Ex-NFL diz que a maconha o salvou de uma “espiral descendente” após diagnóstico de ELA

topo pistilos planta Ex NFL diz que a maconha o salvou de uma espiral descendente após diagnóstico de ELA

Steve Gleason disse que a maconha lhe deu a capacidade de encontrar um novo propósito na vida, após as drogas tradicionais prescritas falharem. As informações são do Louisiana Illuminator

O ex-jogador do New Orleans Saints, Steve Gleason, disse na sexta-feira que a maconha o salvou de uma “espiral descendente” após seu diagnóstico de ELA. Sexta-feira marcou a primeira vez que Gleason falou publicamente sobre seu uso da planta. Ele estava testemunhando perante a Comissão de Maconha Medicinal criada pela Legislatura da Louisiana (EUA).

Um ex-destaque de special teams, Gleason foi diagnosticado com ELA (doença de Lou Gehrig) em 2011 e entrou na sala de reuniões no Capitólio do Estado em sua cadeira de rodas motorizada — um resultado da doença neuromuscular tirando seu uso de todas as funções musculares.

site sb Ex NFL diz que a maconha o salvou de uma espiral descendente após diagnóstico de ELA

Falando através de um computador que rastreia os movimentos de seus olhos, Gleason riu quando começou seu depoimento apontando como ele veio vestido com um “smoking”, que na verdade era apenas uma camiseta de smoking. Ele contava piadas semelhantes ao longo de seu discurso, mas cativou toda a sala ao descrever um ponto sombrio de sua vida em 2013. Os médicos recomendaram que ele colocasse uma cama de hospital em sua casa para dormir e prescreveram medicamentos para a dor e a ansiedade que acompanham a doença.

steve gleason Ex NFL diz que a maconha o salvou de uma espiral descendente após diagnóstico de ELA

#PraTodosVerem: fotografia, em meio perfil, de Steve Gleason em sua cadeira computadorizada e, ao fundo, dois legisladores, no Capitólio de Louisiana. Foto: Wes Muller / Louisiana Illuminator.

Ele descreveu como a cama do hospital tinha barras nas laterais projetadas para evitar que o paciente rolasse.

“A ironia é que eu estava olhando para o teto sem qualquer capacidade de me mover”, disse Gleason. “Eu estava com raiva e ressentido”… “Isso foi uma espécie de espiral descendente.”

Os efeitos colaterais da medicação prescrita só pioraram as coisas, disse ele. Ele tentou diferentes tipos e dosagens, mas nada parecia funcionar. O desconforto físico trouxe um “medo avassalador” à sua mente, disse ele.

Leia mais: Pacientes deixam de tomar benzodiazepínicos após uso de maconha medicinal

Um dia ele disse à esposa: “Tenho que sair dessa. Deve haver uma maneira melhor”, disse ele.

Um amigo recomendou maconha. Gleason havia experimentado maconha apenas algumas vezes antes desse ponto — fumando-a por lazer, mas seu amigo estava recomendando algo diferente — uma tintura de cannabis, que é um extrato líquido de qualidade farmacêutica. A droga ainda era ilegal na Louisiana naquela época.

“Achei que valia a pena correr o risco de cometer um crime, mas, apenas por medida de segurança, trouxe nosso advogado”, disse Gleason, arrancando outra rodada de risos.

Pela primeira vez em muito tempo, ele disse que era capaz de funcionar, tinha mais energia e era mais produtivo.

“Eu me sentia bem fisicamente e minha cabeça estava muito mais clara”, disse ele. “Eu me senti livre — livre da espiral descendente.”

Leia também: Esclerose lateral amiotrófica e o potencial terapêutico da Cannabis

Gleason disse que a maconha lhe deu a capacidade de encontrar um novo propósito na vida. Ele voltou a dormir em sua cama king size ao lado de sua esposa e trabalhou no desenvolvimento de sua fundação de advocacyTeam Gleason, que desde então doou US$ 18 milhões em aventura, tecnologia, equipamento e serviços de cuidado para mais de 20.000 pessoas que vivem com ELA.

“Não estou dizendo que tudo aconteceu por causa da ajuda da maconha medicinal, mas posso dizer com 100 por cento de confiança que essas realizações, a inspiração, nem as dezenas de milhares de pessoas que servimos — nada disso aconteceria se eu ainda estivesse tomando aquelas pílulas prescritas”, disse Gleason antes de trocar palavras de despedida com os legisladores e encerrar com seu famoso lema: “Sem bandeiras brancas”.

A Comissão de Maconha Medicinal está em uma “missão de apuração de fatos” para explorar opções para melhorar a lei de maconha medicinal do estado, disse o presidente da comissão, o representante Joe Marino (I).

Os legisladores abriram as portas de Louisiana para a planta em 2015, com uma legislação que permitiu a abertura de um mercado muito limitado. Marino disse que a lei foi projetada para permitir que Louisiana “engatinhe antes de andarmos”. Desde então, as leis estaduais em torno da maconha progrediram lentamente.

Leia mais: Louisiana (EUA) legaliza maconha medicinal para fumar

“Estamos em 2021”, disse Marino. “Já passamos seis anos disso. Acho que terminamos de engatinhar. Acho que precisamos fazer outra coisa além de engatinhar, e acho que esta comissão vai nos ajudar a atingir essa meta de levar medicamentos aos pacientes”.

Entre outros membros do público que testemunhou estava Katelyn Castleberry, que disse que compra cannabis medicinal como um tratamento para a epilepsia de seu filho. No entanto, por causa do mercado limitado da Louisiana, a droga custa cerca de US$ 900 por mês, disse ela.

O depoimento de Castleberry atingiu vários legisladores, que disseram que gostariam de ver as seguradoras começarem a cobrir os custos do medicamento. Outro problema é a falta de isenções de testes de drogas para a maconha medicinal.

O representante Jack McFarland (R) disse que tem constituintes que perderam seus empregos e até licenças profissionais, como as de motoristas de caminhão, devido a regulamentações desatualizadas de triagem de drogas.

“À medida que avançamos, gostaria que considerássemos pelo menos essas duas coisas”, disse McFarland.

Veja também:

Agosto Laranja: um papo com Gilberto Castro sobre esclerose múltipla e maconha

#PraTodosVerem: em close e visão aérea, foto mostra o topo de uma planta de maconha, que tem pistilos beges e verde-claros reunidos onde será formada a inflorescência e folhas serrilhadas cobertas de tricomas ao redor. Imagem: tdfugere | Pixabay.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!