Doutora responde: casos ortopédicos também se enquadram para tratamentos com cannabis?

Foto Luiz Michelini Doutora responde: casos ortopédicos também se enquadram para tratamentos com cannabis?

Em sua coluna semanal, a Dra. Amanda Medeiros responde às principais dúvidas de leitores da Smoke Buddies sobre cannabis e saúde

Por que há crianças que babam excessivamente com o uso do CBD junto a outros medicamentos? Casos ortopédicos também se enquadram para tratamentos com cannabis? Fumar no papel de celulose é menos prejudicial à saúde?

Leia também: Qual a diferença entre um produto de cannabis isolado, broad e full spectrum?

Confira, a seguir, as respostas da doutora Amanda Medeiros, médica prescritora com certificação internacional em medicina canabinoide e experiência prática em clínica geral integrativa.

Casos ortopédicos também se enquadram para tratamento com cannabis?

Sim, casos ortopédicos também podem ser tratados com cannabis, já que, normalmente, são casos que envolvem dor, e tudo que envolve dor pode ser regulado pelo nosso sistema endocanabinoide. Dessa forma, doenças do tecido conjuntivo, que inclui articulações, músculos e tendões, que têm a dor entre os sintomas podem se beneficiar do potencial terapêutico da cannabis.

Por que há crianças que babam excessivamente com o uso do CBD junto a outros medicamentos?

Acreditamos que as crianças que babam excessivamente com o uso do CBD o fazem por uma questão de interação medicamentosa. Outra hipótese é que essas crianças já apresentavam esse sintoma, que pode ter sido potencializado com o uso do canabidiol. Porém, ainda não há estudos conclusivos sobre o que exatamente causa a salivação em excesso vinculada ao CBD, tampouco quais drogas o composto pode potencializar.

Fumar na celulose é menos prejudicial à saúde, mito ou verdade?

Antes de responder especificamente à questão da celulose, é preciso dizer que a combustão da cannabis é considerada prejudicial à saúde, sobretudo dos pulmões, porque, na queima, são liberados compostos tóxicos, como alcatrão, benzopireno e benzatraceno — dessa forma, o ideal seria optar por outros métodos de consumo, como a vaporização ou ingestão.

A celulose é o principal componente da parede celular das plantas e matéria-prima de uma porção de produtos, incluindo os papéis de enrolar. O material pode ser aliado na redução de danos, já que, por ser 100% vegetal, não possui os compostos químicos de um papel tratado e alvejado, por exemplo. Por outro lado, vale dizer que alguns fabricantes incorporam glicerina na composição do papel de celulose que, quando carburado, libera um composto chamado acroleína, prejudicial à saúde.

Leia também:

Doutora responde: a cannabis medicinal tem efeitos colaterais?

#PraTodosVerem: fotografia em plano fechado que mostra um cultivo de planta de cannabis, com pistilos de cor creme concentrados onde será desenvolvida a inflorescência. Foto: Luiz Michelini.

 Doutora responde: casos ortopédicos também se enquadram para tratamentos com cannabis?

Sobre Dra Amanda Medeiros Dias

Médica, pós graduada em pediatria e nutrologia pediátrica, cursando psiquiatria infantil pelo CBI of Miami e com certificação internacional em medicina endocanabinoide pela Green Flower, na Califórnia (EUA). Tem experiência na prática em clínica geral integrativa com crianças e adultos, com visão holística, olhando o paciente como um todo. Além de prescritora, é paciente de cannabis medicinal desde 2018. Diretora técnica no Instituto Coração Valente, médica da Clínica Gravital e voluntária em projetos da UNA (Unidos pela Amazônia). CRM - 39.234 PR
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!