EUA: O boom dos imóveis comerciais em estados onde a cannabis é legal

eua 1 EUA: O boom dos imóveis comerciais em estados onde a cannabis é legal

A demanda por armazéns aumentou 42% nos estados dos EUA, onde a cannabis foi legalizada há mais de três anos — embora empresas do setor não tenham acesso às linhas de crédito tradicionais para financiar a compra ou o aluguel de uma propriedade. Entenda na história de Sarah Paynter para o Yahoo Finance, com tradução pela Smoke Buddies

Em uma reversão das tendências de 2018, os investidores de cannabis estão comprando propriedades comerciais, particularmente armazéns, em estados onde o uso recreativo de cannabis foi legalizado há mais de três anos, de acordo com um novo estudo da National Association of Realtors (Associação Nacional dos Corretores de Imóveis), de setembro de 2019, com mais de 600 corretores comerciais em estados como o Colorado, onde o uso adulto de maconha é legalizado, e em estados, como a Flórida, onde o uso de maconha medicinal é legal.

lazy placeholder EUA: O boom dos imóveis comerciais em estados onde a cannabis é legal

#PraCegoVer: mapa dos Estados Unidos de acordo com as políticas de legalização da maconha por estado. Fonte: Associação Nacional de Corretores de Imóveis.

“É muito importante entender a oferta e a demanda e a dinâmica regulatória em cada estado. O foco em estados com barreiras mais altas à entrada torna uma licença mais cara, o que torna esses imóveis mais valiosos”, disse Katie Barthmaier, diretora executiva da Green Acreage, uma empresa de investimentos imobiliários focada em cannabis.

A demanda por armazéns aumentou em 42% dos mercados com legalização do uso adulto da maconha de longa data (mais de três anos), e 34% dos mercados que legalizaram desde 2016 também tiveram aumento na demanda em relação ao ano anterior. Apenas 18% dos mercados sem legalização para uso adulto da maconha alegaram crescimento da demanda por este tipo de imóvel.

Em 2018, a demanda por imóveis comerciais nos estados com apenas uso médico ultrapassou a demanda nos estados com uso adulto, 34% a 27%, respectivamente, de acordo com o estudo do ano passado.

Leia: Turismo canábico é a nova onda de negócios da maconha em Chicago (EUA)

lazy placeholder EUA: O boom dos imóveis comerciais em estados onde a cannabis é legal

#PraCegoVer: gráfico de barras horizontais com o título “Commercial Inventory Changes”, que mostra os percentuais de demandas de diferentes tipos de imóveis. Fonte: NAR 2020.

“Nos estados que possuem uma indústria legal [de cannabis] de longa data, os armazéns têm sido especialmente interessantes para investidores comerciais. Suspeito que esse aumento na demanda não seja apenas para armazenamento, mas para crescimento [cultivo]”, disse a Dra. Jessica Lautz, vice-presidente de informações demográficas e comportamentais da Associação Nacional de Corretores de Imóveis.

Enquanto isso, a demanda por espaço de varejo aumentou em 27% dos mercados amigáveis ​​à maconha desde 2016, em comparação com 19% dos mercados recentemente legalizados ou 18% dos mercados somente com legislação para a maconha medicinal. A tendência é uma reversão a partir de 2018, quando as vitrines registraram um crescimento maior nos mercados somente para uso médico do que nos mercados para uso adulto.

“Os investidores sabiam que as pessoas precisariam de espaço para cultivar e fabricar cannabis. Muito espaço não utilizado foi alugado e comprado pelos investidores”, disse Jack Nichols, consultor geral e diretor de operações da Harborside, uma empresa de maconha da Califórnia. Nichols disse que o interesse dos investidores em cannabis aumentou os preços dos imóveis à medida que a demanda por espaço comercial cresceu.

Entraves para as empresas de cannabis

Como as empresas de cannabis não podem recorrer aos bancos tradicionais, pode ser difícil comprar ou arrendar imóveis. O financiamento é geralmente fornecido por empresas de capital de risco especializadas, fundos privados de investimento imobiliário e empresas de capital aberto.

“Do lado do investidor, os bancos não podem emprestar dinheiro, as companhias de seguros não podem negociar com você e poucos fundos podem entrar. Não há capital institucional no espaço”, disse Ori Bytton, fundador da WeGrow CA, empresa de administração imobiliária da Califórnia para operadores de maconha, e fundador e diretor executivo da Natura Life + Science, a maior instalação de cultivo e processamento verticalmente integrado na Califórnia.

As empresas de cannabis dizem que o capital acionado por investidores oferece empréstimos a altas taxas de juros e com restrições pesadas.

Leia também:

Cannabis legal gera mais de 243 mil empregos nos EUA, aponta relatório

#PraCegoVer: foto (de capa) que mostra buds de cannabis dispostos em superfície lisa de cor salmão, com luz indireta que incide do lado superior da imagem, sombreando cada flor de maconha. Imagem: THCamera Photography.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!