Jovem preso por causa de 10 gramas de maconha morre de Covid-19 em Minas Gerais

buds mao Jovem preso por causa de 10 gramas de maconha morre de Covid 19 em Minas Gerais
Newsletter Open Green

Cerca de 80% dos detentos do presídio de Manhumirim, em MG, estão com Covid-19, um deles, preso com menos de dez gramas de cannabis, morreu no último sábado. As informações são do G1

lazy placeholder Jovem preso por causa de 10 gramas de maconha morre de Covid 19 em Minas Gerais

#PraCegoVer: fotografia da parte superior da certidão de óbito de Lucas Morais da Trindade, onde consta como causa da morte “Corona Vírus (teste rápido positivo). Foto: Felipe Peixoto / arquivo pessoal.

Lucas Morais, de 28 anos, foi preso por tráfico de drogas com menos de dez gramas de maconha e estava há quase dois anos no Presídio de Manhumirim, na Zona da Mata de Minas Gerais, à espera de um julgamento. Ele passou mal no sábado (4) e morreu no mesmo dia. A causa da morte no atestado de óbito é Covid-19. Como o teste feito foi o rápido, o caso ainda é considerado como suspeito.

“Ele era saudável. Nenhuma doença preexistente. Desmaiou pela manhã e depois morreu”, disse o advogado Felipe Peixoto que cuidava do caso de Lucas.

lazy placeholder Jovem preso por causa de 10 gramas de maconha morre de Covid 19 em Minas Gerais

É a primeira morte suspeita por Covid-19 no presídio de Manhumirim, segundo a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Dos cerca de 200 presos, 159 testaram positivo para a doença. Há dez dias, o número de contaminados era 43.

Leia mais: Nos EUA, presídios liberam detentos para conter o surto de Covid-19

“As alas em que se encontram foram isoladas, desinfetadas e todos servidores e demais detentos do local usam máscaras de forma preventiva”, disse o órgão em nota.

O presídio concentra quase a metade dos presos infectados nas cadeias de Minas Gerais. Até esta quarta-feira (8), 324 detentos no estado estavam doentes. O sistema prisional em Minas Gerais tem 60 mil presos.

Em nota, o Tribunal de Justiça, seguindo orientação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), recomendou (por meio de portaria) aos juízes de execução penal que, “durante a pandemia, concedessem, sempre que possível a prisão domiciliar”. Dos 324 detentos doentes, cinco estão cumprindo a pena em casa. Um deles está internado.

Até o momento, três presos morreram por coronavírus. As mortes aconteceram no Ceresp Gameleira, em Belo Horizonte; no Presídio Inspetor José Martinho Drumond, em Ribeirão das Neves, e no Presídio Floramar, em Divinópolis.

Leia também:

A hipócrita proibição da maconha em tempos de pandemia, por Luís Carlos Valois

#PraCegoVer: em destaque, fotografia que mostra dois buds de maconha secos sobre os dedos de uma mão aberta e um fundo desfocado. Imagem: Nancho | Pexels.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!