Estudo realizado nos EUA não encontra ligação entre legalização da maconha e criminalidade

flor mao colorado Estudo realizado nos EUA não encontra ligação entre legalização da maconha e criminalidade

O estudo não encontrou efeitos estatisticamente significativos em longo prazo das leis de maconha para uso adulto ou do início das vendas no varejo sobre as taxas de crimes violentos ou de propriedade. As informações são do EurekAlert!

Onze estados e o Distrito de Columbia legalizaram a maconha. Um novo estudo financiado por uma doação do Instituto Nacional de Justiça procurou determinar o efeito dessa mudança legal nas taxas de crimes. O estudo, que analisou a legalização e as vendas de cannabis para uso adulto no Colorado e em Washington, constatou efeitos mínimos ou nulos nas taxas de crimes violentos e de propriedade nesses estados.

O estudo, realizado por pesquisadores da Universidade Estadual de Washington, da Universidade de Stockton e da Universidade de Utah, aparece no Justice Quarterly, uma publicação da Academia de Ciências de Justiça Criminal.

“De muitas maneiras, a legalização da cannabis constitui um grande experimento contínuo sobre como uma grande iniciativa de política pública alcança ou não os resultados esperados”, explica Ruibin Lu, professora assistente de justiça criminal da Universidade de Stockton, primeira autora de um artigo sobre o estudo. “Dada a probabilidade de mais estados legalizarem a maconha recreativa, sentimos que era importante aplicar métodos empíricos robustos para analisar os efeitos dessa ação no crime nos primeiros anos após a legalização“.

Estudos anteriores relataram resultados variados e inconclusivos sobre como a legalização da maconha afeta o crime. Alguns políticos e grupos de defesa usaram esses dados para apoiar suas posições a favor e contra a legalização. Neste novo estudo, os pesquisadores usaram métodos que, segundo eles, são mais rigorosos do que os usados ​​em pesquisas anteriores (ou seja, abordagens quase-experimentais que emulam mais cautelosamente os experimentos e fornecem evidências mais fortes) para determinar se a legalização da cannabis levou a mudanças nas taxas de criminalidade. Os pesquisadores escolheram Colorado e Washington porque foram os dois primeiros estados a legalizar o cultivo, o processamento e a venda de maconha comercialmente para uso adulto.

Os pesquisadores compararam as taxas mensais de criminalidade no Colorado e Washington com as taxas de criminalidade em 21 estados que não legalizaram o uso da maconha para fins médicos amplos ou adulto em nível estadual. As taxas de criminalidade vieram do Relatório Uniforme de Crimes do FBI, de 1999 a 2016, de agências que relataram dados completos durante esse período. O estudo calculou como os crimes violentos e de propriedade mudaram para o Colorado e Washington após a legalização e a venda no varejo e comparou as mudanças com o que ocorreu nos estados que não legalizaram a maconha.

Em geral, o estudo não encontrou efeitos estatisticamente significativos em longo prazo das leis de cannabis para uso adulto ou do início das vendas no varejo sobre as taxas de crimes violentos ou de propriedade no Colorado ou em Washington, com exceção de um declínio nas taxas de roubo em Washington. Isso sugere que a legalização e as vendas de maconha tiveram um efeito mínimo ou nenhum em crimes graves nesses estados.

O estudo também registrou alguns aumentos no crime nos dois estados imediatamente após a legalização da maconha – com as taxas de crime de propriedade subindo no Colorado e Washington e as taxas de assaltos violentos subindo em Washington. Mas em ambos os estados, esses aumentos duraram pouco e não refletiram mudanças permanentes.

Os autores do estudo observam que, por terem examinado mudanças em crimes graves, eles não podem abordar o efeito da legalização da maconha em outros tipos de crimes (por exemplo, crimes relacionados à condução sob a influência da cannabis). Além disso, eles dizem que não podem descartar a possibilidade de que as leis sobre a maconha possam ter efeitos diferentes em diferentes tipos de comunidades dentro de um estado.

“Enquanto o debate nacional sobre legalização, a classificação federal da cannabis sob a Lei de Substâncias Controladas e as consequências da legalização para o crime continuam, é essencial centralizar essa discussão em estudos que usam projetos de pesquisa contextualizados e robustos com o mínimo de limitações possível”, observa Dale W. Willits, professor assistente de justiça criminal e criminologia na Universidade Estadual de Washington, um dos coautores do estudo. “Este é apenas um estudo e a legalização da maconha ainda é relativamente nova, mas, replicando nossas descobertas, os formuladores de políticas podem responder à pergunta de como a legalização afeta o crime”.

Tradução: Joel Rodrigues | Smoke Buddies

Leia também: Cinco anos após legalização da maconha, Colorado colhe os frutos

#PraCegoVer: fotografia (de capa) de uma flor de maconha seca sendo mostrada à câmera por uma pessoa da qual podem-se ver os dedos e parte do corpo, ao fundo; o registro foi feito em um dispensário do Colorado. Foto: David Zalubowski | AP.

lazy placeholder Estudo realizado nos EUA não encontra ligação entre legalização da maconha e criminalidade

Sobre Smoke Buddies

O Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!

Deixe seu comentário