Há quanto tempo os seres humanos usam substâncias psicoativas?

persefone e demeter Há quanto tempo os seres humanos usam substâncias psicoativas?

O autor do estudo enfatiza que as datas não correspondem necessariamente ao uso mais antigo das drogas, mas às evidências mais antigas de seu consumo. Logo, é possível que os seres humanos tenham ingerido cada uma delas por ainda mais tempo. Com informações do IFLScience

A chamada guerra às drogas já dura meio século, mas os humanos nem sempre adotaram uma abordagem proibicionista aos narcóticos. Compilando dados arqueológicos de todo o mundo, um novo estudo publicado no Journal of Psychedelic Studies indica quando a humanidade começou a usar diferentes drogas, revelando que nosso caso de amor com substâncias que alteram a mente remonta a mais de 13 milênios.

O autor do estudo, Giorgio Samorini, conduziu uma revisão aprofundada da literatura arqueológica existente, a fim de determinar as primeiras evidências para o uso humano de cannabis, ópio, cogumelos mágicos, álcool e muitas outras plantas psicoativas.

Os sinais mais antigos de uso de drogas em todo o mundo foram encontrados em uma caverna no Monte Carmelo, em Israel, onde os grânulos de amido encontrados nas ferramentas exibiam malformações normalmente associadas à fabricação de cerveja. Datado do século 11 a.C., esse achado sugere que nossa espécie está se embebedando em cerveja há pelo menos 13.000 anos.

Pesquisas recentes revelaram que as primeiras plantas de cannabis se originaram no Platô Tibetano, mas as primeiras evidências para o uso humano da droga vêm do Japão, onde macrofósseis contendo partes da planta foram encontrados em peças de cerâmica de 8200 a.C.

Leia: A incrível história de 10.000 anos que a humanidade compartilha com a cannabis

Enquanto isso, as papoulas de ópio costumam ser associadas a países como o Afeganistão, mas parece que foram criadas na Itália pela polinização cruzada deliberada de vários tipos de papoulas que não contêm ópio. Várias formas intermediárias entre a papoula natural e a papoula do ópio foram encontradas em um local neolítico em Roma, onde os habitantes desenvolveram a primeira cepa narcótica da planta por volta de 5600 a.C.

Quanto aos cogumelos mágicos – que contêm um composto psicoativo chamado psilocibina – parece que os primeiros humanos a experimentar seus efeitos psicodélicos vieram do deserto do Saara, onde pinturas pré-históricas de cerca de 8000 anos atrás retratam figuras humanas segurando cogumelos, dos quais as linhas pontilhadas se conectavam a suas cabeças.

Segundo o autor do estudo, “esse detalhe parece indicar que o artista pretendia transmitir uma declaração sobre os efeitos psicoativos que o fungo exerce sobre a mente humana”.

Atravessando o Novo Mundo, as folhas de coca encontradas no chão de uma casa no norte do Peru foram datadas de 6000 a.C., sugerindo que as pessoas estão utilizando a planta através da qual a cocaína é produzida há pelo menos 8.000 anos.

Resumindo essas descobertas, Samorini enfatiza que essas datas não correspondem necessariamente ao uso mais antigo dessas drogas, mas às evidências arqueológicas mais antigas de seu consumo. Portanto, é perfeitamente possível que os seres humanos tenham ingerido cada uma dessas substâncias por mais tempo do que esses dados sugerem.

Tradução: Joel Rodrigues | Smoke Buddies.

Leia também:

Plantas felizes e erva do riso: como pessoas do mundo antigo usavam, e abusavam, de drogas

#PraCegoVer: fotografia (de capa) de uma placa de mármore do antigo mundo grego, do século V a.C., onde pode-se ver uma escultura em alto-relevo do que acredita-se ser representações da deusa Perséfone e sua mãe Deméter, ambas segurando cogumelos. Foto: domínio público.

lazy placeholder Há quanto tempo os seres humanos usam substâncias psicoativas?

Sobre Smoke Buddies

O Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!

Deixe seu comentário