Gestantes recorrem a budtenders para informações sobre uso de cannabis em Washington (EUA)

balanca buds Gestantes recorrem a budtenders para informações sobre uso de cannabis em Washington (EUA)

Um estudo conduzido por pesquisadora da Universidade Estadual de Washington descobriu que, na ausência de informações consistentes por parte dos provedores de saúde, mulheres grávidas ou lactantes no estado estão obtendo orientações sobre o consumo perinatal de maconha de budtenders. Informações traduzidas pela Smoke Buddies

Na ausência de aconselhamento consistente por parte dos profissionais de saúde, as mulheres grávidas ou amamentando estão recebendo informações sobre o uso de cannabis por parte dos vendedores de maconha conhecidos como budtenders, de acordo com um estudo liderado por Celestina Barbosa-Leiker, vice-reitora para pesquisa no campus de Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Washington.

O consumo de cannabis entre mulheres grávidas aumentou drasticamente, com o uso no mês anterior quase dobrando para 7% e o uso diário ou quase diário triplicando para 3,4% de 2002 a 2017, descobriu um estudo anterior.

gravital sb Gestantes recorrem a budtenders para informações sobre uso de cannabis em Washington (EUA)

A educação para provedores de saúde e budtenders não acompanhou o ritmo. Ambos os grupos no estudo, publicado no The American Journal of Drug and Alcohol Abuse, disseram que queriam mais informações sobre como interagir com mulheres grávidas e amamentando sobre o uso de cannabis.

Barbosa-Leiker disse que é do interesse das pacientes que tal treinamento seja fornecido.

“Precisamos usar todas as abordagens e todas as pessoas na vida da paciente para ajudá-las”, disse ela. “Há pesquisas limitadas com budtenders, mas eles precisam fazer parte dessa conversa porque são vistos como fontes confiáveis ​​por seus clientes e nossos pacientes. Precisamos nos envolver com eles porque é onde a informação está sendo disseminada”.

O estudo entrevistou 10 profissionais de saúde, principalmente enfermeiras, e 10 budtenders no estado de Washington sobre suas opiniões e percepções sobre o uso perinatal de maconha. A cannabis para uso adulto é legal no estado desde 2013.

Além do desejo de mais educação e treinamento, tanto os provedores de saúde quanto os budtenders concordaram que mulheres grávidas e amamentando usam cannabis principalmente para aliviar náuseas, ansiedade, dor e estresse, e não para lazer.

Leia também: O uso de cannabis por gestantes aumenta durante a pandemia

Os provedores de saúde, no entanto, disseram ter uma opinião negativa sobre os efeitos do uso de cannabis entre essas pacientes. Embora eles tenham dito que tentam não fazer julgamentos ao falar com suas pacientes perinatais, eles seguem as diretrizes nacionais ao aconselhar as pacientes a evitar o uso de cannabis durante a gravidez e durante a amamentação, semelhante a seus conselhos sobre álcool e cigarros.

Budtenders tinham uma visão muito mais positiva do uso de cannabis durante a gravidez e amamentação, percebendo a maconha como uma substância natural que é mais segura do que o uso de álcool ou cigarro no perinatal.

Eles também tendiam a adotar uma abordagem de redução de danos, recomendando produtos com baixo THC para clientes grávidas e lactantes. Os provedores de saúde eram muito mais binários; eles não perceberam o uso de cannabis em um espectro, mas sim como uma escolha entre não uso ou uso muito pesado.

Uma paciente que se sente estigmatizada por seu provedor de saúde ou cujo provedor não tem nenhuma informação ou orientação sobre o uso de cannabis pode recorrer a um budtender para obter conselhos, disse Barbosa-Leiker.

Ela acrescentou que simpatiza com os budtenders, porque as mulheres grávidas e as que amamentam vêm até eles em busca de orientação. Um participante budtender disse que eles têm que confiar na “ciência stoner” de afirmações em grande parte não verificadas, ou pesquisas do Google, para ajudar essas clientes.

Disse o estudo, “Budtenders também precisam de treinamento em produtos de cannabis e requerem treinamento sobre como melhor servir as clientes perinatais”.

O melhor cenário seria para as mulheres que usam cannabis se sentirem tão confortáveis ​​conversando com seu provedor de saúde sobre essa escolha quanto fazem com seu budtender. Isso exigirá treinamento em como fazer as perguntas certas da maneira certa, disse Barbosa-Leiker, acrescentando: “Com esse treinamento adicional, acho que essas conversas podem acontecer de uma forma mais imparcial, de uma forma de redução de danos e, espero, a confiança será construída”.

Leia também:

Conheça a história da mãe que luta na justiça para que a maconha medicinal seja legal na Indonésia

#PraTodosVerem: Foto mostra um pegador metálico com pontas de plástico pretas e os dedos da pessoa que o segura acima de uma balança contendo uma porção de inflorescências de maconha secas, em uma bancada de vidro onde também se vê potes redondos com mais buds de cannabis. Imagem: Unsplash / Add Weed.

smokebuddies logo2 Gestantes recorrem a budtenders para informações sobre uso de cannabis em Washington (EUA)

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!