Homem preso há 25 anos por venda de maconha é libertado nos EUA

michael thompson Homem preso há 25 anos por venda de maconha é libertado nos EUA

Nos anos 1990, a polícia prendeu Michael Thompson por vender três libras (1,36 kg) de maconha a um informante disfarçado em Flint, Michigan, onde hoje a planta é legal. As informações são do FOX 2 Detroit

Depois de cumprir 25 anos atrás das grades, os últimos vários lutando por sua liberdade, Michael Thompson, de 69 anos, saiu de uma quarentena no condado de Jackson (Michigan, EUA) — como um homem livre.

Sua família esperava no estacionamento de braços abertos por um tão esperado reencontro.

site sb Homem preso há 25 anos por venda de maconha é libertado nos EUA

“É uma sensação boa”, disse ele. “Eu não esperava tudo isso, isso é lindo”.

Na manhã dessa quinta-feira (28), Thompson fez uma pausa para comemorar sua libertação.

“Estou feliz por ser livre, mas há muito trabalho a ser feito com a reforma penitenciária”, disse Thompson.

Mas ele foi levado às lágrimas ao pensar em outros internos, que ainda estão trancados.

“Os caras — eles precisam de ajuda”, disse ele.

De volta aos anos 1990 — a polícia prendeu Thompson por vender três libras (1,36 kg) de maconha a um informante disfarçado em Flint, Michigan.

Leia mais: Após nove anos na prisão por quantia ínfima de maconha, homem é libertado nos EUA

Thompson não estava armado no momento, mas os investigadores eventualmente vasculharam sua casa e encontraram armas de fogo, principalmente antiguidades que estavam trancadas em um cofre de armas, mas Thompson não tinha permissão para tê-las por causa de condenações anteriores.

Com isso, um juiz condenou Thompson a até 60 anos de prisão. Ele não seria libertado antes dos 87 anos.

“Não posso acreditar que este é o dia, sinto que isso é um sonho. Estou feliz que isso finalmente acabará”, disse Rashawnda Littles, sua filha.

A filha de Thompson agradece o apoio e as doações nos últimos anos que ajudaram a libertar seu pai.

Foi um movimento liderado pelo Cannabis Caucus e outros grupos de defesa da maconha que chamaram a atenção da procuradora-geral Dana Nessel, que chamou a sentença de Thompson de “flagrantemente desproporcional” — especialmente por que a maconha agora é legal em Michigan.

“Não deve ser necessário o suficiente para tirá-lo de lá”, disse Kimberly Kendall, sua advogada. “Esta sentença é flagrante em qualquer medida, e quando você olha para o volume de mão de obra necessária para obter esta liberação, ela revela algumas das falhas fundamentais na capacidade do sistema de justiça criminal de se corrigir”.

Leia mais: O mais antigo prisioneiro da guerra à maconha é libertado nos EUA após 32 anos

Em dezembro passado, a governadora Gretchen Whitmer decidiu conceder clemência a Thompson.

“Estou apenas tentando respirar tudo, muitas coisas mudaram”, disse Thompson.

Quando Thompson chegou à sua cidade natal, Flint, foi saudado por muitos outros apoiadores, incluindo a Michigan Supply and Provisions, que lhe entregaram um cheque de US$ 15.000 para investir em um novo lugar para morar.

Thompson diz que planeja descansar um pouco — mas depois continuará trabalhando com presidiários como ele, que foram presos por maconha, o que não é mais um crime.

“Amo a vida e, acima de tudo, amo as pessoas”, disse ele.

Em uma nota mais leve, a primeira coisa que queríamos depois de sermos libertados era uma viagem ao McDonald’s para comer um McMuffin de linguiça e ovo no caminho de volta para Flint.

Com esta clemência, a condenação anterior ainda permanece em seu registro, mas ele obteve liberdade condicional imediata.

Thompson disse que realmente quer trabalhar para levar liberdade a outros como ele, que ainda estão na prisão por crimes não violentos relacionados à maconha.

Leia também:

Coalização internacional de especialistas pede o fim da guerra às drogas

#PraCegoVer: em destaque, fotografia de Michael Thompson usando um casaco de cor laranja sobre uma camisa azul, próximo a um muro grafitado em preto, vermelho e branco. Foto: The Human Solution International.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!