Ex-jogadores de futebol americano em prol do CBD na NFL

NFL Ex jogadores de futebol americano em prol do CBD na NFL

Enquanto o beisebol afrouxa as regras sobre o uso de CBD por atletas, ex-jogadores de futebol americano pedem à NFL que siga o exemplo. As informações são da Reuters, com tradução pela Smoke Buddies

No esporte esmagador e doloroso que é o futebol americano, ficar em campo quando lesionado é uma prioridade desafiadora para os jogadores da NFL. E com outra grande liga esportiva dos EUA abrindo a porta para permitir que os jogadores usem maconha e compostos associados como o CBD, o debate está esquentando sobre a maneira como os jogadores de futebol gerenciam a dor.

No mês passado, a Major League Baseball (MLB) removeu canabinoides naturais como THC e CBD de sua lista de Drogas de Abuso. A decisão, motivada pela preocupação com o crescente vício em analgésicos opioides, foi amplamente aclamada. Ex-jogadores de futebol disseram à Reuters que uma política semelhante seria um passo positivo para o tratamento da dor crônica na NFL.

“O cenário em torno de todos os esportes profissionais está sendo pintado desta maneira”, disse Terrell Davis, bicampeão do Super Bowl pelo Denver Broncos. “Agora, quão rápido a NFL chega lá, não tenho certeza”.

Em maio, Davis cofundou uma nova bebida esportiva com CBD conhecida como DEFY, depois de se convencer dos benefícios do composto derivado da cannabis. A NFL tem regras firmes a respeito de substâncias proibidas, com jogadores recebendo regularmente suspensões por violações de maconha e álcool.

Davis, que se aposentou durante a pré-temporada de 2002, disse que adotar uma política semelhante à da MLB melhoraria a qualidade de vida dos jogadores.

“O resultado final é apenas para dar opções aos jogadores”, disse Davis. “Para poder dizer, ‘ei, você não é forçado a tomar apenas um tipo de anti-inflamatório'”.

O CBD, também conhecido como canabidiol, é um composto que encontrou um grande mercado nos últimos anos para produtos como loções para o corpo, comestíveis e cápsulas. Os defensores dizem se beneficiar da redução da ansiedade ao controle da dor.

Saiba mais: CBD é mais popular que Jesus, Kanye West, NBA, Taylor Swift e Beatles, mostram dados

Vários outros ex-jogadores da NFL entraram no negócio de CBD após o término de suas carreiras, incluindo o tricampeão do Super Bowl Rob Gronkowski, que fez parceria com a empresa de medicamentos Abacus Health em 2019.

“Não fará um trabalho milagroso e curará seus ferimentos, mas acredito que isso ajudará a aliviar”, disse Gronkowski, que defende a inclusão do CBD em todos os esportes profissionais. “Especialmente no futebol, você sempre recebe danos nos tecidos musculares devido a todos os ataques”.

Um dos atletas de maior desempenho na história do esporte, o ex-New England Patriot de 30 anos de idade passou por inúmeras lesões e foi submetido a cirurgias no tornozelo, antebraço e costas durante sua carreira.

“Com a MLB suspendendo sua proibição, é apenas um começo fantástico, e seria maravilhoso ver como a NFL e outras grandes organizações esportivas começarem a seguir a liderança da MLB e levantar essa proibição”, disse Gronkowski.

Neste mês, o Comitê de Gerenciamento da Dor da NFL e o sindicato dos jogadores realizaram um fórum para examinar o potencial do CBD se tornar uma substância permitida. Michael Oshinsky, diretor do programa que supervisiona as pesquisas sobre dores e enxaqueca no National Institutes of Health, disse à Reuters que as evidências continuam escassas para apoiar muitos benefícios reivindicados pelos defensores do CBD.

“Quando se trata de dor, por causa dessa natureza subjetiva, o paciente tem muito controle sobre o que percebe”, disse Oshinsky. “Talvez um pouco de inflamação, há algumas evidências”, acrescentou, mas “há o suficiente para sabermos que não há cura milagrosa para a dor”.

Sobre o tema maconha e CBD, a liga disse aos repórteres na semana passada que “tudo está sob consideração” em relação às diferentes formas de terapia para ajudar no tratamento da dor.

“Se vamos recomendar ou aprovar qualquer tipo de terapia para jogadores da NFL, novamente, seja equipamento, tratamento ou intervenção, teremos que passar por um nível extremamente alto de provas”, disse o Dr. Allen Sills, médico-chefe da NFL.

Alguns veteranos da NFL, em batalha, dizem que ter a opção de usar produtos de CBD deve estar nas mãos dos jogadores.

“Eu, literalmente, mancava para fora do jogo quando eu já estava acabado”, disse o linebacker Lofa Tatupu, cuja carreira nas seis temporadas no Seattle Seahawks foi “dizimada” por lesões. Depois de se aposentar em 2013, Tatupu começou a pesquisar e, eventualmente, usar o CBD. Ele cofundou a ZoneIn CBD, com sede em Washington, em 2019.

“O desgaste ainda está lá”, disse Tatupu, que passou por 10 cirurgias durante sua carreira na NFL. “Não mascara a dor, me ajudou a lidar com ela diretamente e trabalhar com ela”.

“Espero que (a NFL e a NFLPA) nos ouçam, em termos de quanto consertou ou reparou o trauma que experimentamos em nossa carreira”, disse Tatupu.

Leia também: 

Punição ao doping por maconha e cocaína no esporte irá mudar, entenda

#PraCegoVer: fotografia (de capa) que mostra jogadores do Denver Broncos e Atlanta Falcons se chocando durante partida. Foto: Adobe Stock.

lazy placeholder Ex jogadores de futebol americano em prol do CBD na NFL

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!