Estudo mostra que a maconha alivia temporariamente os sintomas de TEPT

buds blue dream Estudo mostra que a maconha alivia temporariamente os sintomas de TEPT

Pesquisadores analisaram dados de mais de 400 pessoas rastreados por um aplicativo criado para ajudar os usuários a identificar quais cepas de cannabis funcionam melhor para seus sintomas. As informações são da WSU Insider e a tradução pela Smoke Buddies

As pessoas que sofrem de transtorno de estresse pós-traumático relatam que a cannabis reduz a gravidade de seus sintomas em mais da metade, pelo menos a curto prazo, de acordo com um estudo recente conduzido por Carrie Cuttler, professora assistente de psicologia da Universidade Estadual de Washington.

Cuttler e seus colegas analisaram dados de mais de 400 pessoas que tiveram rastreadas as alterações em seus sintomas de TEPT antes e depois do uso de cannabis com o Strainprint, um aplicativo desenvolvido para ajudar os usuários a aprender quais tipos de cannabis medicinal funcionam melhor para seus sintomas. O grupo usou o aplicativo coletivamente mais de 11.000 vezes em um período de 31 meses.

site sb Estudo mostra que a maconha alivia temporariamente os sintomas de TEPT

O estudo, publicado recentemente no Journal of Affective Disorders, mostra que a cannabis reduziu a gravidade das intrusões (retorno de pensamentos de um evento traumático) em cerca de 62%, flashbacks em 51%, irritabilidade em 67% e ansiedade em 57%. As reduções de sintomas não foram permanentes, no entanto.

“O estudo sugere que a cannabis reduz os sintomas de TEPT agudamente, mas pode não ter efeitos benéficos a longo prazo na condição subjacente”, disse Cuttler. “Trabalhando com este modelo, parece que a cannabis mascara temporariamente os sintomas, agindo um pouco como um bandeide, mas quando o período de intoxicação desaparece, os sintomas podem retornar“.

Leia mais – Além da Covid-19: para veteranos de guerra com TEPT a maconha é essencial

O TEPT é um distúrbio que afeta as pessoas que se recuperam de eventos traumáticos e afeta as mulheres em aproximadamente o dobro da taxa que os homens, com uma prevalência de 9,7% e 3,6%, respectivamente. Embora a terapia seja recomendada como tratamento primário, Cuttler disse que há evidências crescentes de que muitas pessoas com TEPT estão se automedicando com cannabis.

“Muitas pessoas com TEPT parecem recorrer à cannabis, mas a literatura sobre sua eficácia no controle dos sintomas é um pouco escassa”, disse Cuttler.

Este estudo fornece algumas dicas sobre a eficácia da cannabis nos sintomas de TEPT, mas, como observam os autores, é limitada pela dependência de uma amostra autosselecionada de pessoas que se identificam como tendo TEPT. Além disso, não é possível comparar as reduções de sintomas experimentadas pelos usuários de cannabis com um grupo controle usando um placebo.

Embora alguns ensaios clínicos controlados por placebo tenham sido realizados com nabilona, ​​uma forma sintética de THC, poucos examinaram os efeitos de toda a planta de cannabis no TEPT.

Neste estudo, Cuttler e seus colegas analisaram uma variedade de variáveis, mas não encontraram diferença no efeito da cannabis com níveis diferentes de tetraidrocanabinol (THC) e canabidiol (CBD), dois dos constituintes mais estudados da cannabis. Os resultados sugerem que é uma combinação de THC, CBD e talvez algumas das muitas outras partes da planta da cannabis que criam o efeito terapêutico. A cannabis tem muitas moléculas que podem criar um efeito biológico, incluindo até 120 canabinoides, 250 terpenos e cerca de 50 flavonoides.

“Precisamos de mais estudos que analisem plantas inteiras de cannabis, porque é isso que as pessoas estão usando muito mais do que os canabinoides sintéticos”, disse Cuttler. “É difícil fazer bons ensaios controlados por placebo com plantas inteiras de cannabis, mas eles ainda são realmente necessários”.

Leia também:

Canabinoide produzido pelo corpo ajuda a apagar memórias traumáticas

#PraCegoVer: em destaque, fotografia de uma porção de buds secos com pistilos alaranjados sobre uma superfície branca. Foto: Green Glass Society | Flickr.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!