se não for elite do atraso

Família Bolsonaro-Crivella

 

A Smoke Buddies deixa seu amor

E não podia ser diferente

Sentimentos à família na dor

Ágatha Félix está presente!

 

#PraCegoVer:  imagem de capa traz ilustração em nanquim branco e preto (e o sangue em vermelho) que mostra uma garota de costas, ao lado da escrita “Agatha Félix, 8 anos”, sob um balão com a fala “Witzel, a culpa é sua!” e com uma perfuração nas costas de onde escorre sangue que forma uma poça aos seus pés, apontando o dedo para o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, que mostra a palma da mão cheia de sangue, em sinal de negação; ao fundo, pode-se ver as favelas do Rio. Créditos da ilustração: Carlos Latuff.

lazy placeholder Literatura Sativa: A Proibição Mata E O Governador Gosta

Sobre Douglas Fortunato

Estudante de Filosofia no Rio de Janeiro, na UERJ, 26 anos e recém chegado na militância da causa canábica.
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!

Deixe seu comentário