Líderes religiosos do Sri Lanka se posicionam contra a legalização da cannabis

ranjith dhammalankara Líderes religiosos do Sri Lanka se posicionam contra a legalização da cannabis

Para o monge budista Dhammalankara Thero, a legalização do cultivo de maconha destruirá todo o país, se aprovada. As informações são da UCA News

Líderes religiosos do Sri Lanka disseram que estão tristes com os esforços de alguns grupos para promover o cultivo de cannabis em um momento em que o governo está tomando medidas para erradicar as drogas do país.

Ittapana Dhammalankara Thero, monge budista à frente do Kotte Sri Kalyani Samagri Dharma Maha Sangha da ordem monástica Siyam Maha Nikaya, disse que o governo deveria tomar medidas imediatas para interromper todas as promoções relacionadas à cannabis.

lazy placeholder Líderes religiosos do Sri Lanka se posicionam contra a legalização da cannabis

“As incursões regulares contra as drogas devem ser fortalecidas e ações devem ser tomadas para erradicar os narcóticos do país. Ao mesmo tempo, o governo deve fazer todos os esforços para que as leis sejam estritamente cumpridas e erradicar as drogas, incluindo a cannabis, do país”, disse ele.

Especialistas afirmam que o país pode gerar grandes receitas com o cultivo de cannabis. Pesquisas recentes mostraram que, se drogas à base de cannabis forem fabricadas e exportadas, será possível obter mais divisas do que todas as exportações.

Leia mais – Cannabis, cânhamo, CBD: a paisagem japonesa da maconha

O cultivo de cannabis é proibido na ilha, embora seja permitida sua produção em quantidades suficientes para uso na medicina ayurvédica tradicional. A legalização da cannabis se tornou um tema quente nas redes sociais srilanquesas.

Dhammalankara Thero disse que se o cultivo de cannabis for permitido, toda a nação será destruída.

“A mídia deve tomar medidas para conter a promoção da cannabis e a questão do cultivo cria um problema nacional”, disse o monge durante uma entrevista coletiva convocada pela Associação de Temperança do Sri Lanka no Congresso Budista All-Ceylon, em 22 de setembro, na cidade de Colombo.

Monges budistas importantes, o cardeal Malcolm Ranjith e oficiais médicos estão envolvidos com a Associação de Temperança do Sri Lanka.

Thirikunamale Ananda Thero, Mahanayake de Amarapura, disse que algumas pessoas promovem a cannabis ao promover a medicina Ayurveda. “Essas pessoas promovem as drogas nas redes sociais. Pedimos a elas que não deem essa publicidade”, disse ele.

Leia: Conferência Nacional dos Bispos do Brasil publica nota contra a descriminalização das drogas

O cardeal Ranjith disse: “Ouvimos na mídia que algumas organizações internacionais e embaixadas também estão discutindo a legalização da cannabis e até mesmo alguns ministros fizeram comentários sobre o uso da cannabis”.

Ele acrescentou que está feliz com os esforços do governo para controlar as drogas.

O prelado instou o governo a continuar a tomar medidas severas contra as drogas. “Se a cannabis for legalizada, isso criará outra ameaça no país”, disse ele.

Ranjith emitiu uma carta pastoral em abril de 2019 pedindo que todas as paróquias e instituições da igreja denunciem os vendedores de drogas.

Sacerdotes católicos e outros líderes religiosos também organizaram manifestações contra o aumento do uso de drogas ilegais.

O ex-presidente Maithripala Sirisena prometeu implementar a pena de morte para os traficantes de drogas. Durante sua gestão como presidente, o governo fez propaganda para o cargo de carrasco e mais de 100 pessoas se candidataram ao cargo.

Leia também:

Um presente dos Deuses: os usos da cannabis nas religiões

#PraCegoVer: em destaque, foto de Malcolm Ranjith e Ittapana Dhammalankara Thero, sentados, e diversos microfones, que aparecem na parte inferior da imagem, voltados para eles; ao fundo, se vê uma bandeira do Sri Lanka arriada, entre dois abanadores. Foto: Saman Sri Wedage | Daily News.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!