Legalização pode levar a mais cannabis e menos álcool nas universidades, revelam estudos

baseado boca mao Legalização pode levar a mais cannabis e menos álcool nas universidades, revelam estudos

Novos estudos revelam que o aumento do uso de cannabis pode reduzir o consumo abusivo de álcool entre estudantes universitários, nos EUA. Com informações da Medical News Today e tradução pela Smoke Buddies

Em janeiro de 2020, 33 estados nos Estados Unidos já legalizaram o uso de cannabis para fins médicos, enquanto 11 mais Washington DC permitem algum uso recreativo entre adultos com 21 anos ou mais.

Dois estudos recentes da Universidade Estadual de Óregon (OSU), em Corvallis, exploram a evolução dos hábitos de estudantes universitários que vivem em estados com uso recreativo legalizado.

Um estudo constata que, nesses estados, cada vez mais cannabis está sendo fumada por estudantes universitários, enquanto o outro explora o impacto desse aumento no consumo de outras substâncias recreativas populares.

O primeiro estudo foi publicado na Addiction e o segundo na Addictive Behaviors.

Como a legalização afeta o uso de cannabis

O estudo da Addiction foi conduzido por Harold Bae, PhD, da Faculdade de Saúde Pública e Ciências Humanas da OSU, e David Kerr, PhD, da Faculdade de Artes Liberais.

É o primeiro estudo a analisar os efeitos da legalização recreativa em vários estados, obtendo dados de mais de 850.000 estudantes que relataram sobre seu uso de cannabis duas vezes por ano como parte da pesquisa National College Health Assessment (NCHA).

Os pesquisadores analisaram dados da pesquisa de estudantes de 18 a 26 anos que haviam cursado a faculdade em qualquer um dos sete estados que legalizaram o uso recreativo até 2018 ou nos 41 estados que não o fizeram.

A análise incluiu respostas de estudantes de 135 faculdades nos estados com legalização e 454 faculdades nos estados sem ela. Os alunos apresentaram respostas entre 2008 e 2018.

Sem surpresa, a equipe descobriu que o uso de cannabis aumentou com a legalização. Nesses estados, os estudantes tinham uma probabilidade 18% maior de consumir cannabis nos últimos 30 dias do que os estudantes nos estados em que a droga ainda era ilegal.

Estudantes em estados com legalização da cannabis também tiveram 17% mais chances de serem usuários frequentes, que os autores definem como usar 20 ou mais vezes nos últimos 30 dias. “É fácil olhar para as descobertas”, diz Kerr, “e pensar: ‘Sim, é claro que as taxas aumentariam’. Mas precisamos quantificar os efeitos dessas mudanças de política”.

Leia: Cannabis toma fatia maior da indústria do álcool diante preocupação com calorias e ressaca

Como eles incluíram dados de uma década, os pesquisadores tiveram a oportunidade de identificar tendências de longo prazo.

Os dados revelaram que, após 6 anos de legalização, os estudantes tinham 46% mais chances de usar cannabis do que os estudantes que vivem em estados sem legalização.

Segundo o Pew Research Center, apenas 32% das pessoas nos EUA dizem que a cannabis deve ser legal apenas para uso médico e 8% acreditam que ela deve ser totalmente ilegal. De 2012 a 2018, seu uso passou de 21% para 34% nos estados com legalização recreativa e de 14 a 17% em outros estados.

Indo mais fundo em seus dados, a equipe por trás do estudo descobriu que o aumento no uso de cannabis era mais pronunciado em estudantes de 21 a 26 anos, em mulheres e entre estudantes que moravam fora do campus.

O efeito em outras substâncias

Usando o mesmo conjunto de dados do primeiro estudo, a candidata a PhD Zoe Alley, Bae e Kerr analisaram os efeitos do aumento do uso de cannabis nos de outras substâncias recreativas populares entre os estudantes universitários.

Para a pesquisa da NCHA, os alunos também relataram qualquer uso de nicotina, consumo excessivo de álcool, uso de drogas ilegais e uso indevido de estimulantes, sedativos e opioides prescritos. Os autores do estudo descobriram que o aumento do uso de cannabis teve apenas um pequeno impacto nos outros consumos, com duas exceções: álcool e sedativos.

Nos estados com uso recreativo legalizado, a equipe observou uma maior redução do consumo excessivo de álcool entre os estudantes de 21 anos ou mais, em comparação com estudantes com idades semelhantes em outros estados. No entanto, nos estados com legalização, eles viram um aumento no abuso de sedativos entre estudantes com menos de 21 anos.

Conclusões tomadas em conjunto

Os dois estudos têm como objetivo fornecer uma primeira análise sobre o efeito da legalização da cannabis nos hábitos dos estudantes universitários. Embora novas investigações, sem dúvida, se seguirão, esta pesquisa oferece um vislumbre do que esperar, à medida que mais estados, e talvez o governo federal, busquem a legalização.

Ele contém pelo menos uma surpresa: “Para [a cannabis], vimos aumentos específicos do estado que foram além dos aumentos em todo o país”, diz Kerr, “enquanto que com o consumo excessivo de álcool foi o oposto: uma diminuição maior no contexto das diminuições em todo o país”.

Leia também:

Há indícios de que a legalização da maconha pode reduzir o consumo de álcool

#PraCegoVer: em destaque, fotografia que mostra parte do rosto de um jovem, com barba rala, e sua mão, que segura o baseado que está fumando; ao fundo, desfocado, pode-se ver um ambiente externo com muro e vegetação. Foto: The Charlatan.

lazy placeholder Legalização pode levar a mais cannabis e menos álcool nas universidades, revelam estudos

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!