Cortes distritais dos EUA criam evento sobre impacto da legalização da cannabis no turismo

vapor touca bombojaco Cortes distritais dos EUA criam evento sobre impacto da legalização da cannabis no turismo

Guam e Ilhas Marianas do Norte se moveram para legalizar a maconha para uso adulto nos últimos anos, e agora suas cortes distritais realizam um seminário para debater a relação entre a legalização da planta e o turismo. As informações são do Marijuana Moment

As cortes federais que representam os territórios estadunidenses de Guam e das Ilhas Marianas do Norte (CNMI) realizarão um seminário na próxima semana sobre a legalização da maconha e seu impacto potencial na indústria do turismo.

Ambos os territórios se moveram para legalizar a cannabis para uso adulto nos últimos anos, e agora suas cortes distritais estão realizando um seminário intitulado “Maconha atinge as costas de Guam e CNMI”, em 17 de setembro.

A Guam Bar Association e a CNMI Bar Association também estão organizando o evento. As partes interessadas da indústria, reguladores e autoridades do turismo também irão participar do seminário. Um juiz federal de falência baseado no Arizona moderará o painel.

Leia também: Advogados podem fumar maconha e trabalhar com a planta em NY

De acordo com uma descrição do seminário virtual, uma das principais questões a serem abordadas é se o mercado de cannabis irá “ajudar ou prejudicar a indústria do turismo”. Os painelistas também irão explorar de forma mais geral os “riscos e benefícios” da legalização, bem como que tipo de receita pode ser gerada a partir dos mercados médicos e de uso adulto.

Outras questões que serão discutidas incluem assuntos bancários e jurídicos relacionados à indústria da cannabis.

Gerry Palacios Hemley, do grupo de defesa Sensible CNMI, disse ao Marijuana Moment que o seminário “servirá para compreender os desafios relacionados ao turismo e setor imobiliário, incluindo consequências bancárias e fiscais que podem ajudar consumidores, investidores, empresas e agências a ter uma perspectiva sobre os impactos da legalização da maconha como um todo”.

“O seminário pode servir como uma oportunidade para focar ainda mais nos impactos da legalização em nível doméstico, dados os impactos no turismo causados ​​pela pandemia de Covid, que atualmente afeta muitos países, especialmente as Ilhas Marianas”, disse ele. “Os turistas podem demorar alguns anos para virem, qualquer que seja o motivo. Mas criamos uma nova indústria da qual muitos residentes podem se beneficiar, e colocar a atenção no mercado interno pode ser frutífero”.

O governador da CNMI, Ralph Torres (R), sancionou a lei de legalização em 2018, tornando-a a primeira jurisdição dos EUA a lançar um sistema de legalização comercial da maconha por meio de um ato dos legisladores. É também a primeira a deixar de ter a cannabis totalmente ilegal para permitir o uso adulto sem primeiro ter um programa de maconha medicinal.

Leia: Cultivo caseiro de maconha medicinal tem início na ilha de Guam

Enquanto isso, o governador de Guam, Lou Leon Guerrero (D), assinou um projeto de lei para promulgar a reforma em 2019. A lei permite que adultos maiores de 21 anos possuam e cultivem cannabis e cria um sistema de negócios licenciados e regulamentados para produzir e vender maconha. Os eleitores no território aprovaram uma iniciativa eleitoral de cannabis medicinal em 2014.

Os especialistas no painel deste mês — incluindo o presidente do Conselho de Controle da Cannabis de Guam e o CEO da empresa Grassroots Cannabis — discutirão a relação entre a legalização da maconha e o turismo, mas descobertas preliminares sugerem que a mudança na política atrai turistas.

Um estudo publicado no ano passado descobriu que os aluguéis de quartos de hotel no Colorado aumentaram consideravelmente depois que o estado começou a venda legal de maconha. O estado de Washington também viu aumentos no turismo após a legalização, embora o efeito lá tenha sido mais modesto.

Leia mais: Setor hoteleiro cresce com legalização da maconha em estados dos EUA

O governador do Colorado, Jared Polis (D), até fez brincadeira sobre o tema, dizendo que o Texas não deveria legalizar a maconha, pois isso significaria menos receita tributária para seu próprio estado com o turismo de cannabis.

Enquanto isso, o primeiro-ministro da Macedônia do Norte, Zoran Zaev, disse no ano passado que o governo está estudando a possibilidade de permitir o uso de maconha em cafés e estabelecimentos hoteleiros para promover o turismo.

Veja também:

As oportunidades de negócio que aguardam as empresas de turismo canábico nos EUA

#PraTodosVerem: fotografia mostra uma pessoa de touca rosa, óculos escuros redondos e bombojaco preto expelindo duas nuvens densas de vapor, uma de cada narina, em um ambiente urbano, que aparece ao fundo em pior foco. Crédito: Mpumelelo Macu | Unsplash.

smokebuddies logo2 Cortes distritais dos EUA criam evento sobre impacto da legalização da cannabis no turismo

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!