Exames mostram como um câncer de pulmão encolheu após o uso diário de CBD

conta gotas frasco folha Exames mostram como um câncer de pulmão encolheu após o uso diário de CBD

Este estudo de caso se soma a vários outros que oferecem alguma promessa no uso de CBD no tratamento de câncer. Cientistas acreditam que o composto produz substâncias oxigenadas no corpo, o que pode causar a morte de células cancerígenas. Com informações do MailOnline

Um paciente com câncer que aceitou que a doença o mataria viu seus tumores encolherem – tomando gotas de óleo de canabidiol (CBD) todos os dias.

O homem de 81 anos, que não foi identificado, recusou repetidamente a quimioterapia e outros tratamentos para prolongar sua vida.

Em vez disso, o ex-fumante, que se acredita ser da cidade de Stoke-on-Trent (condado de Staffordshire, Inglaterra), optou por tomar óleo de CBD por três meses para combater o câncer de pulmão.

Os médicos já publicaram exames impressionantes, mostrando como isso reduziu pela metade o tamanho de seus tumores e reverteu a progressão de sua doença.

A história foi publicada em uma revista médica, onde os médicos alegaram que “o CBD pode ter tido um papel na resposta impressionante”.

No entanto, especialistas alertaram que este é apenas um caso. As alegações de que a cannabis ou qualquer um de seus compostos podem ter algum impacto útil sobre o câncer não estão comprovadas.

O CBD – que não causa uma alta – é um extrato da planta de cannabis. É legal no Reino Unido e pode ser vendido nas principais ruas.

O composto anti-inflamatório já é apoiado por sua infinidade de benefícios pela Organização Mundial da Saúde.

No entanto, o último relato de caso oferece esperança de que ele possa combater certas formas de câncer, além de combater a dor, epilepsia e ansiedade.

Médicos do Hospital da Universidade Royal Stoke trataram o paciente, que já havia sobrevivido por um triz a um câncer de próstata há 15 anos.

Eles apontaram para uma série de pesquisas promissoras que sugeriram que o CBD pode ter o poder de retardar o crescimento de alguns tumores.

Os cientistas acreditam que o CBD produz substâncias químicas oxigenadas no corpo, o que pode causar a morte de células cancerígenas.

No entanto, várias outras vias também foram sugeridas – incluindo a interrupção do recrutamento pelo tumor de células que o ajude a crescer.

Leia: Número cada vez maior de pacientes com câncer relata melhoras com a maconha medicinal

Ian Hamilton, pesquisador de drogas da Universidade de York, que não tratou o paciente, disse ao MailOnline que o relato de caso era “importante”.

Ele disse: “Este único estudo de caso se soma a vários que oferecem alguma promessa no uso de produtos de CBD no tratamento de câncer”.

“Eu acho que existe um potencial real no CBD, mas também há muita esperança falsa. Esse tipo de estudo de caso é importante, mas é improvável que mude a prática médica”.

“Será necessário um estudo de controle randomizado maior, o que ajudaria a distinguir quanto se deve ao efeito placebo”.

O paciente já havia sido diagnosticado com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) – uma condição pulmonar debilitante que causa falta de ar.

Além de ter DPOC, ele também costumava fumar cerca de 20 cigarros por dia, quando tinha entre 20 e 30 anos. Ambos são fatores de risco para câncer de pulmão.

O homem foi diagnosticado com adenocarcinoma de pulmão em outubro de 2016, depois de ir ao médico reclamando que sua falta de ar estava piorando.

Os exames mostraram uma sombra no pulmão esquerdo, que se revelou um tumor cancerígeno de 2,5 cm por 2,5 cm. A doença também se espalhou para seus linfonodos.

Um adenocarcinoma de pulmão é uma forma de câncer de pulmão de células não pequenas, responsável por cerca de 80% dos casos no Reino Unido.

Cerca de 44.500 pessoas são diagnosticadas com câncer de pulmão como um todo a cada ano no Reino Unido. O número é de cerca de 260.000 nos EUA.

Apenas 15% dos pacientes com adenocarcinoma de pulmão sobrevivem por cinco anos, segundo as estatísticas.

Os médicos do Hospital da Universidade Royal Stoke ofereceram-lhe quimioterapia e radioterapia na esperança de prolongar sua vida.

