Rapper dono de loja de maconha saqueada diz que justiça é mais importante que negócios

george floyd Rapper dono de loja de maconha saqueada diz que justiça é mais importante que negócios

Dono da marca Cookies, o rapper Berner declarou em sua rede social que está mais preocupado com as injustiças destacadas pelos manifestantes do que com os danos à sua loja. Com informações do Marijuana Moment e tradução Smoke Buddies

O proprietário de um dispensário de maconha cujo negócio foi apanhado no caos decorrente da reação à violência policial desenfreada no fim de semana diz que valoriza a vida e a justiça acima de sua mercadoria de cannabis roubada.

Cookies, um conhecido dispensário em Los Angeles, foi saqueado durante os massivos protestos de sábado provocados pela morte de George Floyd. Mas o criador da marca e o proprietário da loja, o famoso rapper que virou empreendedor da cannabis, Berner, diz que está mais preocupado com as injustiças subjacentes sendo destacadas pelos manifestantes do que com os danos à sua loja.

lazy placeholder Rapper dono de loja de maconha saqueada diz que justiça é mais importante que negócios

Um vídeo no Instagram mostra a localização do Cookies em Melrose sendo invadida, com pessoas pulando a cerca, entrando na loja e roubando produtos. A polícia é vista passando no clipe, mas parece que ninguém foi preso.

 

Ver essa foto no Instagram

 

It’s going down in the streets tonight

Uma publicação compartilhada por Green Country Rebellion (@greencountryrebellion) em

Berner, cujo nome verdadeiro é Gilbert Anthony Milam Jr., divulgou um comunicado logo após o incidente.

 

Ver essa foto no Instagram

 

I don’t expect everyone to understand what’s going on in the world 🌎 right now …. but I do ….

Uma publicação compartilhada por Berner (@berner415) em

Leia: Polícia de Nova York prende mais negros e latinos por delitos envolvendo maconha

O rapper não condena as pessoas que invadiram a loja. Em vez disso, ele argumenta que a vida humana é mais valiosa do que qualquer edifício.

“É extremamente lamentável o que aconteceu com nossa loja hoje à noite em Melrose. Mas como um ser humano vivendo no mundo em que vivemos hoje, não posso esperar nada menos até que a justiça seja cumprida”, disse Berner no vídeo postado para seus 1,3 milhão de seguidores no Instagram. “Podemos reconstruir nossa loja, mas você não pode trazer alguém de volta à vida”.

“Com isso dito, apoiamos o que está acontecendo agora no mundo. Uma declaração precisava ser feita. Tudo o que digo é que rezo para que todos fiquem seguros e protejam sua família em um momento como esse”, disse o rapper. “Como posso me preocupar com uma loja quando há muito mais acontecendo no mundo agora? Tanto ódio, tanta raiva, tanta dor e falta de justiça. Por favor, cuidem de suas famílias e fiquem seguros”.

Berner disse que havia seis seguranças armados na frente da loja, mas ele disse a eles para não serem violentos com os manifestantes. “Eu não quero ver ninguém morrer!! Eu disse a todos para se afastarem”, ele postou. “Eu não vou permitir que ninguém morra sob minha vigília… toda a vida importa. E o dinheiro vem e vai…”

“A luta antiproibicionista só existe caminhando junto com a luta antirracista”, diz pesquisadora

Os comentaristas do Instagram foram rápidos em sugerir que o dinheiro do seguro resultante do roubo seria vantajoso para Berner. Um comentarista, Elijah71p, escreveu: “Além disso, o dinheiro do seguro não vai doer”.

Mas Berner disse que não estava contando com isso, respondendo: “Nós vendemos maconha. Não tenho certeza de que o seguro honre nossos negócios, nem pensei nisso. Eu estava focado em preservar a vida e instruir os guardas armados a se afastarem e não atirarem”.

Outro comentarista escreveu no post: “Alguém tinha um bom seguro, lol, caso contrário, tenho certeza de que isso soaria diferente”.

“Não cara, o mundo é um lugar fodido”, respondeu Berner. “Isso é do coração mano”.

Historicamente, as empresas de cannabis têm dificuldade em acessar a cobertura de coisas como salários perdidos, danos à propriedade e muito mais devido à classificação federal da maconha como substância do anexo I.

Berner começou a Cookies como uma marca de roupas e cannabis na área da baía de San Francisco em 2016. A empresa se manteve como uma história de sucesso em equidade, abrindo a localização da Cookies Haight Street com o CEO Shawn Richard sob a primeira licença de equidade social de San Francisco. Enquanto alguns levantaram questões sobre o envolvimento de investidores brancos e pessoas com força política, ajudando a obter a aprovação do dispensário, Berner sustentou que a empresa está se mantendo fiel à autêntica cultura da cannabis — uma que representa e defende negros, indígenas e pessoas de cor.

A marca Cookies, conhecida por sua embalagem em azul brilhante, está à venda em oito mercados médicos e para uso adulto em todo o país, incluindo em suas lojas em Los Angeles, Santa Ana, San Francisco e Denver.

O Cookies não é o único dispensário a ser afetado por saques no fim de semana. Fotos de um local da MedMen saqueado no centro de Los Angeles vieram à tona, por exemplo.

Leia também:

“Guerra às drogas”: uma metáfora sobre o genocídio negro

#PraCegoVer: em destaque, fotografia, em preto e branco e vista diagonal, que mostra diversas pessoas sentadas em uma escadaria, usando máscaras e segurando cartazes, em vigília por George Floyd. Imagem: Victoria Pickering | Flickr.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!