No entanto, ele recusou o tratamento por causa de sua idade, pois não queria sofrer efeitos colaterais adversos nos últimos anos de sua vida.

Uma tomografia computadorizada realizada no hospital em dezembro de 2016 revelou que a massa pulmonar havia aumentado de tamanho, medindo 2,7 cm × 2,8 cm.

Mais uma vez, foi lhe oferecido tratamento – mas recusou, escreveu o autor principal, Dr. Josep Sulé-Suso, no SAGE Open Medical Case Reports.

Outra radiografia de tórax em julho de 2017 mostrou que sua doença estava progredindo lentamente.

Mas, em uma reviravolta bizarra de eventos, uma tomografia computadorizada em novembro revelou a ‘resolução quase total’ da massa para apenas 1,3 cm por 0,6 cm.

Dr. Sulé-Suso e seus colegas também observaram uma “redução significativa” no tamanho e no número de linfonodos mediastinais.

Os médicos então perguntaram ao paciente sobre seu estilo de vida, a fim de entender o que poderia ter causado o efeito dramático em seu câncer.

Ele revelou que havia começado a tomar óleo de CBD em setembro – apenas dois meses antes do exame mostrar que o tumor tinha diminuído pela metade.

No início, ele consumia duas gotas duas vezes ao dia durante uma semana, antes de aumentar sua dose para nove gotas duas vezes ao dia até o final de setembro.

O paciente desistiu de tomar o óleo uma semana após sua tomografia computadorizada positiva em novembro porque “não gostou do sabor e se sentiu mal”.

Nenhuma outra mudança na dieta, medicamento ou estilo de vida foi observada, levando os médicos a acreditarem que o óleo de CBD foi o principal fator no encolhimento do tumor.

O Dr. Sulé-Suso e seus colegas não revelaram a condição atual do homem, ou se ele começou a tomar o óleo de CBD novamente.

O óleo que ele estava tomando foi fabricado pelo MyCBD. Continha 200 mg de CBD em cada 10 ml.

O que é o óleo de CBD? É legal no Reino Unido?

O óleo de CBD é um canabinoide legal que pode ser vendido no Reino Unido.

O CBD contém menos de 0,2% da substância psicoativa THC.

Embora se acredite que o óleo tenha algumas propriedades medicinais, incluindo o alívio da inflamação, dor e ansiedade, não há ciência conclusiva.

Os fornecedores na Inglaterra e no País de Gales precisam obter uma licença para vender o CBD como medicamento.

Os fabricantes são capazes de evitar a regulamentação estrita vendendo-o como um complemento alimentar – ignorando o longo processo de obtenção de uma licença medicinal.

Os produtos de CBD se apresentam de várias formas, sendo a mais popular o óleo – que os usuários pulverizam debaixo da língua – ou comprimidos de gel que derretem lentamente na boca.

Assessores do governo da MHRA (Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde do Reino Unido) descobriram que o CBD tem um efeito de ‘restauração, correção ou modificação’ em seres humanos.

O óleo de cannabis, que é diferente do óleo de CBD, porque contém THC – o composto que dá aos usuários uma ‘alta’ – é ilegal pelas leis do Reino Unido.

Billy Caldwell, da vila de Castlederg, na Irlanda do Norte, chegou às manchetes em abril passado, quando se tornou o primeiro britânico a prescrever no NHS (Serviço Nacional de Saúde).

O óleo de cannabis, que supostamente não tem efeitos colaterais, influencia a liberação e a absorção de produtos químicos que fazem “se sentir bem”, como dopamina e serotonina.

Tradução: Joel Rodrigues | Smoke Buddies.

Leia também:

Maconha pode ajudar várias condições em pacientes com câncer, diz estudo brasileiro

#PraCegoVer: fotografia (de capa) em plano fechado que mostra um frasco de cor âmbar-escuro, junto a um conta-gotas com tampa alaranjada e tetina preta e contendo substância amarelada translúcida, sobre uma folha de maconha e uma superfície de madeira. Foto: Pixabay.

lazy placeholder Exames mostram como um câncer de pulmão encolheu após o uso diário de CBD

Sobre Smoke Buddies

O Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!

Deixe seu comentário